Siga o OTD

Maratona masculina

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Atletismo – Maratona masculina

Chances do Brasil

Daniel Chaves da Silva foi o melhor atleta do Brasil na maratona masculina em 2018

Campeão de quatro das últimas cinco edições da maratona masculina dos Jogos Pan-Americanos, o Brasil deve chegar mais uma vez com chances de medalha em Lima 2019. Primeiro porque a disputa vai ser boa. Um grande número de atletas conseguiu correr abaixo de 2h20min, que é o tempo estipulado como índice. Fora isso, os três melhores maratonistas do Brasil em 2018 correram na casa de 2h13min, tempo que só não daria medalha de ouro nos Jogos de Caracas 1983, quando o portorriquenho Jorge González venceu com 2h12min43s. O melhor de todos foi Daniel Chaves da Silva com 2h13min16. Paulo Roberto foi o segundo melhor, apenas 14 segundos atrás e 13 na frente de Wellington Bezerra, que foi o terceiro.

Apesar dos bons tempos, os brasileiros ficaram no ranking sul-americano atrás de dois peruanos, que devem chegar fortes em Lima 2019: Cristian Pacheco (2h11min19s) e Willy Canchanya (2h12min57s). Em relação às Américas, Daniel Chaves da Silva fez 11º. tempo de 2018, mas vale lembrar que a lista conta com seis atletas dos Estados Unidos, mas apenas dois por país poderão disputar a maratona masculina dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019.

Local da competição

Estádio Atlético Pan-Americano

Local: Lima

Capacidade: 12.000 torcedores

A estrela dos Jogos

Dono do direito de acender a pira olímpica dos Jogos do Rio de Janeiro 2016, Vanderlei Cordeiro de Lima é um dos grandes heróis do esporte nacional por conta da medalha de bronze conquistada por ele em Atenas 2004. Ele liderava a prova, mas foi agarrado por uma padre irlandês, que tentou tirá-lo da corrida. Mas Vanderlei não desistiu, voltou para a maratona e ainda completou a prova em terceiro lugar.

Apesar deste ter sido o maior momento da carreira de Vanderlei Cordeiro de Lima, o paranaense de Cruzeiro do Oeste fez história também nos Jogos Pan-Americanos. O brasileiro é o maior vencedor da maratona masculina da competição que reúne os país das Américas do Sul, Central e do Norte. Ele é o único atleta da história do Pan com duas medalhas de ouro, que foram conquistadas em Winnipeg 1999 (foto) e Santo Domingo 2003.

Nossos pódios

Além das duas medalhas de ouro conquistadas por Vanderlei Cordeiro de Lima, o Brasil subiu outras três vezes ao lugar mais alto do pódio da maratona masculina dos Jogos Pan-Americanos com Ivo Rodrigues em Indianápolis 1987, Franck Caldeira no Rio de Janeiro 2007 e com Solonei Silva em Guadalajara 2011. Com esses resultados, o Brasil é o país com mais vitórias na competição, com uma medalha de ouro a mais do que Cuba.

