Siga o OTD

200m borboleta feminino

200m borboleta feminino – Natação – Jogos Olímpicos Tóquio 2020 

 

Recordes dos 200m borboleta feminino

Recorde mundial: 2m01s81 – Liu Zige (CHN) –  Jinan (CHN) – 21/10/2009
Recorde olímpico: 2m04s06 – Jiao Liuyang (CHN) – Londres (GBR) – 01/08/2012
Recorde Brasileiro: 2m09s22 – Joanna Maranhão – Rio de Janeiro (BRA) – 04/05/2017

Chances do Brasil nos 200m borboleta feminino nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020

O Brasil não terá representantes no evento em Tóquio-2020.

+ Veja a lista dos brasileiros classificados para os Jogos

O Brasil nos 200m borboleta feminino dos Jogos Olímpicos

Joanna Maranhão representou o Brasil em três Olimpíadas nos 200m borboleta (Divulgação)

Três brasileiras já representaram o país na história da prova em Olímpiadas. Joanna Maranhão foi em três delas, Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016. Joanna é um dos maiores nomes da história da natação feminina brasileira, especialmente nos 400m medley, prova na qual foi quinta colocada em Atenas-2004. Nos 200m borboleta, ela ficou nas eliminatórias nas três oportunidades, sendo sua melhor colocação o 22º lugar em Pequim-2008.

Além de Joanna Maranhão, o Brasil foi representado também por Maria Isabel Guerra em Munique-1972 e Rosemary Ribeiro em Montreal-1976. Ambas não passaram das eliminatórias.

Favoritas do 200m borboleta feminino nos Jogos de Tóquio-2020

Nos 200m borboleta feminino não há nenhuma atleta que desponte como favorita unânime à medalha de ouro. Possivelmente será a prova mais aberta de toda a natação nos Jogos de Tóquio.

A japonesa Suzuka Hasegawa, de 21 anos, recordista mundial júnior e líder do ranking mundial de 2020 é quem desponta levemente na frente. Hasegawa terá a vantagem de nadar com o apoio da torcida e buscará manter a tradição de seu país que subiu em três dos últimos quatro pódios olímpicos, sempre com a medalha de bronze. É uma das grandes apostas da equipe da casa.

Suzuka Hasegawa natação
A japonesa Suzuka Hasegawa surge como principal esperança do país para ganhar o ouro nos 200m borboleta em Tóquio (reprodução)

Se o Japão tem conquistado medalhas nos 200m borboleta feminino o mesmo não se pode dizer dos Estados Unidos, que não sobem ao pódio do evento desde Sydney-2000. Hali Flickinger e Regan Smith querem e podem mudar isso. Flickinger foi aos Jogos do Rio, ficando em 7º lugar. De lá para cá, evoluiu e foi a líder do ranking mundial em 2019. Regan Smith é outro bom nome na prova, porém o foco da americana está nas provas de nado costas onde é favorita absoluta aos ouros dos 100m e 200m do estilo.

As húngaras não são tão favoritas na prova feminina como seus compatriotas são no evento masculino, mas chegam com um convincente currículo em busca do ouro olímpico. Boglárka Kapás, campeã mundial, e Katinka Hosszú, um dos maiores nomes da história da natação, são os principais nomes do país. Caso Katinka opte por não nadar a prova o país poderá ser representado Liliána Szilágyi, outra excelente atleta.

Completam a lista de favoritas a alemã Franziska Hentke, as britânicas Alys Thomas e Laura Stephens, a russa Svetlana Chimrova e a atual campeã olímpica da prova, a espanhola Miréia Belmonte.

Histórico dos 200m borboleta feminino nos Jogos Olímpicos

A disputa dos 200m borboleta feminino está presente nos Jogos Olímpicos desde a edição da Cidade do México em 1968. Assim como a maioria esmagadora das provas olímpicas de natação, os Estados Unidos são os maiores vencedores o evento com quatro ouros conquistados em 13 edições olímpicas. Apesar disso, essa é a prova que proporciona o maior hiato em toda a natação americana pois desde o ouro de Misty Hyman, em Sydney-2000, o país não subiu mais sequer ao pódio. São quatro edições olímpicas sem ouro, prata ou bronze para os Estados Unidos, em um jejum que já incomoda muito aos americanos.

A primeira campeã olímpica foi a holandesa Ada Kok, nos Jogos da Cidade do México-1968. Este ouro foi um alívio para a atleta, que dominava também os 100m borboleta, mas tinha ficado em quarto lugar nesta prova dias antes. Quatro anos depois, foi a vez do primeiro título olímpico americano com Karen Moe em Munique-1972.

