Siga o OTD

Aderbar Melo dos Santos Neto

Santos – futebol masculino – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento: Campina Grande/PB
Idade: 31 anos (17/03/1990)
Altura: 1,88m
Clube: Athletico/PR

Aderbar Melo dos Santos Neto, mais conhecido como Santos, é goleiro do Athletico Paranaense e representará o Brasil no futebol masculino dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, sendo um dos três jogadores permitidos acima do limite de 24 anos de idade.

+ CONFIRA TUDO SOBRE O FUTEBOL NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

Pobreza na infância, destaque na Copinha e o começo de tudo

O futebol hoje em dia é sinônimo de contratos milionários, jogadores de fama mundial e muito dinheiro envolvido. Ao mesmo tempo, o futebol também é sinônimo de grandes histórias, desde títulos emocionantes até trajetórias surpreendentes de cada atleta. Santos se encaixa na segunda opção, superando adversidades a cada dia e mantendo a espença de que seria recompensado em algum momento.

Nascido em Campina Grande, na Paraíba, foi criado na zona rural da pequena cidade de Cabeceiras. Começou na modalidade por brincadeira, mas desde cedo gostava de atuar debaixo das traves. Com poucas condições financeiras naquela época, economizava ao máximo e muitas vezes tinha de escolher entre ir ao treino ou se alimentar, como contou ao ‘ge’, em 2019. Neste momento, o goleiro defendia o Porto de Caruaru, que se interessou pelo seu futebol.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Em 2008, participou da Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo clube pernambucano, eliminado de maneira invicta com uma vitória (Atlético Sorocaba) e dois empates (Paraná e Portuguesa) na fase de grupos. Na edição, o arqueiro paraibano protagonizou defesas de pênaltis, feitos que naturalmente chamaram a atenção do Athletico.

Na temporada seguinte, após fechar com o Furacão, disputou novamente o torneio de base. Aos 19 anos, brilhou com a camisa rubro-negra e foi um dos nomes da campanha que levou o time à decisão da competição, contra o Corinthians, no Pacaembu. Apesar da derrota por 2 a 1 na final, Santos apareceu outras vezes em penalidades e começava ali uma trajetória de sucesso em Curitiba.

Tímido, chegou ao topo do Brasil e da América

Hoje aos 31 anos, o goleiro de 1,88m teve de esperar muito para receber a sequência que desejava no time titular. Embora tenha demorado, quando veio a oportunidade, ele agarrou com as duas mãos e não soltou mais. Começou a figurar na equipe em 2018, quando Weverton, campeão olímpico em 2016, fechou com o Palmeiras.

Santos rapidamente assumiu o gol e virou grande referência técnica do elenco. Tímido e calado, prefere mostrar em campo o tamando de seu potencial. Potencial este que já marcou época no Furacão. No mesmo ano em que assumiu a posição, o clube alcançava a final da Copa Sul-Americana e sonhava com um título internacional inédito em sua galeria.

Colecionador de títulos pelo Furacão, Santos vai colecionando também convocações para a seleção brasileira (principal e olímpica). Foto: Fabio Wosniak/athletico.com.br

O duelo com o Junior Barranquilla, da Colômbia, foi decidido somente na marca da cal. Apesar de não ter protagonizado defesas, o camisa 1 cresceu para cima dos adversários e trouxe a taça para a capital paranaense. Mais tarde, no Japão, também derrotaria o Shonan Bellmare para ficar com a Levain Cup (antes, Copa Suruga), evento que conta com o campeão da sul-americana e o campeão japonês daquela temporada.

+ CONFIRA TUDO SOBRE AS PARTIDAS DA SELEÇÃO MASCULINA NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

Após conquistar a América do Sul e fincar o seu nome na história athleticana, Santos estava pronto para mais. Na temporada seguinte, em 2019, com direito a vitórias na ida e na volta sobre o Internacional, colocou nos ombros o troféu da Copa do Brasil, assegurando novamente um feito jamais visto na Arena da Baixada até então. “Já é o maior goleiro da história do Athletico?”, questionou o clube em publicação em seu site oficial. Que moral, hein?!

Trabalho recompensado com convocações para a seleção

Depois de 231 jogos e cinco títulos pelo Furacão, não era difícil adivinhar que Santos estaria no radar da seleção brasileira, né? Mesmo com concorrência acirrada na posição, Tite já o chamou para a equipe principal em algumas oportunidades, incluindo em convocações para partidas válidas pelas Eliminatórias da Copa do Mundo do Catar, em 2022.

Santos - futebol masculino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
O Athletico celebrou a convocação de seu goleiro para a seleção do futebol masculino do Brasil nos Jogos Olímpicos: Foto: Divulgação/Athletico

Em junho deste ano, a exemplo do que aconteceu com Weverton no último ciclo, outro goleiro do Athletico defenderá o Brasil no futebol masculino dos Jogos Olímpicos. Em Tóquio 2020, o calado Aderbar, paraibano de 31 anos, que batalhou muito para chegar onde está, deve ser o escolhido de André Jardine para os onze iniciais durante o torneio.

Em 2021

Até aqui, Santos entrou em campo 18 vezes na temporada com clube paranaense, que está na semifinal do estadual, ainda não finalizado e sem datas definidas. O adversário da vez será o Cascavel. Caso avance para a finalíssima, terá o Londrina pela frente.

Enquanto aguarda a definição do Campeonato Paranaense, o Athletico mantém vivo o sonho do bicampeonato da Sul-Americana, tendo vencido e largado na frente dos colombianos do América de Cali ao triunfar, fora de casa, por 1 a 0, pelas oitavas de final. Mesma fase em que mede forças com o Atlético-GO na Copa do Brasil, a partir do final deste mês.

Com um jogo a menos do que os demais rivais, a campanha no Brasileirão também é bastante consistente. Na 5ª colocação, são 20 pontos conquistados, cinco a menos do que o líder Palmeiras: 6 vitórias, 2 empates e 2 derrotas. O bom momento vivido pelo clube prontamente passa também pela importância de seu principal goleiro do elenco.