Ao todo, são oito medalhas. Além das cinco de ouro, o Brasil ganhou prata com José Santana em Havana 1991 e bronze com Luiz da Silva em Mar Del Plata 1995 e Luiz Fialho em Winnipeg 1999.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro TEMPO Medalha de prata TEMPO Medalha de bronze TEMPO
1951 Delfo Cabrera
Argentina
02:35:01 Reinaldo Gorno
Argentina
02:45:00 Luis Valázquez
 Guatemala
02:46:03
1955 Doroteo Flores
 Guatemala
02:59:10 Onésimo Rodríguez
 México
03:02:22 Luis Valázquez
 Guatemala
03:05:26
1959 John J. Kelley
EUA
02:27:55 Jim Green
EUA
02:32:17 Gordon Dickson
Canadá
02:36:19
1963 Fidel Negrete
 México
02:27:56 Gordon McKenzie
EUA
02:31:18 Pete McArdle
EUA
02:34:14
1967 Andy Boychuk
Canadá
02:23:03 Agustín Calle
Colômbia Colômbia
02:25:51 Alfredo Peñaloza
 México
02:27:49
1971 Frank Shorter
EUA
02:22:40 José García
 México
02:26:30 Hernán Barreneche
Colômbia Colômbia
02:27:19
1975 Rigoberto Mendoza
Cuba
02:25:03 Charles “Chuck” Smead
EUA
02:25:32 Tom Howard
Canadá
02:25:46
1979 Radamés González
Cuba
02:24:09 Luis Barbosa
Colômbia Colômbia
02:24:44 Rich Hughson
Canadá
02:25:34
1983 Jorge González
 Porto Rico
02:12:43 César Mercado
 Porto Rico
02:20:30 Miguel Cruz
 México
02:21:12
1987 Ivo Rodrígues
Brasil
02:20:13 Ronald Lanzoni
 Costa Rica
02:20:39 Jorge González
 Porto Rico
02:21:14
1991 Alberto Cuba
Cuba
02:19:27 José Santana
Brasil
02:19:29 Radamés González
Cuba
02:23:05
1995 Benjamín Paredes
 México
02:14:44 Mark Coogan
EUA
02:15:21 Luiz da Silva
Brasil
02:15:46
1999 Vanderlei de Lima
Brasil
02:17:20 Rubén Maza
Venezuela
02:19:56 Éder Fialho
Brasil
02:20:09
2003 Vanderlei de Lima
Brasil
02:19:08 Bruce Deacon
Canadá
02:20:35 Diego Colorado
Colômbia Colômbia
02:21:48
2007 Franck Caldeira
Brasil
02:14:03 Amado García
 Guatemala
02:14:27 Procopio Franco
 México
02:15:18
2011 Solonei da Silva
Brasil
02:16:37 Diego Colorado
Colômbia Colômbia
02:17:13 Juan Carlos Cardona
Colômbia Colômbia
02:18:20
2015 Richer Pérez
Cuba
02:17:04 Raúl Pacheco
Peru
02:17:13 Mariano Mastromarino
Argentina
02:17:45

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Brasil 5 1 2 8
2  Cuba 4 0 1 5
3  EUA 2 4 1 7
4  México 2 2 3 7
5  Guatemala 1 1 2 4
6  Argentina 1 1 1 3
7  Canadá 1 1 3 5
8  Porto Rico 1 1 1 3
9  Colômbia 0 3 3 6
10  Costa Rica 0 1 0 1
11  Peru 0 1 0 1
12  Venezuela 0 1 0 1

A prova

Maratona é uma corrida realizada na distância oficial de 42,195 km, normalmente em ruas e estradas. Única modalidade esportiva que se originou de uma lenda, seu nome foi instituído como uma homenagem à antiga lenda grega do soldado ateniense Fidípides, um mensageiro do exército de Atenas, que teria corrido cerca de 40 km entre o campo de batalha de Maratona até Atenas para anunciar aos cidadãos da cidade a vitória dos exércitos atenienses contra os persas e morreu de exaustão após cumprir a missão.

A Federação Internacional de Atletismo (IAAF – International Association of Athletics Federations) estabelece que a distância oficial da maratona deva ser de exatos 42,195 km (42 mil 195 metros), com um adendo de 42 metros. Os fiscais oficiais e medidores de quilometragem destas provas acrescentam ao final mais um metro por quilômetro percorrido, para reduzir o risco de que alguma falha na medição produza uma distância final inferior à estipulada.

Para eventos sob a égide da IAAF é obrigatório que o percurso tenha marcações intercaladas da distância percorrida, de maneira a que os corredores tenham noção do ponto em que se encontram, e esses marcos devem ser a cada quilômetro. 

Os recordes conquistados, sejam eles mundiais, continentais ou nacionais, só são reconhecidos em provas que cumpram as regras da IAAF, que estabelecem que o percurso precisa ter uma distância máxima entre a partida e a chegada de 50% da distância total da prova – 42,195 km – e um desnível na topografia de no máximo 1/1000 da distância total.

