Siga o OTD

Masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Vôlei de praia – Masculino

DISPUTA DO 15º. LUGAR

DISPUTA DO 13º. LUGAR

DISPUTA DO 11º. LUGAR

DISPUTA DO 9º. LUGAR

DISPUTA DO 7º. LUGAR

DISPUTA DO 5º. LUGAR

DISPUTA DO 3º. LUGAR

Chances do Brasil

Por conta das etapas quatro estrelas e cinco estrelas do Circuito Mundial de vôlei de praia, que serão disputadas em paralelo aos Jogos Pan-Americanos e que valem vaga para Tóquio 2020, nenhuma das duplas que estão na briga para estar na Olimpíada vão representar o Brasil em Lima. Com isso, a CBV convocou os experientes Oscar e Thiago para defenderem as cores verde e amarela na capital peruana.

Tanto Oscar quanto Thiago disputarão o torneio pela primeira vez, apesar de já terem representado o Brasil em diversas etapas de Circuito Sul-Americano, sendo ambos campeões do torneio. Thiago, de 36 anos, é o mais experiente da parceria. Ele foi campeão brasileiro na temporada 2010, ao lado de Pedro Cunha, e celebrou a oportunidade. “Representar o Brasil em uma edição dos Jogos Pan-Americanos é algo incrível, o segundo torneio mais importante das modalidades olímpicas”, disse.

Oscar e Thiago atuaram juntos entre 2014 e 2015, e após jogarem com outros parceiros, se uniram novamente neste ano. Oscar, de 34 anos, já foi campeão de três etapas do Circuito Brasileiro, duas etapas do Circuito Mundial e dezenas de etapas do Circuito Sul-Americano. O carioca comentou a convocação e a responsabilidade de defender o Brasil. “Quando retomamos essa parceria, esse ano, nosso objetivo estava nos Jogos Pan-Americanos, por isso estou muito feliz em representar mais uma vez o meu país. Estou vivendo um momento muito legal na minha carreira, fechei literalmente com chave de ouro a temporada no Brasil e joguei muito bem algumas etapas do Circuito Mundial”, disse Oscar.

Local da competição

Complexo Pan-Americano de Costa Verde

Local: San Miguel

Capacidade: 2.000 torcedores

Nossos pódio

Em Guadalajara 2011, o Brasil conquistou o título pela última vez. Na ocasião, a dupla formada por Alison e Emanuel encontrou dificuldades em certos momentos da campanha, mas cresceu na reta decisiva para levar a medalha de ouro para casa.

Fazendo parte do Grupo D na primeira fase, os brasileiros entraram precisando da vitória na última rodada. Diante de Yewddys Pérez/Germán Recio, da República Dominicana, triunfo por 2 a 0 e vaga garantida na sequência do competição. Em três jogos, duas vitórias e uma derrota.

Alison e Emanuel retomaram a confiança e não deram chances para os uruguaios Williman/Zanotta nas quartas de final: 21/16 e 21/13. Pela semi, contra Miramontes/Virgén, do México, partida extremamente equilibrada e decidida somente no momento crucial. Melhor para a dupla do Brasil, que fechou em 2 a 1 (21/19, 20/25 e 15/6).

Com moral, a medalha de ouro não tinha como escapar das mãos de Alison e Emanuel. E não escapou. O resultado de 2 sets a 0 na grande final assegurou a festa brasileira nas areias mexicanas. Ao todo, o Brasil já faturou seis medalhas no naipe masculino do vôlei de praia em Jogos Pan-Americanos.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1999 Jody Holden
Conrad Leinemann

 Canadá
Lula Barbosa
Adriano Garrido

 Brasil
Roberto Lopes
Franco Neto

 Brasil
2003 Francisco Álvarez
Juan Rossell

 Cuba
Luizão Corrêa
Paulo Emilio

 Brasil
Ramón Hernández
Raúl Papaleo

 Porto Rico
2007 Emanuel Rego
Ricardo Santos

 Brasil
Ty Loomis
Hans Stolfus

  EUA
Francisco Álvarez
Leonel Munder

 Cuba
2011 Alison Cerutti
Emanuel Rego

 Brasil
Igor Hernández
Farid Mussa

 Venezuela
Santiago Etchegaray
Pablo Suárez

 Argentina
2015 Lombardo Ontiveros
Juan Virgen

 México
Vitor Felipe
Álvaro Filho

 Brasil
Nivaldo Díaz
Sergio González

 Cuba

Quadro de medalhas

 Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1 Brasil Brasil 2 3 1 6
2 Cuba Cuba 1 0 2 3
3 Canadá Canadá 1 0 0 1
4 México México 1 0 0 1
5 Estados Unidos EUA 0 1 0 1
6 Venezuela Venezuela 0 1 0 1
7 Argentina Argentina 0 0 1 1
8 Porto Rico Porto Rico 0 0 1 1