Siga o OTD

Bocha

Bocha nos Jogos Paralímpicos de Tóquio-2020

NOTÍCIAS   GUIA DA PARALIMPÍADA CALENDÁRIO   QUADRO DE MEDALHAS TÓQUIO TODO DIA 

CALENDÁRIO

DataProvaHorário/Resultado
BC1 - Grupo B - Andreza Vitória de Oliveira (BRA) x Witsanu Huadpradit (TAI)
BC1 - Grupo C - Guilherme Moraes (BRA) x Daniel Perez (HOL)
BC3 - Grupo B - Evani Calado (BRA) x José Macedo (POR)
BC3 - Grupo C - Mateus Carvalho (BRA) x Keisuke Kawamoto (JAP)
BC2 - Grupo C - Maciel Santos (BRA) x Yongjin Lee (COR)
BC4 - Grupo E - Eliseu dos Santos (BRA) x Marcelo dos Santos (BRA)
BC1 - Grupo B - Andreza Vitória de Oliveira (BRA) x Chew Wei Lun (MAS)
BC1 - Grupo D - José Carlos Chagas de Oliveira (BRA) x André Ramos (POR)
BC3 - Grupo D - Evelyn Vieira de Oliveira (BRA) x Maria Bjurstrom (SUE)
BC2 - Grupo D - Natali de Faria (BRA) x Nadav Levi (ISR)
BC4 - Grupo E - Eliseu dos Santos (BRA) x Sergey Safin (RUS)
BC4 - Grupo E - Marcelo dos Santos (BRA) x Yuk Wing Leung (HGK)
BC1 - Grupo C - Guilherme Moraes (BRA) x Olga Dolgova (RUS)
BC1 - Grupo B - Andreza Vitória de Oliveira (BRA) x Sungjoon Jung (COR)
BC3 - Grupo D - Evelyn Vieira de Oliveira (BRA) x Somboon Chaipanich (TAI)
BC2 - Grupo D - Natali de Faria (BRA) x Watcharaphon Vongsa (TAI)
BC1 - Grupo B - Andreza Vitória de Oliveira (BRA) x Katerina Curinova (TCH)
BC1 - Grupo D - José Carlos Chagas de Oliveira (BRA) x Yuriko Fujii (JAP)
BC3 - Grupo B - Evani Calado (BRA) x Yuen Kei Ho (HGK)
BC3 - Grupo C - Mateus Carvalho (BRA) x Tak Wah Tse (HGK)
BC2 - Grupo C - Maciel Santos (BRA) x Luis Cristaldo (ARG)
BC1 - Grupo C - Guilherme Moraes (BRA) x Mikhail Gutnik (RUS)
BC1 - Grupo D - José Carlos Chagas de Oliveira (BRA) x Tomas Kral (ESQ)
BC3 - Grupo B - Evani Calado (BRA) x Hansoo Kim (COR)
BC3 - Grupo C - Mateus Carvalho (BRA) x Howon Jeong (COR)
BC2 - Grupo C - Maciel Santos (BRA) x Claire Taggart (GBR)
BC4 - Grupo E - Eliseu dos Santos (BRA) x Yuk Wing Leung (HGK)
BC4 - Grupo E - Marcelo dos Santos (BRA) x Sergey Safin (RUS)
BC4 - Grupo C - Guilherme Moraes (BRA) x Subin Tipmanee (TAI)
BC3 - Grupo D - Evelyn Vieira de Oliveira (BRA) x Daniel Michel (AUS)
BC2 - Grupo D - Natali de Faria (BRA) x Nelson Fernandes (POR)
BC2 – Quartas de Final - Maciel Santos (BRA) x Hiu Lam Yeung (HGK)
BC3 – Quartas de Final - Evelyn Vieira de Oliveira (BRA) x Scott McCowan (GBR)
BC4 – Quartas de Final - Yuansen Zheng (CHN) x Eliseu dos Santos (BRA)
BC1 – Quartas de Final - José Carlos Chagas de Oliveira (BRA) x Daniel Perez (HOL)
BC2 – Semifinal x
BC3 – Semifinal - Maciel Santos (BRA) x Hidetaka Sugimura (JAP)
BC1 – Semifinal x
BC4 – Semifinal x
BC2 – Disputa do bronze - Maciel Santos (BRA) x Worawut Saengampa (TAI)
BC4 – Disputa do bronze x
BC1 – Disputa do bronze - José Carlos Chagas de Oliveira (BRA) x André Ramos (POR)
BC3 – Disputa do bronze x
BC4 – Final x
BC3 – Final x
BC1 – Final x
BC2 – Final x
Pares BC4 - Grupo A - Eslováquia x Brasil
Equipe BC1/BC2 - Grupo B - Brasil x Portugal
Pares BC4 - Grupo A - Grã-Bretanha x Brasil
Pares BC3 - Grupo B - Brasil x Portugal
Equipe BC1/BC2 - Brasil x Eslováquia
Pares BC4 - Grupo A - Canadá x Brasil
Pares BC3 - Grupo B - Hong Kong x Brasil
Pares BC4 - Grupo A - Portugal x Brasil
Equipe BC1/BC2 - Grupo B - Brasil x Coreia do Sul
Pares BC3 - Grupo B - Austrália x Brasil
Equipe BC1/BC2 - Grupo B - Japão x Brasil
Pares BC3 - Grupo B - Brasil x Japão
Pares BC3 – Semifinal x
Pares BC4 – Semifinal x
Equipe BC1/BC2 – Semifinal x
Pares BC3 – Disputa do bronze x
Pares BC4 – Disputa do bronze x
Equipe BC1/BC2 – Disputa do bronze x
Pares BC4 – Final x
Pares BC3 – Final x
Equipe BC1/BC2 – Final x

