Siga o OTD

Rosamaria Montibeller

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento:. Nova Trento (SC)
Idade: 27 anos (09/04/1994)
Altura: 1,85m
Peso: 84kg
Clube: AGIL Novara/Itália
Pan: 1 (Guadalajara-2011)
Olimpíada: 0

PAN
– Toronto-2015

Rosamaria Montibeller também conhecida como Rosa, é uma versátil jogador que atua tanto como oposta quanto como ponteira e que estará com a seleção brasileira de vôlei feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ Tabela, favoritos, datas, chances do Brasil e mais; Confira TUDO sobre vôlei feminino em Tóquio 2020

Com sua versatilidade, Rosamaria provavelmente virá do banco de reservas diversas vezes para ajudar o time comandado pelo técnico José Roberto Guimarães a voltar ao pódio olímpico depois da ausência na Olimpíada do Rio de Janeiro

Honrando o nome da cidade

Fundada em 1892, a cidade catarinense de Nova Trento é inspirada em uma das regiões da Itália mais tradicionais no vôlei. Nascida por lá, Rosamaria Montibeller honrou a tradição italiana e começou logo cedo na modalidade. Aos nove anos de idade, ingressou em um projeto da cidade e logo começou a se destacar como oposta.

+ Confira TUDO sobre TODAS as provas de TODAS as modalidades dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Com um talento único, Rosamaria não tardou a chegar às seleções de base do Brasil. Em 2010, aos 15 anos de idade, conquistou seu primeiro título com a camisa amarela: o Campeonato Sul-Americano Infanto Juvenil. 

Com um ataque muito poderoso, chamou a atenção dos times de São Paulo e se transferiu para o Estado para atuar pelo São Caetano, em 2011. Um ano depois, foi a capitã da seleção brasileira de vôlei feminino que ficou com a medalha de bronze no Mundial Juvenil.

Evoluindo com Zé

Após dois anos em São Caetano, transferiu-se para Campinas para atuar no Vôlei Amil/Campinas, projeto recém iniciado que contava com o técnico tricampeão olímpico José Roberto Guimarães. Jogando sob o comando de um dos maiores treinadores da história e ao lado das campeãs olímpicas Natália e Tandara, Rosa melhorou ainda mais seu vôlei.

Com o fim da equipe, transferiu-se para o Pinheiros, de São Paulo, onde ficou apenas uma temporada. Em 2015, foi contratada pelo Minas Tênis Clube, time que defendeu por três anos e que lhe rendeu a primeira convocação para a seleção principal.

A primeira medalha foi a de prata nos Jogos Pan-Americanos de Toronto-2015. No mesmo ano, foi campeã Mundial Sub 23 com o Brasil, sendo eleita a melhor jogadora da competição.

Rosamaria - seleção brasileira de vôlei - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Rosamaria Montibeller em ação com a seleção brasileira de vôlei feminino (arquivo)

O melhor ano e ida ao Velho Continente

Rosamaria viveu seu melhor ano até ali em 2017. Com a seleção, a oposta catarinense conquistou os títulos do Montreux Volley Masters, do Grand Prix da China e do Campeonato Sul-Americano, além do vice-campeonato na Copa dos Campeões realizada no Japão.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

A jogadora decidiu, no entanto, não defender mais a seleção feminina. Rosamaria só voltaria a usar a camisa amarela do Brasil em 2021 na disputa da Liga das Nações.

Fechou sua passagem pelo Minas com o título Sul-Americano de 2018, sendo eleita a melhor jogadora da competição. Transferiu-se para o Dentil Praia Clube e sagrou-se vice-campeã da Superliga 2018/19, do Sul-Americano de Clubes e da Copa Brasil. A boa temporada lhe rendeu um contrato para jogar no Peruggia, da Itália.

+ Tabela, favoritos, datas, chances do Brasil e mais; Confira TUDO sobre vôlei MASCULINO em Tóquio

Em sua primeira temporada na Itália (2019/2020), Rosamaria jogou pelo Perugia. Disputou 19 jogos e marcou 382 pontos. A competição acabou sendo interrompida pela pandemia do Coronavírus. Em seguida, Rosa trocou o Peruggia pelo Casalmaggiore, um dos mais tradicionais times italianos e de uniforme rosa, igual a seu apelido.

Rosamaria - seleção brasileira de vôlei - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Rosa com a camisa rosa do Casalmaggiore (Reprodução/volleyballcasalmaggiore.it)

Em 2021

Logo em sua primeira temporada com o Casalmaggiore, Rosamaria brilhou. A catarinense atuou em 24 partidas e anotou 408 pontos no fortíssimo Campeonato Italiano, sendo a segunda maior pontuadora da competição. Em termos de ataques, Rosa liderou as estatísticas com 379 pontos.

Com muitos infectados pela Covid-19 no elenco, inclusive na comissão técnica, a equipe não teve condições de disputar os playoffs do campeonato italiano. As belíssimas atuações chamaram atenção do Novara, atual campeão italiano. Rosa foi anunciada como novo reforço da equipe para a temporada 2021/22 em maio.

Em abril, teve fim o período de dois anos sem vestir a camisa da seleção de Rosamaria. Chamada pelo técnico José Roberto Guimarães para a Liga das Nações, na cidade de Rimini, na Itália, a oposta aceitou a convocação e declarou estar pronta para lutar por uma vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio. A jogadora declarou ter “recuperado o tesão em jogar com a seleção

“Voltar a jogar como oposta me fez sentir totalmente capaz de novo, ver que tinha muito que realizar e crescer, acertar e errar. Acho que vários fatores fizeram isso acontecer: a mudança de posição, a curiosidade de conhecer um país novo e sua cultura. A sede de aprender tudo novo foi o gás que estava faltando, ” declarou a jogadora.

Na Liga das Nações Feminina, disputada em junho, Rosa ajudou o Brasil a conquistar a medalha de prata. Logo após a conclusão do torneio, José Roberto divulgou a lista de convocadas para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 com o nome de Rosamaria incluso. A oposta venceu a concorrência com Sheila, uma das maiores jogadoras da história do esporte.

Confira o perfil de TODOS os jogadores que representarão o Brasil em Tóquio

Levantadoras:
Macris
Roberta

Oposta:
Tandara

Oposta/Ponteira:
Rosamaria

Ponteiras:
Gabi
Natália
Fernanda Garay
Ana Cristina

Centrais:
Carol
Carol Gattaz
Bia

Líbero:
Camila Brait