Siga o OTD

Arthur Nabarrete Zanetti

Arthur Zanetti – Ginástica artística masculina – argolas – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento:. São Caetano do Sul/SP
Idade: 31 anos (16/04/1990)
Altura: 1,56m
Peso: 62kg
Olimpíada: 2 (Londres-2012, Rio-2016)
Pan: 2 (Guadalajara-2011, Toronto-2015, Lima-2019)

OLIMPÍADA

– Londres-2012 (argolas) Rio-2016 (argolas)
– Rio-2016 (argolas)

MUNDIAL

– Stuttgart-2019 (barra fixa)

PAN

– Lima-2019 (Equipes)
– Lima-2019 (Barra Fixa e Individual Geral), Toronto-2015 (Equipes)

Arthur Zanetti é uma atleta da ginástica artística masculina. Campeão olímpico em 2012 nas argolas e atual medalhista de prata olímpico no mesmo aparelho, o atleta chegará aos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 tentando se tornar o primeiro ginasta no mundo a conquistar três medalhas nas argolas.

+ Rivais, chances de Zanetti, favoritos e mais: Saiba TUDO sobre as ARGOLAS na Olimpíada de Tóquio

Além desse feito, se Zanetti por ventura conquistar sua terceira medalha olímpica em Tóquio, se juntará a outras seis lendas do esporte olímpico brasileiro. Apenas Robert Scheidt, Torben Grael, Gustavo Borges, Marcelo Ferreira, Emanuel e Ricardo conquistaram ao menos três medalhas olímpicas em três diferentes edições de Olimpíada em esportes individuais ou em dupla.

Além de atuar nas argolas, Zanetti será o reserva da equipe masculina, que contará com Arthur Nory, Chico Barreto, Diogo Soares e Caio Souza.

Baixinho demais para o futebol

Natural de São Caetano do Sul, na região metropolitana de São Paulo, Arthur Zanetti começou na ginástica artística aos sete anos, seguindo o conselho do professor de educação física Sérgio Oliveira dos Santos, do colégio onde estudava.

Apesar de amar futebol e querer ser jogador, por ser mais baixo que os outros alunos, mas ágil e com o tronco forte, o professor sugeriu aos pais de Arthur que o levassem para fazer um teste para ginástica artística na SERC (Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural) Santa Maria, em São Caetano do Sul (SP). 

+ Favoritos, calendário e mais: Saiba TUDO sobre a TODAS AS PROVAS da ginástica em Tóquio 2020

A indicação do professor para a Ginástica Artística deu certo e Arthur Zanetti seguiu na modalidade. No início, a rotina exaustiva de treinos desanimava o menino.

A avó, Neide, que o levava para treinar todos os dias, desempenhou um papel importante para que não desistisse do esporte. Toda vez que ele reclamava, a avó prometia uma “passadinha” na padaria depois, para comer o que quisesse. Arthur ia direto para as bombas de chocolate, ainda hoje um de seus doces preferidos.

O técnico que mudou sua vida e o ouro histórico

Um pouco depois de seu início na Ginástica Artística, Arthur Zanetti conheceu o técnico que o ajudou nas maiores conquistas da carreira. Então com nove anos, o ginasta passou a ser treinado por Marcos Goto. Com a parceria, Arthur evoluiu em todos os fundamentos da modalidade e chegou na Seleção Brasileira em 2007. 

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK 

Com o passar dos anos, o nome de Arthur Zanetti passou a ser cada vez mais frequente nas convocações da Seleção Brasileira de ginástica Artística e em 2009, no Campeonato Mundial disputado em Londres, se tornou o primeiro ginasta do país a disputar uma final, nas argolas. 

A evolução seguiu e chegou ao ponto mais alto nos Jogos Olímpicos de Londres. Por conta dos resultados obtidos durante o ciclo, Arthur Zanetti era um dos cotados para o pódio. Porém, com uma apresentação praticamente perfeita em seu aparelho preferido, o brasileiro somou 15.900 pontos e ficou com o ouro.