Assim como em todas as outras provas do programa olímpico feminino, nos 200m borboleta as controversas atletas da Alemanha Oriental também entraram em cena nos anos 70 e 80. Elas venceram as duas edições olímpicas seguintes, em Montreal-1976 e Moscou-1980, conquistando ao todo cinco das seis medalhas entregues. Em Montreal, a vitória foi de Andrea Pollack, enquanto em Moscou-1980, quem brilhou foi Ines Geissler.

Os Estados Unidos, que tinham boicotado a Olimpíada soviética, retornaram ao topo do pódio competindo em casa, nos Jogos de Los Angeles-1984, com a vitória de Mary T. Meagher. O embate entre Mery T. Meagher e as alemãs orientais aconteceu em Seul-1988, com a americana, já em final de carreira, ficando com a medalha de bronze. O ouro foi de Kathleen Nord e prata para a compatriota Birte Weigang.

Summer Sanders deu novo ouro aos Estados Unidos em Barcelona-1992, mas nos Jogos de Atlanta-1996, quem comemorou a vitória foi a australiana Susie O’Neill, que havia sido bronze quatro anos antes. Ela chegou como favorita para competir diante da torcida, em Sydney-2000, só que desta vez foi superada pela americana Misty Hyman. Esta é até hoje a última vitória americana nos 200m borboleta.

Os Jogos de Atenas-2004 ficaram marcados pela inédita conquista de um mpaís com pouca tradição na natação, a Polônia, graças ao triunfo de Otylia Jedrzejczak, que foi também prata dos 100m borboleta e nos 400m livre, considerada o maior nome da história da natação polonesa.

A China, país sede dos Jogos de Pequim-2008, investiu muito na preparação olímpica de seus atletas. Na natação, porém, esse poderio não foi visto e os chineses conquistaram “apenas” uma medalha de ouro. Ela veio nos 200m borboleta feminino. Na verdade, não foi só ouro, mas uma dobradinha com direito a novo recorde mundial de Liu Zige com 2m04s18, seguida de sua compatriota Jiao Liuyang.

Mireia Belmonte Natação
Na Rio-2016, Mireia Belmonte conquistou a segunda medalha de ouro da natação da Espanha nos 200m borboleta (Reprodução/Marca.com)

Quatro anos depois, em Londres-2012, novo triunfo chinês, justamente com Jiao Liuyang, vice-campeã olímpica na edição anterior. Nos Jogos do Rio, em 2016, a espanhola Miréia Belmonte repetiu o feito de Jiao Liuyang, conquistando o título olímpico quatro anos após o vice-campeonato. Foi o segundo ouro da história da natação espanhola.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

As medalhistas dos 200m borboleta feminino nos Jogos Olímpicos

JogosOuroPrataBronze
Cidade do México 1968Ada Kok (NED)Helga Lindner (GDR)Ellie Daniel (USA)
Munique 1972Karen Moe (USA)Lynn Colella (USA)Ellie Daniel (USA)
Montreal 1976Andrea Pollack (GDR)Ulrike Tauber (GDR)Rosemarie Gabriel (GDR)
Moscou 1980Ines Geissler (GDR)Sybille Schönrock (GDR)Michelle Ford (AUS)
Los Angeles 1984Mary T. Meagher (USA)Karen Phillips (AUS)Ina Beyermann (FRG)
Seul 1988Kathleen Nord (GDR)Birte Weigang (GDR)Mary T. Meagher (USA)
Barcelona 1992Summer Sanders (USA)Wang Xiaohong (CHN)Susie O’Neill (AUS)
Atlanta 1996Susie O’Neill (AUS)Petria Thomas (AUS)Michelle Smith (IRL)
Sydney 2000Misty Hyman (USA)Susie O’Neill (AUS)Petria Thomas (AUS)
Atenas 2004Otylia Jędrzejczak (POL)Petria Thomas (AUS)Yuko Nakanishi (JPN)
Pequim 2008Liu Zige (CHN)Jiao Liuyang (CHN)Jess Schipper (AUS)
Londres 2012Jiao Liuyang (CHN)Mireia Belmonte (ESP)Natsumi Hoshi (JPN)
Rio 2016Mireia Belmonte (ESP)Madeline Groves (AUS)Natsumi Hoshi (JPN)

Quadro de medalhas dos 200m borboleta feminino nos Jogos Olímpicos

PaísOuroPrataBronzeTotal
Estados Unidos4138
Alemanha Oriental3418
China2204
Austrália15410
Espanha1102
Holanda1001
Polônia1001
Japão0033
Irlanda0011
Alemanha Ocidental0011
viagra