Siga o OTD

Caroline de Oliveira Saad Gattaz

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento:. São José do Rio Preto (SP)
Idade: 40 anos (27/07/1981)
Altura: 1,92m
Peso: 87kg
Clube: Minas Tênis Clube
Pan: 0
Olimpíada: 0

MUNDIAL
Japão-2006, Japão-2010; Mundial de Clubes de 2018

Caroline de Oliveira Saad Gattaz, ou simplesmente Carol Gattaz, é uma experiente meio-de-rede duas vezes medalhista mundial que, ironicamente, nunca disputou uma Olimpíada. Com um talento desigual e na melhor fase da carreira, será um dos destaques da seleção brasileira de vôlei feminino e tentará sua primeira medalha olímpica nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ Tabela, favoritos, datas, chances do Brasil e mais; Confira TUDO sobre vôlei feminino em Tóquio 2020

Titular absoluta, usará seu entrosamento com a levantadora Macris no Minas Tênis Clube e será uma das principais armas da seelção comandada pelo técnico José Roberto Guimarães no Japão.

Do basquete para o vôlei

Carol Gattaz sempre foi uma apaixonada por esportes. No entanto, engana-se quem acha que a futura atleta já iniciou diretamente com os saques e manchetes. Influenciada pelo professor de educação física de seu colégio em São José do Rio Preto, Carol começou treinando arremessos com a bola laranja do basquete. A mudança para a vôlei veio até que de forma tardia, já que Carol aceitou o convite para entrar na equipe de sua cidade apenas aos 14 anos.

+ Confira TUDO sobre TODAS as provas de TODAS as modalidades dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

O início da carreira profissional da Carol Gattaz ocorreu no ano 2000, quando a atleta começou a se destacar com a camisa do São Caetano. Com um início de carreira extremamente promissor, não demorou para que a atleta começasse a chamar a atenção do técnico  José Roberto Guimarães, que convocou a central para a seleção brasileira pela primeira vez em 2003.

Pela seleção, Carol teve uma longa trajetória chegando inclusive a ganhar cinco edições de Grand Prix (2004,2005, 2006, 2008 e 2009), dois vices em mundiais (2006 e 2010) e um vice na Copa do Mundo de 2007.

Em âmbito nacional, Carol Gattaz brilhou com as camisas de Osasco e do Rio de Janeiro, conquistando três títulos de Superliga à época, além de diversos outras conquistas e prêmios individuais.

Frustrações olímpicas e reerguida na carreira

Apesar do sucesso, a atleta acabou nunca tendo a chance de defender o país numa disputa de Jogos Olímpicos. Cortada em 2004 e 2008, a atleta vivia um mal momento em 2012, muito por conta de uma lesão no pé direito e pela falta de foco da atleta.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

A mudança de rumo da carreira veio em 2014/15, quando assinou pelo Minas Tênis Clube. Pela equipe mineira Carol Gattaz voltou a desempenhar em altíssimo nível graças a um amadurecimento da atleta.

Como consequência, levou diversos títulos importantes: duas Superligas, o Mundial de Clubes em 2018, dois campeonatos mineiro e três sul-americanos de clubes, sendo eleita a melhor central ou melhor jogadora em alguns deles.

As atuações levaram-na novamente ao posto de titular da seleção brasileira de vôlei feminino e lhe darão a oportunidade de disputar uma edição de Jogos Olímpicos pela primeira vez em sua vitoriosa carreira.

Macris - seleção brasileira de vôlei feminino - Olimpíada de Tóquio 2020
Carol Gattaz voltou a crescer na carreira (Orlando Bento/Minas Tênis Cube)

Em 2021

Carol Gattaz segue em boa fase no ano olímpico. A central foi um dos destaques do bicampeonato nacional do Minas Tênis Clube. Carol teve a quinta melhor porcentagem de ataques certos com 56%. Além disso, foi a 15ª melhor bloqueadora da competição.

+ Tabela, favoritos, datas, chances do Brasil e mais; Confira TUDO sobre vôlei MASCULINO em Tóquio

Quando Thaísa, companheira de Carol no Minas e principal central da seleção brasileira, anunciou que não disputaria os Jogos Olímpicos, coube a veterana a missão de ser a principal referência na rede da equipe de José Roberto Guimarães.

Carol Gattaz não se mostrou preocupada com isso. Com a seleção, participou da Liga das Nações Feminina em junho e ajudou o Brasil a conquistar a medalha de prata. De quebra, foi eleita uma das duas melhores centrais da competição e integrou o all-star team.

Logo após a conclusão da Liga das Nações, José Roberto divulgou a lista de convocadas para a Olimpíada. Sem muitas surpresas, Carol Gattaz será uma das três centrais, juntamente com Bia e Carol. A paulistana completará sua quadragésima primavera em quadra nos Jogos Olímpicos.

Confira o perfil de TODOS os jogadores que representarão o Brasil em Tóquio

Levantadoras:
Macris
Roberta

Oposta:
Tandara

Oposta/Ponteira:
Rosamaria

Ponteiras:
Gabi
Natália
Fernanda Garay
Ana Cristina

Centrais:
Carol
Carol Gattaz
Bia

Líbero:
Camila Brait