Siga o OTD

200m masculino

Calendário

Recorde

OlímpicoMundialBrasileiro
19.30 / Usain Bolt (JAM) / Pequim (CHN) – 20/08/2008
19.19 / Usain Bolt (JAM) / Berlim (GER) – 29/09/1988
19.89 / Claudinei da Silva / Munique (GER) – 11/09/1999

Chances do Brasil

Nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, os melhores nomes do Brasil nos 200m masculino são Aldemir Junior e Paulo André de Oliveira. Ambos estarão no Japão, mas dificilmente devem chegar à semifinal.

+ Veja a lista dos brasileiros classificados para os Jogos

Os Favoritos

O maior favorito à medalha de ouro nos 200m masculino dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 é o atual campeão mundial, o americano Noah Lyles. Campeão mundial com 19s83, ele é dono de 6 das 10 melhores marcas do ano passado, vencendo 5 das 6 provas que disputou no ano. Apesar dos outros americanos terem ido muito mal no Mundial, nem passando da primeira fase, eles chegarão em Tóquio com bons tempos e com grandes chances de medalha. Michael Norman e Kenneth Bednarek podem beliscar uma medalha.

Vale ficar de olho também na Olimpíada de Tóquio 2020 em Ramil Guliyev. Nascido no Azerbaijão e atualmente representando a Turquia, Guliyev foi campeão mundial dos 200m masculino em 2017 e campeão europeu em 2018. O canadense Andre De Grasse foi prata no último Mundial e o equatoriano Alex Quiñonez teve um ótimo ano de 2019, com o bronze no Mundial de 2019 e o ouro no Pan de Lima.

Também devem brigar pro medalha nos 200m masculino dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 o nigeriano Divine Oduduru, o britânico Adam Gemili, campeão europeu em 2014, e o chinês Xie Zhenye, atual campeão asiático.

O Brasil nos Jogos

O primeiro brasileiro a disputar a prova em Jogos Olímpicos foi Alvaro de Oliveira, em Paris-1924, que não passou da 1ª fase. Apenas em Berlim-1936 que o Brasil voltou a competir, com José de Almeida, que também não avançou de fase.

Nos Jogos Olímpicos de Londres-1948, foram três brasileiros e todos avançaram para a 2ª fase. Aroldo da Silva inclusive chegou até as semifinais, onde ficou em 4º na sua bateria e por pouco não pegou final. Em Roma-1960, José da Conceição Telles, que havia ganho o bronze no salto em altura 8 anos antes, competiu nos 200m e chegou a segunda rodada.

O 1º finalista brasileiro na prova foi Rui da Silva, nos Jogos Olímpicos de Montreal-1976. Ele fez 20.99 na 1ª fase, 20.76 nas quartas, 21.01 na semifinal e terminou em 5º na final com 20.84, ficando a 0.41 do pódio. Em Los Angeles-1984, João Batista da Silva ficou em 4º lugar, a apenas 0.04 do pódio, marcando o tempo de 20.30. Nesta mesma edição, Robson Caetano chegou às semifinais.

A única medalha brasileira na prova veio na Olimpíada de Seul-1988, com o Robson. Ele venceu a sua bateria eliminatória com 21.12, venceu a sua bateria da 2ª rodada com 20.41, ficou em 2º na sua semifinal com 20.28, atrás de Carl Lewis e foi bronze com 20.04, atrás dos americanos Joe DeLoach (19.75) e Carl Lewis (19.79). Robson Caetano ficou perto de ais uma medalha quatro anos depois em Barcelona-1992, quando terminou em 4º na final com 20.45, a 0.07 do bronze. Ele venceu sua bateria na 1ª rodada com 20.62, venceu sua quarta de final com 20.35 e fez 20.15 na semifinal, tempo que lhe daria o bronze na decisão. Ela ainda disputou os jogos de Atlanta-1996, mas, com 32 anos, parou na 2ª fase.

Na Olimpíada de Sydney-2000, foi a vez de Claudinei Quirino chegar à final. Prata no Mundial no ano anterior, Claudinei terminou em 6º na final com 20.28, a apenas 0.08 do bronze. Depois disso, nenhum brasileiro chegou mais a uma semifinal. Fica a expectativa de quebrar esse tabu nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Histórico

Amplamente dominados pelos americanos que venceram 17 das 27 edições, os 200m masculino foram disputados em uma Olimpíada pela primeira vez em Paris-1900, na 2ª edição dos Jogos com apenas 8 atletas de 7 países competindo. A vitória ficou com o americano Walter Tewksbury, com 22.2 na decisão.

