Siga o OTD

Peso meio-médio masculino 69kg

Peso meio-médio masculino 69kg – Boxe – Jogos Olímpicos Tóquio 2020 

 

Chances do Brasil no peso meio-médio masculino 69kg nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020

O Brasil não ter representantes no peso meio-médio masculino 69kg em Tóquio.

+ Veja a lista dos brasileiros classificados para os Jogos

O Brasil no peso meio-médio masculino 69kg dos Jogos Olímpicos

boxe mayke de carvalho
Mayke Carvalho foi o último representante do Brasil no peso meio-médio em Jogos Olímpicos (Reprodução)

O peso meio-médio é um dos que possuem a menor tradição no Brasil. Foram apenas quatro boxeadores nacionais que subiram ao ringue olímpico nessa categoria, sem conquistarem resultados muito expressivos. Nem mesmo na Rio-2016, quando o Brasil sediou o evento, o país conseguiu classificar seu representante nesse peso.

O primeiro brasileiro entre os meio-médios foi Alexandre Dib, em Helsinque-1952, que foi derrotado em sua primeira luta contra o dinamarquês Victor Jorgensen, se despedindo na 17ª colocação. O país voltou a figurar na categoria na edição da Cidade do México-1968. O cearense Expedido Alencar começou sua trajetória vencendo Tadesse Gebregiorgis, da Etiópia, mas acabou caindo na segunda rodada diante do representante da Alemanha Oriental, Manferd Wolke, por 5 a 0, encerrando sua participação na nona colocação.

Na edição de Seul-1988 foi a vez de Wanderley Oliveira defender as cores do Brasil entre os meio-médios. O paulistano acabou sendo superado por um boxeador de Zâmbia logo em seu primeiro confronto e se despediu da capital sul-coreana na 33ª colocação. Nosso último representante foi Mayke de Carvalho, em Londres-2012, que caiu na estreia diante do americano Errol Spence por 16 a 10, se despedindo na 17ª colocação.

Favoritos do peso meio-médio masculino 69kg nos Jogos de Tóquio-2020

Boxe Andrey Zamkovoy
O russo Andrey Zamkovoy é apontado como um dos favoritos ao pódio em Tóquio no meio-médio (Reprodução)

Atual campeão mundial o russo Andrey Zamkovoy é um dos principais nomes do ciclo olímpico na categoria meio-médio. Após um ciclo olímpico sem muito destaque, quando perdeu na primeira rodada da Rio-2016 para um queniano, o experiente boxeador russo voltou a apresentar bons resultados. Aos 33 anos, Andrey foi medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres-2012 e tentará voltar ao pódio olímpico 9 anos depois.

O cubano Roniel Iglesias conquistou a medalha de prata no mundial de 2017 e acabou eliminado nas quartas de final do mundial de 2019, repetindo sua posição das Olimpíadas de 2016. Medalhista de bronze em Pequim-2008 e campeão olímpico em Londres-2012, o cubano que é um dos maiores nomes da história do esporte da ilha caribenha tentará retornar ao pódio após passar em branco em 2016. O experiente cubano chega como campeão Pan-Americano de Lima-2019 e assim como Andrey Zamkovoy promete dar trabalho para as novas estrelas da categoria.

Entre as estrelas ascendentes está Pat McComarck, britânico de 25 anos que foi vice-campeão mundial de 2019, perdendo a final para o russo Zamkovoy. Além da prata mundial, o boxeador britânico foi medalhista de ouro dos Jogos Europeus de 2019 e dos Jogos da Comunidade Britânica de 2018, além de ter sido medalhista de prata no Campeonato Europeu de 2017.

Ablaikhan Zhussupov, do Cazaquistão, e Bobo-Usmon Baturov, do Uzbequistão, tentarão manter a tradição das ex-nações soviéticas na categoria. Zhussupov, de 24 anos, foi medalhista de bronze nos mundiais de 2017 e 2019, além de ter sido campeão dos Jogos Olímpicos da Juventude de Nanjing-2014 e medalhista de prata no Campeonato Asiático de 2019.

Já Baturov, de 26 anos, foi medalhista de bronze no mundial de 2019 e campeão dos Jogos Asiáticos de 2018 e do Campeonato Asiático de 2019, derrotando na final o cazaque Zhssupov. Correm por fora o dominicano Rohan Polanco, o japonês Sewonrets Okazawa, e o jordaniano Zeyad Eashash.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Histórico do peso meio-médio masculino 69kg nos Jogos Olímpicos

Mais uma categoria que esteve presente desde a estreia da modalidade em Jogos Olímpicos, o peso meio-médio tem como maior vencedor o Cazaquistão, detendo quatro medalhas de ouro. Em segundo lugar aparecem os Estados Unidos com três medalhas de ouro, duas de prata e quatro de bronze, seguido por Cuba, Polônia e Rússia, com duas medalhas de ouro cada, mas com vantagem cubana nas medalhas de prata. Atualmente a categoria engloba boxeadores entre os 64 e 69 kg e terá em Tóquio sua 25ª edição em Jogos Olímpicos. O peso meio-médio é uma das categorias em que o Brasil menos tem tradição em Olimpíadas.

