Siga o OTD

Beatriz Linhares da Silva

Beatriz Linhares – ginástica rítmica – conjunto – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento: Florianópolis/SC
Idade: 18 anos (04/02/2003)
Altura: 1,58m
Pan: 1 (Lima-2019)

PAN
– Lima-2019 (3 arcos + 2 pares de maças)
– Lima-2019 (5 bolas)
– Lima-2019 (grupo geral)

Multicampeã pan-americana com apenas 18 anos, Beatriz Linhares da Silva, mais conhecida como Beatriz Linhares, é uma ginasta que representará o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 nas provas de conjunto da ginástica rítmica.

+ CONFIRA TUDO SOBRE A GINÁSTICA RÍTMICA NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

Em Tóquio, terá a companhia de Deborah Medrado, Geovanna Santos, Maria Eduarda Arakaki e Nicole Pírcio.

Balé? A catarinense Bia queria saber mesmo era de ginástica

Apesar da pouca idade, quando mais nova, Beatriz Linhares foi aprovada na seletiva brasileira da Escola do Teatro Bolshoi para dançar balé. A mãe logo perguntou qual era o desejo da filha, que nem titubeou e rapidamente disse que gostaria de seguir com a ginástica. A atleta nascida em Florianópolis treina desde os 9 anos.

O início aconteceu na ADIEE (Associação Desportiva Instituto Estadual de Educação), na capital catarinense. Lá começou a carreira e rapidamente se destacou. Logo aos 15, recebeu a primeira convocação para a seleção brasileira, onde continua até hoje.

Hoje aos 18, ela já virou inspiração para as garotas que treinam atualmente no mesmo local. Bia esteve ali há pouco tempo e em breve viajará ao Japão para disputar os primeiros Jogos Olímpicos da carreira. Para a próxima geração de ginastas na cidade, Bia será sempre o maior exemplo.

Ouro em Lima e vaga olímpica no Rio com apenas 18 anos de idade

Há dois anos, em Lima, no Peru, Beatriz Linhares teve a oportunidade de participar de uma grande competição entre países. Os Jogos Pan-Americanos já dão aquele gostinho de que a Olimpíada está chegando. Com a seleção brasileira de ginástica rítmica, na categoria do conjunto, a estreia no torneio foi de tirar o fôlego: uma medalha de ouro (três arcos e dois pares de maças) e duas medalhas de bronze (cinco bolas bolas e grupo geral).

Beatriz Linhares - ginástica rítmica - conjunto - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
A vibração de Beatriz Linhares após a conquista da vaga para a Olimpíada. Foto: Ricardo Bufolin/CBG

As companheiras de equipe na capital peruana foram Vitória Guerra, Camila Rossi, Deborah Medrado e Nicole Pírcio. As duas últimas, inclusive, ao lado de Beatriz, Geovanna Santos e Duda Arakaki, foram convocadas pela treinadora Camila Ferezin para Tóquio 2020.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

A confirmação da classificação para os Jogos Olímpicos rolou há cerca de um mês, no Rio de Janeiro, durante o Campeonato Pan-Americano da modalidade. Em grande atuação, o time brasileiro conquistou a medalha de ouro ao bater o México em duelo apertado, deixando o rival com a prata. Os Estados Unidos completaram o pódio. Tem estrela, hein, Bia?! A ficha ainda não caiu para ela…

Mudança para Aracaju com a seleção e saudade da família

Para seguir o sonho de se tornar atleta olímpica, Beatriz Linhares teve de tomar uma difícil decisão ainda no começo de sua trajetória. Depois de ganhar os Jogos Escolares de Santa Catarina em 2017 e de participar de uma seletiva para representar o Brasil, deixou família e amigos em Floripa para morar em Aracaju, em Sergipe, e treinar juntamente com a seleção brasileira.

Beatriz Linhares - ginástica rítmica - conjunto - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Bia ao centro, juntamente com o restante da equipe que faturou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019. Foto: Reprodução/Instagram

+ CONFIRA TUDO SOBRE AS PROVAS DE CONJUNTO NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

A saudade apertava bastante nos primeiros meses, mas aos poucos foi se tornando uma mudança mais natural. As ligações aos domingos ajudam a encurtar a distância. Cada atividade com o restante das meninas tem média de duração entre 8 e 10 horas por dia. Bia treina bastante para se sentir preparada e dar o seu melhor na hora da prova. Na quadra, pretende se manter o mais calma possível e esquecer a pressão externa para alcançar a melhor performance em Tóquio.

Em 2021

Além da medalha de ouro e a vaga olímpica conquistadas no Rio durante a disputa do Pan-Americano de ginástica rítmica, o Brasil registrou outro resultado relevante às vésperas da Olimpíada. Com Beatriz Linhares e companhia, a equipe disputou a decisão em duas categorias da etapa de Baku da Copa do Mundo.

Na ocasião, a seleção brasileira ficou em 8º lugar nas cinco bolas e na 7ª colocação na prova mista (três arcos e duas maças). Ainda antes de Tóquio 2020, o conjunto terá uma parada em Israel para atuar no Grand Prix de Tel Aviv de ginástica rítmica, entre os dias 17 e 21 de julho.

viagra