Quatro anos depois, com o apoio dos brasileiros, Arthur Zanetti brilhou novamente e conquistou a medalha de prata nas argolas com uma grande nota: 15.766. a pontuação poderia ter lhe dado o segundo ouro caso o grego Eleftherior Petrounias não tivesse feito uma apresentação quase perfeita: 16.000

Arthur Zanetti vai adiar a aposentadoria para disputar a Olimpíada de Tóquio - argolas - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 - ginástica artística masculina
Arthur Zanetti comemora com o técnico Marcos Goto a medalha de ouro ns argolas na Olimpíada de Londres-2012 ( Valterci Santos/AGIF/COB)

Regularidade no ciclo

Após conquistar a prata na Rio-2016, Zanetti manteve sua regularidade nas argolas. Nos três campeonatos mundiais que disputou, por exemplo, chegou a final em todos e teve notas bem parecidas. Em 2017, Arthur ficou em sétimo lugar.

No Mundial de Doha-2018, no Qatar, Zanetti fez sua melhor apresentação durante o ciclo e ficou com a prata, perdendo apenas para o grego Eleftherior Petrounias, atual campeão olímpico. Essa foi quarta medalha conquistada pelo brasileiro em Campeonatos Mundiais de ginástica. 

Daqui exatamente um ano, o campeão olímpico em 2012 e vice em 2016 Arthur Zanetti estreia nas argolas nos Jogos Olímpicos de Tóquio, tentando a 3ª medalha
Arthur Zanetti ao lado do campeão olímpico e mundial das argolas; se classificado e em forma, grego é candidato a medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 (Abelardo Mendes Jr/rededoesporte.gov.br)

Um ano depois, no Mundial de Stuttgart, na Alemanha, Zanetti fez outra bela apresentação nas argolas. Por um detalhe na saída, acabou fora do pódio, na quinta colocação. Apenas 0,075 pontos o separaram da medalha de bronze.

Em 2021

Arthur Zanetti iria competir depois de muito tempo (mais especificamente desde antes da pandemia explodir no mundo) no Campeonato Pan-Americano de Ginástica no início de junho. No entanto, o atleta sentiu um sentiu um problema no ombro e foi preservado, já visando os Jogos Olímpicos de Tóquio.

A prova de que o incômodo foi leve veio vinte dias depois. Na etapa da Copa do Mundo de ginástica artística em Doha, no Catar o campeão olímpico foi o representante brasileiro no pódio nas argolas com a medalha de prata.

Arthur Zanetti conseguiu uma apresentação de grande nível na competição. Conseguindo manter uma dinâmica um pouco maior do que na classificatória, com execução de 8.733 e dificuldade de 6.2, o brasileiro terminou a decisão do aparelho com 14.933, melhorando em 0,3 sua nota da qualificatória, e ficou com a medalha de prata. O pódio foi completado com o grego Eleftherios Petrounias em primeiro com um incrível 15.500 e Mahdi Ahmad Kohani, do Irã, ficou com o bronze com 14.800.

Pouco depois, a CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) divulgou a seleção da ginástica artística masculina convocada para representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O principal destaque foi a ausência de Arthur Zanetti na disputa por equipes, que por sua vez, terá Arthur Nory, Chico Barreto, Diogo Soares e Caio Souza. O campeão olímpico ficará como reserva e vai focar na disputa individual das argolas.

RESULTADOS

DataProvaHorário/ResultadoLigaTemporada
Argolas – Qualificação x Arthur ZanettiJogos Olímpicos - Ginástica Artística2020
Argolas – Final x Arthur ZanettiEtapa de Doha da Copa do Mundo de ginástica artística2021
Argolas x Arthur ZanettiEtapa de Doha da Copa do Mundo de ginástica artística2021
Qualificação masculina x Arthur ZanettiPan-Americano de ginástica artística2021
Arthur Zanetti x Disputa argolasEtapa de Baku da Copa do Mundo de ginástica artística2020
Final das Argolas x Arthur ZanettiMundial de Ginástica Artística2019
Salto x Arthur ZanettiMundial de Ginástica Artística2019
Argolas x Arthur ZanettiMundial de Ginástica Artística2019
Solo x Arthur ZanettiMundial de Ginástica Artística2019
Individual Geral x Arthur ZanettiMundial de Ginástica Artística2019
Argolas – Final - Arthur ZanettiJogos Pan-Americanos - Ginástica Artística2019
Solo masculino – Final - Arthur ZanettiJogos Pan-Americanos - Ginástica Artística2019
Final das argolasEtapa de Melbourne da Copa do Mundo de ginástica artística2019
Qualificatório do salto x Arthur ZanettiEtapa de Melbourne da Copa do Mundo de ginástica artística2019
Qualificatório do solo e das argolas x Arthur ZanettiEtapa de Melbourne da Copa do Mundo de ginástica artística2019
Final das Argolas xMundial de Ginástica Artística - Masculino2018