Siga o OTD

Tandara Alves Caixeta

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento:. Brasília (DF)
Idade: 32 anos (30/10/1988
Altura: 1,84m
Peso: 87kg
Clube: Osasco
Pan: 1 (Guadalajara-2011
Olimpíada: 1 (Londres-2012)

OLIMPÍADA
– Londres 2012

MUNDIAL
– Itália-2014

PAN
– Guadalajara-2011

Tandara Alves Caixeta, ou simplesmente Tandara, é uma oposta campeã olímpica que estará com a seleção brasileira de vôlei feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ Tabela, favoritos, datas, chances do Brasil e mais; Confira TUDO sobre vôlei feminino em Tóquio 2020

Considerada uma das atacantes com maior potência no vôlei mundial, conseguindo atacar acima dos 105 km/h. a oposta será fundamental na equipe comandada pelo técnico José Roberto Guimarães na Olimpíada do Japão.

Influenciada pela propaganda

Filha de Evaldo Caixeta, ex-jogador amador da Associação Atlética Banco do Brasil, Tandara aos nove anos, após praticar diversos esportes, decidiu-se pelo vôlei ao assistir uma propaganda na televisão. Em 2005, ainda com 16 anos, estreou na Superliga feminina pela equipe Brasil Telecom de Brasília, sua cidade natal.

+ Confira TUDO sobre TODAS as provas de TODAS as modalidades dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Não demorou muito para Tandara se destacar nas categorias de base da seleção. Em 2004 foi campeã no Sul-Americano Sub-18. Um ano depois, em 2005, levou dois títulos mundiais, um no juvenil e outro no Sub-18. Por fim, em 2007, conquistou um título Mundial foi conquistado com o Brasil e um vice-campeonato da Superliga com a camisa de Osasco.

Dourada aos 23 anos

Em 2011 foi convocada pela seleção brasileira adulta e atuou nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara 2011, terminando com o ouro. No ano seguinte, seguiu em boa fase no Osasco, venceu a Superliga feminina; esse é, até hoje, seu único título nacional.

Em boa fase, viveu o ápice da carreira como atleta com a seleção brasileira de vôlei feminino, quando conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres-2012. No ano seguinte, em 2013, Tandara também participou da campanha que terminou com o Brasil conquistando a Copa dos Campeões no Japão.

Pelo Grand Prix, atual Liga das Nações, a oposta somou dois títulos, Tóquio 2014 (Japão) e Bangkok 2016 (Tailândia). A atleta também conquistou a medalha de bronze do campeonato mundial de 2014, na Itália. 

Tandara Caixeta - oposta - seleção brasileira de vôlei feminino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 Londres 2012
Tandara Caixeta em ação nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 Londres 2012(arquivo)

Pausa para a maternidade e lesão frustrante

No caminho para a Rio-2016, Tandara decidiu ser mãe. Sua filha nasceu em setembro de 2015, dando a Tandara pouco mais de 10 meses para ser convocada novamente para a disputa da Olimpíada do Rio de Janeiro.

Tandara, no entanto, teve de lidar com uma série de lesões ao longo do caminho. A mais dolorosa ocorreu durante o Grand Prix de 2016, pouco antes da Olimpíada. A oposta sofreu um estiramento muscular e acabou ficando de fora da lista dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. 

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Recuperada, voltou com tudo nas temporadas 2016-17 e 2017-18.

Pelo Osasco, foi vice-campeã nacional e levou uma série de prêmios individuais, incluindo o de melhor saque, melhor atacante, craque da galera e maior pontuadora (vencendo pela 3ª vez na carreira). Como consequência, foi eleita pela 2ª vez na vida a MVP (melhor jogadora da competição) do ano.

Já pela seleção, levou Grand Prix de Nanquim 2017, sendo inclusive eleita a melhor oposta da competição. No mesmo ano, faturou a medalha de prata na Copa dos Campeões, disputada no Japão.

Após passagens rápidas pelo vôlei chinês e pelo Sesc Rio, iniciou sua quarta passagem por Osasco, clube nacional pelo qual obteve mais sucesso e conquistou uma enormidade de títulos e prêmios individuais.

Tandara - seleção brasileira de vôlei feminino - Olimpíada de Tóquio 2020
Tandara com a camisa do Osasco (Nadine Oliver / Divulgação)

Em 2021

Tandara segue em excelente fase no ano olímpico. A oposta foi o principal destaque do Osasco, medalhista de bronze na Superliga feminina. Tandara teve a melhor média de pontos por sets (4,93), foi a segunda maior pontuara com 409 pontos, ficando atrás apenas de Polina Rahimova (440). Além disso, foi a oitava maior sacadora com 21 aces no total. Por tudo isso, foi eleita a melhor oposta da competição.

+ Tabela, favoritos, datas, chances do Brasil e mais; Confira TUDO sobre vôlei MASCULINO em Tóquio

Com a seleção brasileira de vôlei feminino, participou da Liga das Nações Feminina em junho e ajudou o Brasil a conquistar a medalha de prata. Com 234 pontos, foi a quarta maior pontuadora do torneio (errando e recebendo menos bolas do que as três primeiras) e liderou o Brasil na fase final. Foi eleita a melhor oposta da competição.

Logo após a conclusão da Liga das Nações, José Roberto divulgou a lista de convocadas para a Olimpíada com o nome de Tandara incluso. A oposta de 30 anos será fundamental nos ataques na Olimpíada de Tóquio.

Confira o perfil de TODOS os jogadores que representarão o Brasil em Tóquio

Levantadoras:
Macris
Roberta

Oposta:
Tandara

Oposta/Ponteira:
Rosamaria

Ponteiras:
Gabi
Natália
Fernanda Garay
Ana Cristina

Centrais:
Carol
Carol Gattaz
Bia

Líbero:
Camila Brait

viagra