Siga o OTD

Jaqueline Ferreira

Jaqueline Ferreira – levantamento de peso- +109kg – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento:. Duque de Caxias /RJ
Idade: 34 anos (05/03/1987)
Altura: 1,64m
Peso: 87kgs
Olimpíada: 2 (Londres-2012, Rio-2016)
Pan: 3 (Guadalajara-2011, Toronto-2015, Lima-2019)

PAN
Toronto-2015 (-75kg)

Com duas participações em Olimpíada no currículo, Jaqueline Ferreira é uma atleta do levantamento de peso que representará o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 na categoria até 87 kg feminino.

+ Tabela, chances de Jaqueline, favoritos e mais: Saiba TUDO sobre a categoria -87kg em Tóquio 2020

Jaqueline é detentora do melhor resultado do Brasil em Jogos Olímpicos, juntamente com os 5º lugares de Fernando Reis e Rosane Santos na Rio 2016. No Japão, será acompanhada apenas por Nathasha Rosa (categoria até 49 kg)

Começo no atletismo

Carioca de Duque de Caxias, Jaqueline Ferreira começou no levantamento de peso ainda no colégio, mais especificamente através do atletismo. Ainda jovem, em 2001, Jaqueline Ferreira estudava na Escola Municipal Moacyr Padilha, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Foi ali que tudo começou: em uma de suas aulas de Educação Física, ficou claro que a menina, à época com 14 anos, levava jeito para o esporte.

Uma professora de Educação Física montou um circuito com provas de atletismo e levou os melhores para competirem nos Jogos Escolares na Vila Olímpica de Duque de Caxias. Terminou em segundo lugar no lançamento de pelota e no salto em distância. Os técnicos então a convidaram para conhecer a Vila Olímpica de Duque de Caxias.

Jaqueline Ferreira - levantamento de peso feminino - Olimpíada de Tóquio 2020
Wander Roberto/COB

A aposta da amiga

Em um dia, Jaqueline Ferreira viu sua amiga conversando com seu treinador sobre levantamento de peso, sem saber o que era. Se interessou, viu que levava jeito e apostou com a amiga que tinha capacidade de levar uma medalha no Campeonato Brasileiro.

+RECEBA NOTÍCIAS NO NOSSO CANAL NO TELEGRAM OU PARTICIPE DO NOSSO GRUPO DO WHATSAPP

A carioca foi então a um Centro de Treinamento de levantamento de pesos e conheceu Dragos Stanica, hoje técnico da Seleção Brasileira. Aprovada, foi convidada pelo treinador e iniciou na modalidade. Com o tempo, foi deixando o atletismo de lado. De quebra, venceu a aposta com a amiga e foi medalhista no campeonato nacional logo em seu primeiro ano.

Experiência Olímpica

A atleta foi evoluindo no circuito nacional e rapidamente passou a obter conquistas internacionais Em 2010, levou uma medalha de prata no Sul-Americano de Medellín-2010. Seguiu firme e aos 25 anos fez sua estreia em Jogos Olímpicos.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Jaqueline Ferreira foi oitava colocada na categoria -75 kg na Olimpíada de Londres 2012. Posteriormente, cinco atletas que terminaram à frente de Jaqueline foram pegas no doping e a carioca herdou a 5ª colocação. Esse é, até hoje, o melhor resultado do levantamento de peso do Brasil em Olimpíadas juntamente com os 5º lugares de Fernando Reis e Rosane Santos na Rio 2016.

Jaqueline Ferreira na disputa do arranco e arremesso nos Jogos de Lima
Jaqueline na disputa do Pan em 2019; atleta irá para a sua terceira Olimpíada (arquivo)

Três anos depois, Jaqueline foi vice-campeã na categoria -75 kg no arremesso e conquistou a medalha de bronze no arranco no Festival Pan-Americano de Esporte de 2014.  Em 2015, levou sua primeira e única medalha em Jogos Pan-Americanos: bronze na edição de Toronto.

A participação na Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016 foi controversa. A atleta não foi selecionada pela comissão técnica, mas sim pelo presidente da Confederação Brasileira de Levantamento de Peso. Com o Brasil sediou os Jogos, o país obteve cinco vagas garantidas na modalidade e o presidente optou por Jaqueline ao invés de Bruna Piloto. Com toda a polêmica envolta, Jaqueline não foi bem e não conseguiu levantar nada em nenhum de suas três tentativas.

Mudança de categoria

Para o atual ciclo, a carioca mudou de categoria e decidiu entrar na até 87 kg feminino. Não participou dos Campeonatos Mundial de 2017 e 2018, fazendo sua estreia no Mundial de 2019, em Pattaya, na Tailândia, a brasileira terminou no sexto lugar com 235 levantados. A medalha de bronze ficou com Tamira Salazar, do Equador, com 252kg.

Nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, em 2019, Jaqueline também terminou na sexta colocação da categoria até 87 kg feminino. Na ocasião, levantou 235kg.

Jaqueline Ferreira - levantamento de peso - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Jaqueline Ferreira na disputa do Mundial de 2019 (Divulgação/COB)

Em 2021

No ano olímpico, Jaqueline disputou a categoria até 87 kg do Campeonato Pan-Americano de levantamento de peso em abril e teve um bom desempenho. A brasileira acertou todas as suas tentativas, tanto no arranco como no arremesso, mas não conseguiu entrar na disputa por medalhas porque as adversárias conseguiram levantar mais peso do que ela. Na classificação geral, a atleta terminou em sexto lugar.

No arranco, Jaqueline Ferreira começou a disputa erguendo 95 kg, aumentando na segunda tentativa para 100 kg e 103 kg na terceira. Apesar de ter completado com êxito todos os levantamentos, a brasileira não conseguiu entrar na disputa pelas primeiras colocações porque o peso de partida de seis adversárias era igual ao maior ao máximo que ela conseguiu como resultado.

Em junho, após uma longa espera, a Federação Internacional de Levantamento de Pesos (IWF) divulgou a lista de atletas classificados os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 com a presença do nome de Jaqueline na categoria até 87 kg. A atleta entrou na lista como melhor ranqueada das Américas em sua categoria.

“Fiquei aflita, esperando oficializar. Parece que cada minuto demorava três dias! É sempre uma emoção muito grande. Por mais que seja a terceira, é como se fosse a primeira. Pois é o topo, é o sonho máximo de um atleta. Como eu fiquei devendo na última, queria muito ir nessa. A primeira vez foi tão bonita, na segunda não foi do jeito que a gente esperava. Vou fazer o melhor, representar bem o Brasil”,  comentou.

viagra