O primeiro pódio da categoria foi formado apenas por americanos, assim como todas as outras que fizeram parte da primeira edição do evento, já que apenas boxeadores do país fizeram parte do torneio. A medalha de ouro de Saint-Louis-1904 ficou com Albert Young e a prata com Harry Spanjer.

Em 1920, nas Olimpíadas de Antuérpia, a categoria retornou ao programa olímpico sendo vencida pelo canadense Bert Scheneider, que derrotou na final o britânico Alexander Ireland.

Quatro anos depois foi a vez do belga Jean Delarge se sagrar campeão olímpico ao derrotar o argentino Héctor Mendez na grande final de Paris-1924. O Canadá ficou com o bronze através de Douglas Lewis. A edição seguinte, Amsterdã-1928, foi vencida por Ted Morgan, da Nova Zelândia, que derrotou na final o argentino Raúl Landini. As duas medalhas de prata conquistadas em sequência mostram a força que o país latino-americano possuía no boxe daquela época, já que os argentinos também brilhavam em outras categorias.

Os Estados Unidos voltaram a ser campeões 28 anos após o primeiro título olímpico do peso meio-médio. Edward Flynn conquistou a medalha de ouro derrotando na final o alemão Erich Camp nas olimpíadas de 1932. Por coincidência os dois títulos do país da América do Norte foram conquistados em suas próprias terras, primeiro em Saint-Louis e agora em Los Angeles. A edição seguinte, Berlim-1936, foi vencida pelo finlandês Sten Suvio, derrotando na final o alemão Michael Murach.

Após as duas edições suspensas pela Segunda Guerra Mundial, o boxe retornou juntamente com as Olimpíadas em Londres-1948. Representante da extinta Tchecoslováquia, Július Torma foi o campeão do meio-médio naquele ano, derrotando na final o americano Hank Herring. Alessandro D’Ottavio, da Itália, completou o pódio.

Quatro anos depois, em Helsinque-1952, a categoria foi vencida por Zygmunt Chychla, da Polônia. A medalha de Zygmunt, conquistada contra o soviético Sergei Scherbakov, foi a primeira medalha de ouro conquistada pela Polônia após a Segunda Grande Guerra.

Nicolae Linca, da Romênia, sagrou-se campeão olímpico em Melbourne-1956, derrotando por pontos na final o irlandês Frederick Tiedt. Os bronzes ficaram com a Grã-Bretanha e a Austrália. Já em Roma-1960 o ouro da categoria ficou com o dono da casa, o italiano Nino Benvenuti, que derrotou na final o soviético Yuri Radonyak por 4 a 1.

A Polônia conquistou sua segunda medalha de ouro na categoria peso meio-médio em Tóquio-1964 com Marian Kasprzyk. Medalhista de bronze quatro anos antes em uma categoria mais leve, o polonês derrotou na final o representante da União Soviética, Ricardo Tumulis, por 4 a 1. Já nos Jogos Olímpicos da Cidade do México-1968 o ouro foi conquistado por Manfred Wolke, da Alemanha Oriental, que derrotou na final o pugilista Joseph Bessala, de Camarões. A medalha de Bessala, e de Camarões, foi a primeira conquistada por um país africano nessa categoria de peso. Bronzes para a Argentina, de Mario Guillot, que retornava ao pódio do meio-médio após oito edições, e para a União Soviética de Vladimir Musalimov.

Uma das maiores potências olímpicas da modalidade apareceu pela primeira vez no pódio desta categoria na edição de Munique-1972. Cuba estreou no pódio logo com a medalha de ouro de Emilio Correa, derrotando na final o húngaro János Kajdi por 5 a 0. Dick Murunga, do Quênia, e Jesse Valdez, dos Estados Unidos, completaram o pódio. A Alemanha Oriental de Jochen Bachfeld conquistou o ouro da edição seguinte, em Montreal-1976. Prata para a Venezuela de Pedro Gamarro.