Nos Jogos Olímpicos de Berlim-1936, Jesse Owens voltou a brilhar na frente de Hitler e vencer os 200m masculino com 20.7 na final, com recorde mundial, dois dias após a vitórias nos 100m. Com o fim da 2ª Guerra Mundial, os jogos voltaram em Londres-1948 com vitória do americano Mel Patton com 21.1. Nos dois jogos seguintes, foram dois pódios totalmente formados por americanos. Até Roma-1960, todos os campeões ou foram americanos ou canadenses. Correndo em casa, Livio Berrutti igualou o recorde mundial na semifinal com 20.5 e repetiu o feito na final, ficando com o ouro.

Mas foi na edição da Cidade do México-1968 que a prova dos 200m masculino chamou muita atenção. O vencedor foi o americano Tommie Smith, que bateu o recorde mundial na decisão com 19.83, o 1º a baixar dos 20s em uma Olimpíada, seguido do australiano Peter Norman com 20.06 e do americano John Carlos com 20.10. Na cerimônia de premiação, os dois americanos estavam sem sapatos, com meias pretas, Smith usava um cachecol preto no pescoço, Carlos estava com a sua jaqueta aberta com um colar de contas, e os três usavam o emblema do Projeto Olímpico dos Direitos Humanos (OPHR). Os dois americanos usavam uma luva preta cada e, na hora do hino nacional, levantaram seus braços com as cabeças abaixadas fazendo a saudação do Black Power.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Nos Jogos Olímpicos de Montreal-1976, o jamaicano Don Quarrie foi ouro dos 200m masculino com 20.23, 1º ouro jamaicano em 24 anos. Em Moscou-1980, sem os americanos, a vitória ficou com o lendário italiano Pietro Mennea, vencendo com 20.19. Em Los Angeles-1984, os americanos voltaram a dominar, com pódio completo, liderados por Carl Lewis. Nos Jogos de Seul-1988, o título ficou com o americano Joe DeLoach com 19.75, deixando Carl Lewis com a prata com 19.79 e o brasileiro Robson Caetano com o bronze com 20.04.

Na Olimpíada de Atlanta-1996 o ouro ficou com Michael Johnson, até hoje o único a vencer numa mesma Olimpíada os 200m masculino e os 400m. Johnson fez uma final espetacular para vencer com 19.32, recorde mundial que perdurou até u, certo jamaicano aparecer. Em Sydney-2000, o ouro ficou com o surpreendente grego Konstantinos Kenteris com 20.09. Atenas-2004 viu um novo pódio completo americano, liderado por Shawn Crawford, ouro com 19.79.

Nos jogos Olímpicos de Pequim-2008, um certo jamaicano apareceu pro mundo. Usain Bolt venceu com muita facilidade seu 1º ouro nos 200m masculino, 4 dias depois do ouro nos 100m. Bolt sobrou pra vencer com novo recorde mundial de 19.30, 0.66 a frente do 2º colocado, o campeão de 2004 Shawn Crawford. Em Londres-2012, Bolt venceu mais uma vez em pódio todo jamaicano com 19.32, mas viu Yohan Blake chegar em 2º muito próximo, com 19.44. O jamaicano fechou sua trifeta com a vitória no Rio-2016 com 19.78, o único abaixo dos 20s na final.

