Siga o OTD

Marina Fioravanti Costa

Marina Fioravanti – rúgbi feminino – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento: São Bernardo do Campo/SP
Idade: 27 anos (06/10/1993)
Altura: 1,69m
Peso: 64kg
Clube: Bandeirantes Rugby/SP

Marina Fioravanti Costa, mais conhecida como Marina Fioravanti, é centro do Bandeirantes Rugby, de São Paulo, e representará a seleção brasileira de rúgbi feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ CONFIRA TUDO SOBRE O RÚGBI NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

Espera longa até receber chances na seleção

Após a Rio-2016, quando o rúgbi marcou presença no calendário olímpico depois de 92 anos de espera, um novo ciclo começava. Tanto para os países quanto para os atletas. Naquela edição, a primeira na história, o Brasil assegurou o 9º lugar geral. A expectativa e o sonho para Tóquio 2020 é justamente quebrar essa marca.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Para isso, foram anos de preparação, com diversas competições ao redor do mundo. De lá para cá, envolvendo grandes eventos, as Yaras disputaram os Jogos Sul-Americanos de Cochamba (2018) e a Copa do Mundo de São Francisco (2018), além do Pré-Olímpico e dos Jogos Pan-Americanos, ambos realizados em Lima, no Peru, em 2019. Marina Fioravanti, centro do Bandeirantes Rugby-SP, contudo, não foi convocada para nenhum desses torneios.

Marina Fioravanti - rúgbi feminino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Marina Fioravanti ao lado do técnico das Yaras, Will Broderick. (Foto: Instagram/ma_fioravanti)

+ CONFIRA TUDO SOBRE AS PARTIDAS DA SELEÇÃO FEMININA NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

Em agosto de 2020, houve mudança no comando técnico da seleção brasileira. O neozelandês Reuben Samuel foi substituído no cargo, dando lugar ao inglês Will Broderick. A partir dali, a atleta de 27 anos passou a ter mais oportunidades. A mudança foi fundamental para que ela fosse chamada para os Jogos Olímpicos de Tóquio alguns meses depois.

Em 2021

Sendo observada de perto pela seleção, Marina fez parte do grupo que viajou aos Emirados Árabes para dois torneios amistosos. Tratava-se do Emirates Invitational de rúgbi sevens, em Dubai, para encarar oponentes da Série Mundial. No primeiro, durante a fase de grupos, o Brasil passou por cima de França, Japão e Quênia, mas tropeçou em Canadá e Estados Unidos. Na sequência, reencontro com as francesas, que levaram a melhor e deixaram as Yaras em quarto lugar.

Marina Fioravanti - rúgbi feminino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Fioravanti com o rúgbi em ação, em 2019. (Foto: Instagram/ma_fioravanti)

+ SAIBA TUDO E MAIS UM POUCO SOBRE OS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

A segunda edição do evento contava novamente com os mesmos países. E a seleção brasileira repetiu o desempenho também. Desta vez, encarou as estadunidenses na briga pelo bronze, quando as rivais levaram a melhor com o placar de 24 a 19. As competições serviram como preparação para Fioravanti e companhia, em reta final visando os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

viagra