Siga o OTD

Espada por equipes masculina

Espada por equipes masculinaJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Esgrima – Espada por equipes masculina

Chances do Brasil

Nicolas Ferreira, Alexandre Camargo e Athos Schwantes

Em Lima 2019, o Brasil tenta quebrar um jejum de 44 anos sem medalhas nesta prova. E para tanto, vai com um trio que evoluiu nos últimos anos e chega mais maduro para a competição.

A equipe brasileira será encabeçada pelo veterano e líder do ranking nacional, Athos Schwantes e contará ainda com Alexandre Camargo e Nicolas Ferreira, que formam hoje o top 3 brasileiro.

Local de competição

Centro de Convenções de Lima

Nossos pódiosEspada por equipes masculina

Ao longo das 17 edições de Pan-Americanos em que a categoria espada por equipes masculina foi disputada, o Brasil conseguiu subir ao pódio em quatro oportunidades. Inclusive, o país faturou a medalha de prata três vezes consecutivas, entre 1963 e 1971. Na edição seguinte, em 1975, o Brasil foi bronze e desde então, não voltou mais ao top 3. Fato curioso é que Ronaldo Schwantes esteve nesta última conquista brasileira e agora seu filho, Athos, pode repetir o feito.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1951  Argentina  EUA  Cuba
1955  Argentina  EUA  Venezuela
1959  EUA  Cuba  Argentina
1963  EUA  Brazil  Argentina
1967  EUA  Brazil  Venezuela
1971  EUA  Brazil  Cuba
1975  EUA  Cuba  Brazil
1979  EUA  Cuba  Argentina
1983 Vago  Canada  EUA
1987  Cuba  EUA  Colombia
1991  Cuba  Colombia  EUA
1995  Cuba  EUA  Colombia
1999  Cuba  Chile  Colombia
2003  Cuba  Venezuela  Puerto Rico
2007  Cuba  Venezuela  EUA
2011  EUA  Venezuela  Canada
2015  Venezuela  EUA  Cuba

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  EUA 7 5 3 15
2  Cuba 6 3 3 12
3  Argentina 2 0 3 5
4  Venezuela 1 3 2 6
5  Brasil 0 3 1 4
6  Colômbia 0 1 3 4
7  Canadá 0 1 1 2
8  Chile 0 1 0 1
9  Porto Rico 0 0 1 1

A provaEspada por equipes masculina

A esgrima consiste no combate entre atletas, que se utilizam de uma “arma-branca” para atacar e defender. É, porém, a o único esporte de combate em que não é permitido contato corporal.

Os combates são realizados em uma pista de 14 metros de comprimento e 1,5 a 2 metros de largura, sendo que os esgrimistas são posicionados a uma distância de dois metros um do outro.

O objetivo é tocar o adversário com a ponta da arma sem ser tocado e os pontos são definidos por meio de um sensor, que identifica quando um esgrimista foi tocado em sua superfície válida.

A espada é a maior das armas, com 110 centímetros, a mais pesada (770 gramas) e a mais rígida. É também a única em que os pontos são marcados quando a ponta atinge qualquer parte do corpo do adversário.

Na disputa por equipes, times de três competidores se enfrentam em nove séries de três minutos. Vence aquele que acumular mais pontos, ou atingir o adversário 45 vezes – justamente o triplo em relação ao individual.