Siga o OTD

Maria Eduarda Francelino da Silva

Duda – seleção brasileira de futebol feminino – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento: Recife/PE
Idade: 26 anos (18/07/1995)
Altura:
Clube: São Paulo/SP

Maria Eduarda Francelino da Silva, mais conhecida como Duda, é uma meio-campista ofensiva que atualmente atua no São Paulo e que defenderá a seleção brasileira de futebol feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ Tabela, chances do Brasil, favoritos e mais: Saiba TUDO sobre o futebol feminino em Tóquio 2020

A essência do futebol de rua

Em Araçoiaba, pequena cidade da região metropolitana de Recife, a molecada jogava bola na rua assim como acontece por todo o Brasil. Entre os garotos, uma única garota: Duda. Ela invadia a brincadeira do irmão para participar do futebol.

E ali apresentava todos os requisitos necessários para o futebol de rua. Habilidade e malícia, aquele jogo fácil, atraente, que partia para cima enquanto se divertia. Características que chamaram a atenção do professor Pedro, o responsável por acreditar no potencial dela antes do início da carreira, como ele mesmo contou em entrevista ao ‘ge’, 2019.

+ Confira TUDO sobre TODAS as provas de TODAS as modalidades dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Dali, Dudu rodou pelos estados da Bahia e São Paulo, em busca de oportunidades. Passou por Vitória de Tabocas-PE, XV de Piracicaba e São Francisco-BA antes de impressionar e ser selecionada para a seleção brasileira sub-20, que disputaria o Sul-Americano da categoria em 2014, no Uruguai. No mesmo ano, também foi convocada para o Mundial do Canadá, onde o Brasil enfrentou China, Estados Unidos e Alemanha, caindo na primeira fase. Do futebol de rua aos gramados pelo mundo em um curto período.

O primeiro gol e o sonho de vestiar a camisa da seleção feminina

Arena Corinthians, hoje Neo Química Arena. 12 de dezembro de 2019. Público no estádio, em um momento em que o mundo não sabia da pandemia que estava por vir. Com o calor da torcida, Duda foi uma das supresas de Pia Sundhage na escalação para o amistoso contra o México, na capital paulista. A estreia da meia-atacante.

Logo de cara, com apenas 9 minutos de jogo, recebeu de Debinha, invadiu a área e tocou de perna esquerda, por cobertura, para abrir o placar da goleada por 6 a 0. Era um momento mágico de alguém que não desistiu dos sonhos e acreditou que poderia alcançar a seleção feminina principal mesmo saindo de um campinho de terra batida, em Pernambuco, muito distante de Itaquera. Agarrou a chance com unhas e dentes.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Duda ajoelhou e agradeceu aos céus após marcar em sua estreia com a camisa da seleção feminina. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

“É muita felicidade! Eu sou muito grata por tudo, principalmente, por essa oportunidade. Estou muito feliz pela confiança das minhas companheiras e isso me ajudou muito nessa partida. Eu acho que é um bom começo, espero ter mais oportunidades”, destacou a jogadora ao site da CBF.

E as oportunidades vieram. Pia avaliou como muito positivo o rendimento de Duda nos treinamentos e naquela partida em especial. Foi ali que a semente olímpica foi semeada. O tão esperado anúncio da convocação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 aconteceria mais tarde.

Experiência na Europa

Entre idas e vindas no início da carreira, passando por vários clubes, a pernambucana ainda atuou por Osasco Audax, Centro Olímpico e Corinthians no futebol brasileiro. De lá, se transferiu para o Daejon Sportstoto, da Coreia do Sul. Retornou ao país em 2017, em curta passagem pelo 3B da Amazônia.

Duda - seleção brasileira de futebol feminino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Duda com a camisa do Avaldsnes IL, da Noruega. Foto: Reprodução/Instagram

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK 

Pouco depois, Duda recebeu o convite para atravessar o mundo novamente até chegar ao futebol europeu. A proposta era do Avaldsnes IL, da Noruega. Entre 2018 e 2019, defendeu as cores da equipe, valorizando a estrutura e a qualidade do trabalho realizado no clube.

Além de jogar a liga local, teve a chance de disputar cinco partidas na Champions League Feminina. Em 10 de outubro de 2018, deixou o dela na vitória por 3 a 0 sobre o ZFK Dragon 2014, da Macedônia. Na primeira fase do mata-mata dessa edição, o time norueguês acabou eliminado pelo Lyon, da França, que conquistaria o título meses mais tarde.

Em 2021

Duda está de volta ao Brasil. Em 2020, ela assinou com o São Paulo. A readptação ao nosso estilo de jogo foi rápida, colocando 8 bolas na rede em 23 partidas com a camisa do Tricolor do Morumbi, ajudando o elenco a chegar nas quartas de final do Paulistão e às semifinais da Copa do Brasil.

Duda - seleção brasileira de futebol feminino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Convocada para a seleção feminina em Tóquio, Duda vive grande temporada com o São Paulo em 2021. Foto: Reprodução/Instagram

Já neste ano, justamente no período que antecede a Olimpíada, os números individuais são ainda melhores. São 9 gols em 14 jogos, superando a quantidade e a média de 2020. Ela está pronta para ajudar o futebol feminino do Brasil na capital japonesa. O São Paulo terminou a fase de classificação do Brasileirão Feminino em terceiro lugar, atrás dos rivais Corinthians e Palmeiras. A campanha é sólida, com 8 vitórias, 5 empates e 2 derrotas até aqui. Nas quartas de final, ainda sem datas definidas, desafia o Internacional.

Confira o perfil de TODAS as jogadoras que representarão o Brasil em Tóquio

Goleiras: Bárbara (Avaí/Kindermann), Letícia Izidoro (Benfica-POR) e Aline Reis (Tenerife-ESP)

Defensoras: Poliana (Corinthians), Bruna Benites (Internacional), Rafaelle (Palmeiras), Erika (Corinthians), Tamires (Corinthians), Jucinara (Levante-ESP), Poliana (Corinthians) e Letícia Santos (Frankfurt-ALE)

Meio-Campistas: Marta (Orlando Pride-EUA), Formiga (São Paulo), Andressinha (Corinthians), Júlia Bianchi (Palmeiras), Duda (São Paulo), Debinha (North Carolina Courage), Angelina (Ol Reign/EUA) e Andressa Alves (Roma-ITA)

Atacantes: Ludmila (Atlético de Madrid-ESP), Bia Zaneratto (Palmeiras), Geyse (Madrid CFF) e Giovana Queiroz (Barcelona-ESP).

viagra