Os Medalhistas

Olimpíada
Paris-1900Walter Tewksbury
USA
Norman Pritchard
IND
Stan Rowley
AUS
St. Louis-1904Archie Hahn
USA
Nate Cartmell
USA
William Hogenson
USA
Londres-1908Robert Kerr
CAN
Robert Cloughen
USA
Nate Cartmell
USA
Estocolmo-1912Ralph Craig
USA
Donald Lippincott
USA
Willie Applegarth
GBR
Antuérpia-1920Allen Woodring
USA
Charley Paddock
USA
Harry Edward
GBR
Paris-1924Jackson Scholz
USA
Charley Paddock
USA
Eric Liddell
GBR
Amsterdã-1928Percy Williams
CAN
Walter Rangeley
GBR
Helmut Körnig
GER
Los Angeles-1932Eddie Tolan
USA
George Simpson
USA
Ralph Metcalfe
USA
Berlim-1936Jesse Owens
USA
Mack Robinson
USA
Tinus Osendarp
NED
Londres-1948Mel Patton
USA
Barney Ewell
USA
Lloyd LaBeach
PAN
Helsinque-1952Andy Stanfield
USA
Thane Baker
USA
James Gathers
USA
Melbourne-1956Bobby Morrow
USA
Andy Stanfield
USA
Thane Baker
USA
Roma-1960Livio Berruti
ITA
Lester Carney
USA
Abdoulaye Seye
FRA
Tóquio-1964Henry Carr
USA
Paul Drayton
USA
Edwin Roberts
TTO
Cidade do México-1968Tommie Smith
USA
Peter Norman
AUS
John Carlos
USA
Munique-1972Valeriy Borzov
URS
Larry Black
USA
Pietro Mennea
ITA
Montreal-1976Don Quarrie
JAM
Millard Hampton
USA
Dwayne Evans
USA
Moscou-1980Pietro Mennea
ITA
Allan Wells
GBR
Don Quarrie
JAM
Los Angeles-1984Carl Lewis
USA
Kirk Baptiste
USA
Thomas Jefferson
USA
Seul-1988Joe DeLoach
USA
Carl Lewis
USA
Robson Caetano
BRA
Barcelona-1992Michael Marsh
USA
Frankie Fredericks
NAM
Michael Bates
USA
Atlanta-1996Michael Johnson
USA
Frankie Fredericks
NAM
Ato Boldon
TTO
Sydney-2000Konstantinos Kenteris
GRE
Darren Campbell
GBR
Ato Boldon
TTO
Atenas-2004Shawn Crawford
USA
Brnard Williams
USA
Justin Gatlin
USA
Pequim-2008Usain Bolt
JAM
Shawn Crawford
USA
Walter Dix
USA
Londres-2012Usain Bolt
JAM
Yohan Blake
JAM
Warre Weir
JAM
Rio-2016Usain Bolt
JAM
Andre De Grasse
CAN
Chritophe Lemaitre
FRA

Quadro de Medalhas

PaísTotal
1Estados Unidos17181146
2Jamaica4127
3Canadá2103
4Itália2013
5Grécia1001
5União Soviética1001
7Grã-Bretanha0336
8Namíbia0202
9Austrália0101
9Índia0101
11Trinidad & Tobago0033
12França0022
13Alemanha0011
13Austrália0011
13Brasil0011
13Países Baixos0011
13Panamá0011

A Prova

200 metros rasos é uma modalidade olímpica de corrida de velocidade no atletismo.

Disputada em metade de uma pista padrão de 400 metros, os atletas largam de blocos firmados no chão e correm dentro de raias marcadas na pista. Esta prova começa numa das curvas e termina na reta da meta, particularidade que exige o treino de uma combinação de técnicas, que não está presente nos 100 metros (disputados numa linha reta). Embora seja uma prova mais longa, os 200 metros são corridos normalmente com mais velocidade relativa que os 100 metros: o recorde do mundo de 19.19 s de Usain Bolt corresponde a uma velocidade de 37.52 km/h, enquanto que a marca de 9.58 s do mesmo Usain Bolt nos 100 metros representa uma velocidade de 37.58 km/h. Isto deve-se ao fato de, nos 200 metros, os atletas chegarem à reta final em velocidade de ponta, o que permite que a segunda metade da prova seja mais rápida que a primeira. Quando Bolt estabeleceu o recorde mundial atual de 19s19, ele correu os últimos 100 m em 9s27, uma marca muito mais rápida que seu próprio recorde mundial dos 100 m rasos, quando os atletas largam da inércia.

Os 200 metros são uma prova de velocidade, geralmente corrida por atletas que também participam ou nos 100 metros como Veronica Campbell-Brown ou nos 400 metros rasos como Michael Johnson. O recorde mundial masculino pertence ao jamaicano Usain Bolt – 19s19 – conquistados em Berlim 2009 e o feminino à norte-americana Florence Griffith-Joyner – 21s34 – em Seul 1988; os atuais campeões olímpicos são Bolt e a também jamaicana Elaine Thompson e os campeões mundiais, Bolt e a holandesa Dafne Schippers.

Provas disputadas com uma velocidade de vento favorável maior que 2 m/s não são aceitáveis para a homologação de recordes. Sensores colocados no bloco de largada marcam o tempo de reação dos atletas ao sinal de largada; um tempo de reação inferior a 0.1s é considerado como largada falsa, os velocistas chamados de volta à largada e o responsável desclassificado. Um atleta também pode ser desclassificado caso pise fora da linha que delimita sua raia de corrida