Boxe Daniyar Yeleussinov
Daniyar Yeleussinov em ação na Rio-2016, quando deu ao Cazaquistão o quarto ouro olímpico no peso meio-médio (Reprodução)

Cuba retornou ao topo do pódio olímpico em Moscou-1980. Na edição marcada pelo boicote dos Estados Unidos e outros países capitalistas aos Jogos Olímpicos disputados em terras soviéticas, Andrés Aldama se sagrou campeão olímpico ao derrotar na final John Mugabi, de Uganda, por 4 a 1. Aldama, que já havia sido medalhista de prata quatro anos antes em uma categoria mais leve, chegou aos Jogos como campeão Pan-Americano de 1979 e um dos favoritos ao pódio.

Quatro anos depois os papéis se invertiam e quem boicotava os Jogos Olímpicos em Los Angeles-1984 era a União Soviética e demais países do bloco socialista. Assim, os Estados Unidos aproveitaram a ausência de grandes potências e retornaram ao topo do pódio entre o peso meio-médio, que não vinha desde 1932, em edição também disputada em Los Angeles. Mark Braland, que na final derrotou Na Young-Su, da Coreia do Sul, deu aos Estados Unidos a terceira medalha de ouro nesse peso, tornando o país no primeiro a deter três títulos olímpicos.

Em Seul-1988 o continente africano chegava ao topo do pódio na categoria pela primeira vez com Robert Wangila, do Quênia. Na final o queniano venceu por nocaute o francês Laurent Boudouani, conquistando a segunda medalha nessa categoria para o seu país.

Os Jogos Olímpicos de Barcelona-1992 foram vencidos por Michael Carruth, da Irlanda. Após vencer três combates o irlandês se encontrou na final com o grande favorito ao ouro, o cubano Juan Hernandéz Sierra, que havia sido campeão mundial um ano antes, em 1991. Vitória de Carruth por 13 a 10.

As duas edições seguintes foram marcadas pela conquista do primeiro bicampeonato olímpico no peso meio-médio. O responsável pelo feito foi o russo Oleg Saitov. Em Atlanta-1996 o russo conquistou a sua primeira dourada, e a primeira de seu país, ao derrotar na final o cubano Juan Hernandéz Sierra, que chegou aos Jogos ainda mais favorito do que era na edição de 1992, já que naquele ciclo ele havia sido bicampeão mundial da categoria em 1993 e 1995.

Entretanto, o jovem russo de 22 anos colocou um fim ao sonho da medalha olímpica dourada do cubano, devolvendo a derrota que havia sofrido um ano antes na final do Campeonato Mundial.

Quatro anos depois, em Sydney-2000, Saitov voltou a conquistar a medalha de ouro, mas dessa vez o pugilista detinha um grande favoritismo na categoria. O então campeão olímpico só teve trabalho no torneio contra o azeri Ruslan Khairov nas quartas de final, quando foi declarado vencedor após um empate em 10 a 10. Em todos os outros confrontos o russo venceu com facilidade, inclusive na final contra o ucraniano Sergey Dotsenko. Assim, Saitov se tornava o primeiro, e até hoje único, bicampeão olímpico entre os meio-médios e a Rússia a primeira bicampeã de forma consecutiva.

Até então ausente em pódios olímpicos, o Cazaquistão mostrou sua força a partir de Atenas-2004, conquistando todos os ouros desde aquela edição e se tornando o país mais vencedor na categoria. O primeiro campeão do país foi Bakhtiyar Artayev em Atenas-2004. Durante sua campanha pelo ouro ele derrotou nas semifinais o até então bicampeão olímpico Oleg Saitov por 20 a 18. Já na final, venceu o cubano Lorenzo Aragón por 36 a 26. Lorenzo era o grande favorito ao ouro, tendo dominado o ciclo olímpico conquistando os dois mundiais da categoria, disputados em 2001 e 2003, além de ter sido campeão do Pan-Americano de Santo Domingo, mas acabou não resistindo ao jovem cazaque de 21 anos.

A segunda medalha dourada do Cazaquistão veio na edição seguinte, em Pequim-2008, com Bakhyt Sarsekbayev. Novamente a final envolveu Cuba e Cazaquistão, e novamente a história sorriu para o país asiático. Vitória de Daniyar sobre Carlos Banteux por 18 a 9. A terceira medalha de ouro do Cazaquistão foi conquistada por Serik Sapiyev em Londres-2012. Medalhista de bronze na categoria no Campeonato Mundial de 2009 e vice-campeão em 2011, o cazaque chegou como um dos favoritos ao pódio e derrotou na final o dono da casa, o britânico Fred Evans.

O atual campeão olímpico Daniyar Yeleussinov levou para o Cazaquistão a quarta medalha de ouro consecutiva dos meio-médios. Campeão mundial em 2013 e vice-campeão em 2015, Daniyar levou a medalha de ouro contra o uzbeque Shakhram Giyasov.