Brasil na bocha

Eliseu dos Santos fala como bocha paralímpica mudou sua vida - família - Pequim - Londres - Rio - Tóquio - Dirceu
Eliseu dos Santos foi medalhista nas últimas três edições dos Jogos Paralímpicos (Daniel Zappe/EXEMPLUS/CPB)

Tradição não falta à bocha brasileira. Nas últimas três edições de Jogos Paralímpicos, o país ganhou nove medalhas, seis de ouro, uma de prata e duas de bronze e espera repetir a dose em Tóquio.

Em Pequim-2008, Dirceu Pinto, falecido o ano passado, ganhou duas medalhas de ouro: uma no individual e outra em dupla com Eliseu dos Santos, que ficou com a medalha de bronze na disputa individual também, totalizando três pódios na Paralimpíada disputada na China.

Em Londres-2012, Dirceu Pinto e Eliseu dos Santos repetiram as conquistas da Paralimpíada anterior na classe BC4, mas os feitos foram acompanhados pelo ouro no BC2, que foi ganho por Maciel Souza Santos.

Nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, o Brasil encerrou com duas medalhas: um ouro nos pares BC3, com Antonio Leme, Evelyn de Oliveira e Evani Soares, e uma prata nos pares BC4, com Eliseu dos Santos, Dirceu Pinto e Marcelo dos Santos.

Para a Paralimpíada de Tóquio-2020, o Brasil contará com uma equipe de 11 atletas. Medalhistas em edições anteriores, Eliseu dos Santos, Evani Calado, Evelyn de Oliveira e Maciel Souza Santos fazem parte do time.

Local da competição

sede da bocha nos jogos paralímpicos

Sede das ginásticas artística, rítmica e de trampolim nos Jogos Olímpicos de Tóquio, local onde Rebeca Andrade fez história com uma medalha de ouro e outra de prata, o Ariake Gymnastics Centre será o palco da bocha durante os Jogos Paralímpicos. A arena, que é temporária, tem capacidade para 12 mil torcedores.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

O esporte

Praticada por atletas com elevado grau de paralisia cerebral ou deficiências severas, a bocha paralímpica só apareceu no Brasil na década de 1970. A competição consiste em lançar as bolas coloridas o mais perto possível de uma branca (jack ou bolim). Os atletas ficam sentados em cadeiras de rodas e limitados a um espaço demarcado para fazer os arremessos. É permitido usar as mãos, os pés e instrumentos de auxílio, e contar com ajudantes (calheiros), no caso dos atletas com maior comprometimento dos membros.

A modalidade teve um antecessor nos Jogos Paralímpicos: o lawn bowls, uma espécie de bocha jogada na grama. E foi justamente no lawn bowls que o Brasil conquistou sua primeira medalha em Jogos: Róbson Sampaio de Almeida e Luiz Carlos “Curtinho” foram prata nos Jogos de Toronto, no Canadá, em 1976.

Todos os atletas da bocha competem em cadeira de rodas. Na classificação funcional, eles são divididos em quatro classes, de acordo com o grau da deficiência e da necessidade de auxílio ou não. No caso dos atletas com maior grau de comprometimento, é permitido o uso de uma calha para dar mais propulsão à bola. Os tetraplégicos, por exemplo, que não conseguem movimentar os braços ou as pernas, usam uma faixa ou capacete na cabeça com uma agulha na ponta. O calheiro posiciona a canaleta à sua frente para que ele empurre a bola pelo instrumento com a cabeça. Em alguns casos, o calheiro acaba sendo a mãe ou o pai do atleta.

BC1

Opção de auxílio de ajudantes (podem estabilizar ou ajustar a cadeira do jogador e entregar a bola, quando pedido)

BC2

Não podem receber assistência

BC3

Deficiências muito severas. Usam instrumento auxiliar, podendo ser ajudados por outra pessoa

BC4

Outras deficiências severas, mas que não recebem assistência