Siga o OTD

Dueto feminino

Dueto feminino – nado artístico – Jogos Olímpicos Tóquio 2020

Chances do Brasil

Para os Jogos de Tóquio-2020, o Brasil ainda busca classificação pelo pré-olímpico mundial e deve conseguir uma das sete vagas em jogo, mas a dupla passou por uma certa turbulência no Mundial de 2019, após um raro doping de Maria Clara Lobo por uso de diurético.

+ Veja a lista dos brasileiros classificados para a Olimpíada

Favoritas do dueto feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Não há dúvida que a Rússia é a dupla favorita. Todos os títulos olímpicos desde Sydney-2000 e de Mundiais desde Barcelona-2003 foram para as russas. Svetlana Kolesnichenko e Svetlana Romashina devem formar a dupla da Rússia para Tóquio. Kolesnichenko fez parte da equipe ouro no Rio-2016 e tem 16 ouros em Mundiais. Já Romashina soma cinco ouros olímpicos, 21 mundiais e 10 europeus e tem tudo para se isolar como a maior da história olímpica na modalidade com 7 ouros.

dueto feminino
O dueto da Rússia em Tóquio deverá ser formado por Svetlana Kolesnichenko e Svetlana Romashina (Fina)

A dupla da China é a principal concorrente das russas. Huang Xuechen e Sun Wenyan fora prata na rotina livre e na rotina técnica nos Mundiais de Kazan-2015 e de Gwangju-2019. Em 2019, até ficaram bem próximas das russas na técnica, mas na livre a diferença foi maior.

A Ucrânia tem mostrado muita evolução na modalidade e tem boas chances de pegar sua primeira medalha olímpica no nado artístico. Com três formações diferentes, o país foi bronze no dueto livre nos últimos três Mundiais.

Mas as ucranianas terão pela frente o Japão, que entra na briga pelo bronze. Competindo em casa, a dupla quer repetir o bronze do Rio-2016. Tem Yukiko Inui como remanescente dos Jogos do Rio que conta com mais um bronze olímpico na equipe em 2016 e oito bronzes em Mundiais.

Ona Carbonell, a maior medalhista da história de Mundiais, com 22 medalhas, coloca a Espanha na disputa, um pouco abaixo das outras duplas mencionadas. Itália também deve entrar no top-6.

Brasil no dueto feminino nos Jogos Olímpicos

O Brasil esteve em todas as disputas de dueto da história olímpicas. A estreia brasileira foi ainda na primeira edição da modalidade, em Los Angeles-1984, com as irmãs Paula e Tessa Carvalho. Elas ficaram em 11º lugar na qualificação com 166,292 e não passaram pra final. Em Seul-1988, Érika MacDavid e Eva Riera ficaram em 12º lugar com 171,025, também fora da decisão. Fernanda Veirano e Cristian Lobo foram as representantes brasileiras em Barcelona-1992, ficando em 15º na quali com 171,831, também fora da final.

dueto feminino carolina de moraes isabela de moraes
As irmãs Carolina e Isabela de Moraes participaram de duas Olimpíadas (Sydney-2000 e Atenas-2004), chegando à final do dueto (Reprodução)

As gêmeas Carolina e Isabela Moraes foram bronze no Pan de Winnipeg-1999 e competiram em Sydney-2000. Ficaram em 12º lugar na quali com 90,873 e colocaram o Brasil na final pela primeira vez na história olímpica, com o aumento do número de duetos que passavam de fase. Na decisão , pioraram um pouco a nota para 90,743 e ficaram na mesma 12ª posição. As irmãs foram bronze novamente no Pan de Santo Domingo-2003 e voltaram em Atenas-2004. Ficaram novamente em 12º na quali com 90,751 e em 12º na final com 90,917.

Já em Pequim-2008, o Brasil contou com Lara Teixeira e Nayara Figueira. Lara foi bronze no Pan do Rio-2007 com outra parceira, mas elas se juntaram neste ano e se classificaram para Pequim, onde terminaram em 13º lugar na qualificação com 89,001, fora da final por 0,250. A parceira seguiu como a principal do país e foi bronze no Pan de Guadalajara-2011, mas em Londres-2012 repetiram o 13º lugar na quali com 174,100 e não avançaram para a final por apenas 0,060.

No Rio-2016, a dupla foi formada por Luisa Borges e Maria Eduarda Miccuci, que repetiu a 13ª posição com 167,3341, a pouco mais de 3 pontos da final.

Histórico do dueto feminino em Jogos Olímpicos

O dueto estreou nos Jogos em Los Angeles-1984, quando o nado artístico, ainda chamada de nado sincronizado, entrou pro programa olímpico. Nesta edição, o solo também foi disputado.

As primeiras campeãs olímpicas foram as donas da casa, as americanas Candy Costie e Tracie Ruiz somando 195,584 contra 194,234 da dupla canadense. Já em Seul-1988, o Canadá deu o troco e venceu com Michelle Cameron e Carolyn Waldo com 197,717 contra 197,284 da dupla americana. Em Barcelona-1992, as gêmeas americanas Karen e Sarah Josephson, que tinham sido prata quatro anos antes, levaram o ouro com 192,175 contra 189,394 da dupla canadense. O Japão foi bronze nas três edições.

Após ficar de fora dos Jogos de Atlanta-1996, o dueto voltou em Sydney-2000 e a Rússia dominou desde então. O ouro na Austrália ficou com a dupla Olga Brusnikina e Maria Kisseleva, que foram praticamente perfeitas, com a nota final de 99.580 contra 98,650 da dupla japonesa.

Dueto feminino Russia Rio 2016
As russas Natalia Ishchenko e Svetlana Romashina são as atuais bicampeãs olímpicas do dueto feminino (Reprodução/Twitter)

Mais uma apresentação perto da perfeição das russas Anastasia Davydova e Anastasia Yermakova com 99,334 colocou o país no topo do pódio em Atenas-2004. A dupla faturou o bicampeonato olímpico em Pequim-2008 com 99,251 na final.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Londres-2012 e no Rio-2016 presenciaram o domínio de Natalia Ishchenko e Svetlana Romashina. Na final britânica somaram 197,100 para ficar com o ouro e na decisão carioca somaram 194,9910 para levar o bi.

Todos as medalhistas do dueto feminino nos Jogos Olímpicos

JogosOuroPrataBronze
Los Angeles1984Estados UnidosCanadáJapão
Seul 1988CanadáEstados UnidosJapão
Barcelona 1992Estados UnidosCanadáJapão
Sydney 2000RússiaJapãoFrança
Atenas 2004RússiaJapãoEstados Unidos
Pequim 2008RússiaEspanhaJapão
Londres 2012RússiaEspanhaChina
Rio 2016RússiaChinaJapão

Quadro geral de medalhas do dueto feminino nos Jogos Olímpicos:

PaísOuroPrataBronzeTotal
Rússia5005
Estados Unidos2114
Canadá1203
Japão0257
Espanha0202
China0112
França0011