AGENDA DO DIA

jun 18 01:00 Mundial Sub-21 de vôlei de praia Brailko/Namike (LET) Thamela/Ingridh jun 18 01:50 Mundial Sub-21 de vôlei de praia Lyan/Zuliani (BRA) Pfretzschner/Sowa (ALE) jun 18 04:00 Liga das Nações de vôlei feminino - Primeira Fase Japão Polônia jun 18 05:00 Liga das Nações de vôlei feminino - Primeira Fase Bulgária Sérvia jun 18 05:00 Challenger de Blois Pedro Sakamoto (BRA) Geoffrey Blancaneaux (FRA) jun 18 05:20 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo B Porto Rico Ucrânia jun 18 05:50 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo B Rússia Mongólia jun 18 06:00 ITF de Stare Splavy Nicoleta-Catalina Dascalu (ROM) Teliana Pereira (BRA) jun 18 07:00 ITF de Klosters Barbara Gatica (CHL)/Rebeca Pereira (BRA) Lea Alche (SUI)/Eva-Maria Rimil (AUT) jun 18 07:00 Liga das Nações de vôlei feminino - Primeira Fase Coreia do Sul República Dominicana jun 18 07:00 ITF de Figueira da Foz Alison Bai (AUS) Laura Pigossi (BRA) jun 18 08:00 Liga das Nações de vôlei feminino - Primeira Fase Holanda Tailândia jun 18 08:20 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo B Estônia Porto Rico jun 18 08:30 ITF de Klosters Nathaly Kurata (BRA)/Vanda Lukacs (HUN) Mana Ayukawa (JAP)/Nina Stadler (SUI) jun 18 08:30 Liga das Nações de vôlei feminino - Primeira Fase China Alemanha jun 18 08:50 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo B Ucrânia Rússia jun 18 09:50 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo B Estônia Mongólia jun 18 10:00 ITF de Tabarka Karolayne Rosa (BRA)/Nicole Huergo (ITA) Eugenia Ganga (ARG)/Raphaelle Lacasse (CAN) jun 18 10:00 Liga das Nações de vôlei feminino - Primeira Fase Brasil Itália jun 18 11:00 Liga das Nações de vôlei feminino - Primeira Fase Rússia Estados Unidos jun 18 11:00 Challenger de Ilkley Paul Jubb (GBR) Thiago Monteiro (BRA) jun 18 11:25 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo D Austrália Brasil jun 18 11:30 Challenger de Parma Maverick Banes (AUS)/Guilherme Clezar (BRA) Alessandro Bega (ITA)/Andrea Collarini (ARG) jun 18 11:30 ATP 500 de Halle Oliver Marach (AUT)/Jurgen Melzer (AUT) Marcelo Demoliner (BRA)/Divij Sharan (IND) jun 18 11:30 ITF de Figueira da Foz Laura Pigossi (BRA)/Moyuka Uchijima (JAP) Fatma Al Nabhani (OMÃ)/Angelina Gabueva (RUS) jun 18 12:55 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo D Japão Letônia jun 18 13:00 Liga das Nações de vôlei feminino - Primeira Fase Turquia Bélgica jun 18 13:00 ITF de Padova Paula Gonçalves (BRA)/Rasheeda McAdoo (EUA) Martina Colmegna (ITA)/Dalila Spiteri (ITA) jun 18 13:30 ITF de Ilkley Bia Haddad Maia (BRA) Ann Li (EUA) jun 18 14:05 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo D Polônia Austrália jun 18 14:15 Copa América Sub-16 de basquete feminino - Grupo A Brasil Equador jun 18 14:30 ITF de Padova Yuliana Lizarazo (COL)/Maria Camila Serrano (COL) Carolina Meligeni (BRA)/Gabriela Cé (BRA) jun 18 15:05 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo D Brasil Japão jun 18 16:00 Copa do Mundo de futebol feminino - Grupo C Itália Brasil jun 18 16:00 Copa do Mundo de futebol feminino - Grupo C Jamaica Austrália jun 18 16:05 Copa do Mundo de basquete 3x3 - Grupo D Polônia Letônia jun 18 16:30 Copa América Sub-16 de basquete feminino - Grupo B México El Salvador jun 18 19:00 Copa América Sub-16 de basquete feminino - Grupo A Canadá Porto Rico jun 18 21:00 Paulista de handebol masculino - Primeira Fase Hebraica Taubaté/FAB/UNITAU jun 18 21:15 Copa América Sub-16 de basquete feminino - Grupo B Estados Unidos Chile