Siga o OTD

Ludmila da Silva

Ludmila – seleção brasileira de futebol feminino – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento:. Guarulhos/SP
Idade: 26 anos (01/12/1994)
Altura: 1,60m
Clube: Atlético de Madrid/Espanha
Olimpíada: 0
Pan: 0

Ludmila da Silva é uma atacante que atualmente joga no Atlético de Madrid da Espanha e que defenderá a seleção brasileira de futebol feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ Tabela, chances do Brasil, favoritos e mais: Saiba TUDO sobre o futebol feminino em Tóquio 2020

Nascida em Guarulhos, Ludmila da Silva foi criada em conjunto habitacional na zona norte de São Paulo. Com apenas um ano, ela foi deixada pela mãe em um orfanato junto com sua irmã mais velha, Sheila. Aos três anos, foi morar com sua a tia em uma casa com 13 pessoas. 

Capoeirista e velocista dos gramados

Na escola de tempo integral, Ludmila achou sua válvula de escape. Praticava capoeira e nem sequer gostava de futebol. Logo depois, surgiu o interesse pelo atletismo. Ela corria os 100 m livres, 100 m com barreiras e revezamento 4 x 100 m ao lado da irmã. Mas com 15 anos, decidiu largar tudo e foi quando o futebol entrou em cena.

Ludmila foi fazer um teste no Clube Atlético Juventus, da Mooca, e chamou atenção pela sua velocidade. A avaliadora? Emily Lima, ex-treinadora da seleção feminina. Mesmo com pouca intimidade com a bola e dificuldades técnicas, Ludmila fez treinos sobre fundamentos técnicos e aos poucos evoluiu. 

A evolução foi notada e, após a primeira experiência no Juventus, Ludmila passou por São José, Portuguesa, Santos, Rio Preto e, novamente, São José, onde também foi treinada por Emily Lima. E foi no time joseense que ela se destacou mais.

Lá venceu o Campeonato Paulista de Futebol Feminino e os Jogos Abertos, além de ser vice-campeã da Copa do Brasil de Futebol Feminino de 2014. No mesmo ano, porém, veio o título mais importante vestindo a camisa do São José: o da Copa Libertadores Feminina.

Ludmila comemora gol com mortal que aprendeu na aula de capoeira (Arthur Marega / São José Futebol Feminino)

Fazendo história na Espanha

Neste meio tempo, Ludmila foi chamada para integrar o elenco da seleção brasileira no Campeonato Sul-Americano de Futebol Feminino Sub-20 de 2014. Nele, a atacante fez três gols, um deles no jogo do título contra o Paraguai.

Três anos depois, em 2017, veio a primeira convocação para a seleção brasileira principal, na época sob comando justamente de Emily Lima. No mesmo ano, Ludmila se despediu dos gramados brasileiros para defender a camisa do Atlético de Madrid, da Espanha. Ela foi a primeira brasileira contratada pelo time espanhol.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK 

Com a camisa madrilenha, a atacante conquistou dois títulos consecutivos do Campeonato Espanhol Feminino e fez boas atuações, com gols, na Liga dos Campeões da UEFA.

Em 2019, Ludmila teve uma das maiores experiências de sua ainda breve carreira, quando foi convocada para a Copa do Mundo para defender a seleção feminina. Entrou em campo e ajudou a seleção brasileira a chegar às oitavas de final.

Com o Atlético de Madrid, segue brilhando. Em quatro temporadas com a camisa da equipe da capital espanhola, já marcou 45 gols, sendo 15 deles em 2020/21 – a melhor marca até aqui. Já são três títulos com o time, incluindo dois nacionais (2018/19 e 2019/20).

Ludmila atlético de madrid - seleção brasileira de futebol feminino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Com a camisa do Atlético, Ludmila vem se destacando no futebol feminino europeu (Alberto Molina)

Em 2021

Como dito, Ludmila fez uma excelente temporada 2020/21 com o Atlético de Madrid. Foram 15 gols anotados, maior marca desde que a jogadora começou a jogar pela equipe da Espanha.

A atacante foi fundamental na conquista do título da Supercopa da Espanha. Com duas assistências, ajudou o Atlético de Madrid a vencer o Levante pelo placar de 3 a 0.

Na Champions League, a jogadora foi importante na campanha do time até as oitavas de final. Na partida de ida em Londres contra o Chelsea, no entanto, Ludmila desperdiçou dois pênaltis e a equipe perdeu por 2 a 0, mesmo jogando 77 minutos com uma jogadora a mais. No jogo de volta, o Atlético de Madrid empatou em 0 a 0 e foi eliminado.

As boas atuações na temporada levaram a jogadora a integrar a lista das 18 atletas que representarão a seleção feminina em Tóquio

Confira o perfil de TODAS as jogadoras que representarão o Brasil em Tóquio

Goleiras: Bárbara (Avaí/Kindermann), Letícia Izidoro (Benfica-POR) e Aline Reis (Tenerife-ESP)

Defensoras: Poliana (Corinthians), Bruna Benites (Internacional), Rafaelle (Palmeiras), Erika (Corinthians), Tamires (Corinthians), Jucinara (Levante-ESP) E Letícia Santos (Frankfurt-ALE)

Meio-Campistas: Marta (Orlando Pride-EUA), Formiga (São Paulo), Andressinha (Corinthians), Júlia Bianchi (Palmeiras), Duda (São Paulo), Debinha (North Carolina Courage), Adriana (Corinthians) e Andressa Alves (Roma-ITA)

Atacantes: Ludmila (Atlético de Madrid-ESP), Bia Zaneratto (Palmeiras), Geyse (Madrid CFF) e GIovana Queiroz (Barcelona-ESP).

viagra