Siga o OTD

resistência masculino

Brasileiro de Ciclismo de Estrada começa nesta quinta no ParanáJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – ciclismo de estrada – masculino

Chances do Brasil

O Brasil tem poucas chances de conseguir um resultado expressivo na categoria estrada masculino. Com competidores pan-americanos melhores ranqueados e com resultados mais expressivos ao longo da temporada, o ciclismo brasileiro deverá tentar ficar em uma posição intermediária, mas distante de um lugar no pódio nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Os representantes do país serão Magno Prado e Rodrigo do Nascimento.

Local da competição

Costa Verde San Miguel

Local: Lima

Capacidade: 2.000

A Estrela dos Jogos

A categoria é uma das mais tradicionais dos Jogos Pan-Americanos e está inserida desde a primeira edição, em 1951. Desde então, muitos ciclistas se sagraram medalhistas de ouro, me um dos maiores destaques é o mexicano Luis Rosendo Ramos.

O ex-atleta conseguiu subir ao lugar mais alto do pódio nas edições de 1983, em Caracas, e de 1987, em Indianapolis. Além disso, representou o seu país nos Jogos Olímpicos em três oportunidades – 1976, 1984 e 1988.

Nossos Pódios

O Brasil subiu ao pódio da categoria ciclismo de estrada – masculino em quatro oportunidades, sendo a primeira delas em 1971, com Luis Carlos Flores. Após o feito inédito, foi a vez de Marcos Mazzaron também alcançar o segundo lugar, desta vez em 1987.

Quatro anos depois, na edição realizada em Havana, Wanderley Magalhães representou o Brasil no pódio ao conquistar a medalha de bronze, enquanto que Luciano Pagliarini marcou seu nome na competição em 2007, quando os Jogos Pan-Americanos aconteceram em solo nacional.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1951 Oscar Muleiro
 Argentina
Oscar Pezoa
 Argentina
Humberto Varisco
 Argentina
1955 Ramón Hoyos
 Colômbia
Benjamín Jiménez
 Colombia
Alberto Velázquez
 Uruguai
1959 Ricardo Senn
 Argentina
Francisco Lozano
 México
René Deceja
 Uruguai
1963 Gregorio Carrizalez
 Venezuela
Wilde Baridon
 Uruguai
Delmo Delmastro
 Argentina
1967 Marcel Roy
 Canadá
Vicente Chancay
 Argentina
Heriberto Díaz
 Mexico
1971 John Howard
 EUA
Luis Carlos Flores
 Brasil
Jaime Galeano
 Colombia
1975 Aldo Arencibia
 Cuba
Alfonso Flores
 Colômbia
Carlos Cardet
 Cuba
1979 Carlos Cardet
 Cuba
Bernardo Colex
 México
Gonzalo Marín
 Colômbia
1983 Luis Rosendo Ramos
 México
Carlos Jaramillo
 Colômbia
Gustavo Parra
 Venezuela
1987 Luis Rosendo Ramos
 Mexico
Marcos Mazzaron
 Brasil
Enrique Campos
 Venezuela
1991 Robinson Merchán
 Venezuela
Heriberto Rodríguez
 Cuba
Wanderley Magalhães
 Brasil
1995 Brian Walton
 Canadá
Mariano Friedick
 EUA
Fred Rodriguez
 EUA
1999 Brian Walton
 Canadá
Gordon Fraser
 Canadá
Pedro Pablo Pérez
 Cuba
2003 Milton Wynants
 Uruguai
Pedro Pablo Pérez
 Cuba
José Medina
 Chile
2007 Wendy Cruz
 República Dominicana
Emile Abraham
 Trinidad e Tobago
Luciano Pagliarini
 Brasil
2011 Marc de Maar
 Antilhas Holandesas
Miguel Ubeto
 Venezuela
Arnold Alcolea
 Cuba
2015 Miguel Ubeto
 Venezuela
Eric Marcotte
 EUA
Guillaume Boivin
 Canadá

Quadro de Medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Venezuela 3 1 2 6
2  Canadá 3 1 1 5
3  Cuba 2 2 3 7
4 Argentina Argentina 2 2 2 6
5 México México 2 2 1 5
6  Colômbia 1 3 2 6
7  EUA 1 2 1 4
8  Uruguai 1 1 2 4
9  Antilhas Holandesas 1 0 0 1
República Dominicana República Dominicana 1 0 0 1
11  Brasil 0 2 2 4
12  Trinidad e Tobago 0 1 0 1
13  Chile 0 0 1 1

O Esporte

Considerado um dos esportes mais praticados em todo o mundo, o ciclismo é uma das modalidades esportivas com maior variedade de competições, seja na prática amadora ou em grandes competições internacionais, como os Jogos Pan-Americanos.O ciclismo de estrada é uma das modalidades mais conhecidas pelos torcedores e reúne milhares de fãs ao redor do mundo. A competição é realizada em uma estrada utilizando as bicicletas para conseguir avançar o percurso íngreme e intenso. Os ciclistas de estrada podem ser separados em alguns níveis: Escalador (especialista em subir montanhas), Velocista: capaz de alcançar grandes velocidades durante a prova, Domestique: sacrifica seu próprio desempenho em prol da equipe e Contrarrelogista: especialista em provas individuais contra o relógio.O objetivo da prova é simples: chegar no ponto de chegada na frente de todos os outros competidores. Para isso, os atletas usam diversas táticas de força e estratégia para alcançar seus objetivos ao longo das provas.