Siga o OTD

Espada feminina

Espada femininaJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Esgrima – Espada feminina

Espada feminina

Chances do Brasil

Na Espada feminina, o Brasil será representado pela esgrimista ítalo-brasileira, Nathalie Moellhausen e por Amanda Simeão. A principal aposta é Nathalie na briga por medalhas é Nathalie, que conquistou a medalha de bronze na categoria na última edição do Pan, em 2015, e ainda alcançou as quartas de final nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016.

Mas o grande resultado da carreira da esgrimista foi poucos dias antes do Pan. Foi campeã mundial em Budapeste, de longe o maior resultado da história da modalidade no país. Tem, ainda, bronze na etapa de Chengdu, na China, da Copa do Mundo de esgrima, disputada em março deste ano, e a prata no Pan-Americano de Esgrima, realizado em junho.

Local da competição

Centro de Convenções de Lima

Nossos pódios Espada feminina

A disputa de espada feminina só foi incluída nos Jogos Pan-Americanos em 1987. E desde então, o Brasil conseguiu um lugar no pódio em duas oportunidades: em 2007, com Clarisse Menezes, e em 2015, com a italiana naturalizada brasileira, Nathalie Moellhausen.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1987 Tamara Esteri
Cuba
Yamila Figueroa
Cuba
Vincent Bradford
EUA
1991 Taymi Chappe
Cuba
Angélica Dueñas
 México
Yolitzin Martínez
 México
1995 Leslie Marx
EUA
Milagros Palma
Cuba
Yolitzin Martínez
 México
Yurina Suárez
Cuba
1999 Mirayda García
Cuba
Tamara Esteri
Cuba
Elida Agüero
Argentina
Nhi Lan Le
EUA
2003 Eimey Gómez
Cuba
Sherraine Schalm
Canadá
Endrina Álvarez
Venezuela
Jesika Jiménez
Panamá
2007 Courtney Hurley
EUA
Julie Leprohon
Canadá
Angela Espinoza
Colômbia Colômbia
Clarisse Menezes
Brasil
2011 Kelley Hurley
EUA
Courtney Hurley
EUA
Elida Agüero
Argentina
Yamirka Rodríguez
Cuba
2015 Katharine Holmes
EUA
Violeta Ramírez Peguero
 República Dominicana
Nathalie Moellhausen
Brasil
María Martínez
Venezuela

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Cuba 4 3 2 9
2  EUA 4 1 2 7
3  Canadá 0 2 0 2
4  México 0 1 2 3
5  República Dominicana 0 1 0 1
6  Brasil 0 0 2 2
 Argentina 0 0 2 2
 Venezuela 0 0 2 2
9  Colômbia 0 0 1 1
 Panamá 0 0 1 1

A prova Espada feminina

A esgrima consiste no combate entre atletas, que se utilizam de uma “arma-branca” para atacar e defender. É, porém, a o único esporte de combate em que não é permitido contato corporal.

Os combates são realizados em uma pista de 14 metros de comprimento e 1,5 a 2 metros de largura, sendo que os esgrimistas são posicionados a uma distância de dois metros um do outro.

O objetivo é tocar o adversário com a ponta da arma sem ser tocado e os pontos são definidos por meio de um sensor, que identifica quando um esgrimista foi tocado em sua superfície válida.

A espada é a maior das armas, com 110 centímetros, a mais pesada (770 gramas) e a mais rígida. É também a única em que os pontos são marcados quando a ponta atinge qualquer parte do corpo do adversário.

As disputas individuais têm três rounds de três minutos cada ou até um esgrimista tocar 15 vezes o adversário.