Medalhistas do peso meio-médio masculino 69kg nos Jogos Olímpicos

JogosOuroPrataBronze
St. Louis 1904Al Young (USA)Harry Spanjer (USA)Joe Lydon (USA)
Antuérpia 1920Bert Schneider (CAN)Alex Ireland (GBR)Fred Kolberg (USA)
Paris 1924Jean Delarge (BEL)Héctor Méndez (ARG)Doug Lewis (CAN)
Amsterdã 1928Ted Morgan (NZL)Raúl Landini (ARG)Ray Smillie (CAN)
Los Angeles 1932Eddie Flynn (USA)Erich Campe (GER)Bruno Ahlberg (FIN)
Berlim 1936Sten Suvio (FIN)Michael Murach (GER)Gerhard Pedersen (DEN)
Londres 1948Július Torma (TCH)Hank Herring (USA)Alessandro D’Ottavio (ITA)
Helsinque 1952Zygmunt Chychła (POL)Sergey Shcherbakov (URS)Viktor Jørgensen (DEN)
Günther Heidemann (GER)
Melbourne1956Nicolae Linca (ROU)Fred Tiedt (IRL)Kevin Hogarth (AUS)
Nicky Gargano (GBR)
Roma 1960Nino Benvenuti (ITA)Yury Radonyak (URS)Lech Drogosz (POL)
Jim Lloyd (GBR)
Tóquio 1964Marian Kasprzyk (POL)Ričardas Tamulis (URS)Pertti Purhonen (FIN)
Silvano Bertini (ITA)
Cidade do México 1968Manfred Wolke (GDR)Joseph Bessala (CMR)Vladimir Musalimov (URS)
Mario Guilloti (ARG)
Munique 1972Emilio Correa (CUB)János Kajdi (HUN)Dick Murungam (KEN)
Jesse Valdez (USA)
Montreal 1976Jochen Bachfeld (GDR)Pedro José Gamarro (VEN)Reinhard Skricek (FRG)
Victor Zilberman (ROU)
Moscou 1980Andrés Aldama (CUB)John Mugabi (UGA)Karl-Heinz Krüger (GDR)
Kazimierz Szczerba (POL)
Los Angeles 1984Mark Breland (USA)An Yeong-Su (KOR)Joni Nyman (FIN)
Luciano Bruno (ITA)
Seul 1988Robert Wangila (KEN)Laurent Boudouani (FRA)Jan Dydak (POL)
Kenny Gould (USA)
Barcelona 1992Michael Carruth (IRL)Juan Hernández Sierra (CUBAníbal Acevedo (PUR)
Arkom Chenglai (THA)
Atlanta 1996Oleg Saitov (RUS)Juan Hernández Sierra (CUB)Marian Simion (ROU)
Daniel Santos (PUR)
Sydney 2000Oleg Saitov (RUS)Serhiy Dotsenko (UKR)Dorel Simion (ROU)
Vitalie Gruşac (MDA)
Atenas 2004Bakhtiyar Artayev (KAZ)Lorenzo Aragón (CUB)Kim Jeong-Ju (KOR)
Oleg Saitov (RUS)
Pequim 2008Bakhyt Sarsekbayev (KAZ)Carlos Banteux (CUB)Hanati Silamu (CHN)
Kim Jeong-Ju (KOR)
Londres 2012Serik Sapiyev (KAZ)Fred Evans (GBR)Taras Shelestiuk (UKR)
Andrey Zamkovoy (RUS)
Rio 2016Daniyar Yeleusinov (KUZ)Shakhram Giyasov (UZB)Mohammed Rabii (MAR)
Souleymane Cissokho (FRA)

Quadro de medalhas geral do peso meio-médio masculino 69kg nos Jogos Olímpicos

PaísOuroPrataBronzeTotal
Cazaquistão4004
Estados Unidos3249
Cuba2406
Polônia2035
Rússia2024
Alemanha Oriental2013
Irlanda1102
Finlândia1034
Itália1034
Romênia1034
Canadá1023
Quênia1012
Bélgica1001
Tchecoslováquia1001
Nova Zelândia1001
União Soviética0314
Grã-Bretanha0224
Argentina0213
Alemanha0213
Coreia do Sul0123
França0112
Ucrânia0112
Camarões0101
Hungria0101
Uganda0101
Uzbequistão0101
Venezuela0101
Dinamarca0022
Porto Rico0022
Austrália0011
Marrocos0011
China0011
Moldávia0011
Tailândia0011
Alemanha Ocidental0011