Siga o OTD

Alison Brendom Alves dos Santos

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento:. Sobradinho/DF
Idade: 21 anos (03/06/2000)
Altura: 2,00m
Clube: Pinheiros (São Paulo)
Olimpíada: 0
Pan: 1 (Lima-2019)

MUNDIAL
– Mundial de Revezamentos Chorzów 2021 (revezamento 4x400m misto)

PAN
– Lima 2019 (400m com barreiras masculino)

Alison dos Santos, mais conhecido como Piu, é uma promessa do atletismo do Brasil de apenas 20 anos que vem obtendo resultados recentes muito significativos nos 400m com barreiras masculino que podem levá-lo a uma histórica medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ Confira os principais rivais de Alison nos 400m com barreiras nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

O atleta segue em plena ascensão em 2021, tendo quebrado o recorde sul-americano quatro vezes no ano. Desde 2019, Alison melhorou suas marcas em todas as provas importantes que disputou.

A falha no cabelo

Natural de São Joaquim da Barra, interior de São Paulo, o atleta dos 400m com barreiras nasceu em 2000, mas aparenta ser bem mais velho devido a uma falha no cabelo, resultado de um acidente doméstico na infância.

Aos 10 meses de idade, ele virou uma panela de óleo quente no corpo, que deixou uma grande cicatriz em sua cabeça, e outras menores no braço esquerdo e no peito. 

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Piu, como também é conhecido, começou no atletismo em 2014, ainda na cidade natal, quando foi indicado a praticar esporte no Instituto Edson Luciano Ribeiro. Alto e bem coordenado, em pouco tempo, já conseguia resultados nos 400 m e nos 400 m com barreiras. 

Em 2017, integrou o revezamento 4×400 m misto, campeão no Mundial Sub-18 de Nairóbi, no Quênia. Em 2018, ganhou a medalha de bronze nos 400 m com barreiras do Campeonato Mundial Sub-20 de Tampere, na Finlândia, com 49s78.

Despontando em 2019

Mas foi na temporada de 2019 que Alison dos Santos mais se destacou. O atleta do Clube Pinheiros, de São Paulo, bateu sete vezes o recorde sul-americano sub-20 dos 400 m com barreiras masculino e terminou o ano na liderança do Ranking Mundial da categoria.

Nos Jogos Pan-Americanos de Lima, Alison conquistou a medalha de ouro dos 400 m com barreiras com o tempo de 48s45 e se classificou para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. 

Algumas semanas antes, ele já havia ganhado o ouro na mesma prova na Universíade de Nápoles, além de vencer o Pan-Americano Sub-20 de San José, na Costa Rica. No Sul-Americano de Lima conquistou também o ouro na prova dos 400m.

Em setembro, no Mundial de Atletismo de Doha, no Catar, Alison terminou a prova dos 400m com barreiras na sétima posição com o tempo de 48s28, sua melhor marca pessoal até então e recorde sul-americano sub-20.

A última vez que um brasileiro havia chegado à final desta prova em Mundiais foi com Eronilde Araújo, em 1999.

Alison dos Santos 400m com barreiras masculino Atletismo
Promessa do atletismo, Alison dos Santos foi ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 (Wagner Carmo/Panamerica Press/CBAt)

Voando muito em 2021

Piu iniciou o ano olímpico com a meta de romper a barreira dos 48 segundos nos 400m com barreiras masculino visando um possível pódio nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, algo que foi atingido alguns meses depois.

Em abril, no tradicional torneio Drake Relays, em Des Moines, Iowa, nos Estados Unidos, Alison dos Santos foi ouro com 48s15, estabelecendo o novo recorde pessoal e brasileiro da categoria sub-23, além da melhor marca do mundo de 2021 no Ranking da World Athletics.

Um mês depois, no Mundial de Revezamentos, Alison dos Santos ajudou o revezamento brasileiro 4x400m misto a conquistar a medalha de prata

Apenas sete dias depois, Piu conseguiu concluir o objetivo traçado no início do ano baixou pela 1ª vez na vida dos 48 segundos e, com isso, quebrou o recorde brasileiro, que pertencia a Eronilde Araújo (48s04) desde 1995, e o sul-americano, que era do panamenho Bayano Kamani (47s84) desde 2005.

Alison dos Santos cravou 47s68 e ficou com a medalha de bronze do USATF Golden Games, disputado em Walnut, na Califórnia, nos Estados Unidos.

Pódios consecutivos

Mostrando estar com gana de levar uma medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Piu seguiu voando. Três semanas após fazer seu melhor tempo da vida, o brasileiro cravou 47s57, voltou a quebrar o recorde brasileiro e sul-americano na etapa de Doha da Diamond League e conquistou a medalha de prata nos 400m com barreiras masculino.

Nos dois últimos testes antes da Olimpíada, duas outras marcas incríveis.

Na etapa disputada em Oslo da Diamond League, o brasileiro terminou a disputa dos 400m com barreiras com a marca de 47s38, a melhor de sua carreira e a 15ª melhor da prova na história. Contudo, como o recorde mundial da prova foi quebrado na mesma disputa, pelo norueguês Karsten Warholm, o brasileiro ficou com o segundo lugar.

Dias depois, mais um recorde: 47s34 na Etapa de Estocolmo e dessa vez com direito a medalha de ouro. O último teste antes da Olimpíada veio na sequência. Alison foi prata cravando 47s51. Novamente, ficou atrás apenas de Warholm, que fez 47s07, novo recorde da Diamond League.

O atleta é a maior aposta do atletismo brasileiro no Japão.

resultados