Siga o OTD

Skiff duplo peso leve masculino

Xavier Vela e Willian Giaretton vão às quartas no MundialJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Remo – Skiff duplo peso leve masculino

Chances do Brasil

Mescando jovens remadores com outros mais experientes, a Confederação Brasileira de Remo convocou 20 atletas para o período de treinamentos e avaliações às vésperas dos Jogos Pan-Americanos, no Rio de Janeiro. Foram dois meses de trabalho, entre maio e julho. A expectativa da comissão técnica é superar o resultado abaixo da média em Toronto 2015, quando o Brasil trouxe para casa somente uma medalha de prata. No skiff duplo peso leve masculino, Alison Eráclito e Evaldo Morais serão os representantes brasileiros em Lima.

A estrela dos Jogos

Alan Armenta (esq.) e Alexis López (dir.) levaram a medalha de ouro em Toronto 2015

Desde Indianápolis 1987, apenas dois remadores já conquistaram o bicampeonato da categoria. O cubano Yunior Pérez foi o primeiro a alcançar o feito ao levar o ouro em Santo Domingo 2003 e no Rio de Janeiro 2007, ao lado de Armando Arrechavaleta e Eyder Batista, respectivamente. Além disso, também assegurou a prata em Guadalajara 2011. Na ocasião, foi derrotado pelo mexicano Alan Armenta (formou dupla com Gerardo Sánchez), que faturou o título das últimas duas edições do Pan e igualou o desempenho do adversário. Em Toronto 2015, também confirmou o primeiro lugar juntamente com Alexis López.

Nossos pódios

Thiago Gomes e José Carlos Sobram também participaram da Olimpíada de Atenas 2004

Ao longo da história do skiff duplo peso leve masculino nos Jogos Pan-Americanos, o Brasil só marcou presença no pódio em uma oportunidade. A dupla formada por José Carlos Sobral e Thiago Gomes teve bom rendimento em Santo Domingo 2003 e brigou diretamente pela primeira posição, mas voltou da República Dominicana com a medalha de prata. Na ocasião, o título ficou com a equipe cubana.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1987 Brian Thome
John Murphy

 Canadá
Jorge Lamo
Federico Querin

 Argentina
Robert Dreher
Michael Dreher

EUA
1991 Aleman
Alexis Arias

 Cuba
Jorge Lamo
Federico Querin

 Argentina
Peter Borowski
Mike Hindery

EUA
1995 Barry Klein
Christopher Schulten

 Estados Unidos
Raúl León
Alexis Arias

 Cuba
James Brambell
Reuben Thompson

 Canadá
1999 Sebastián Massa
Ulf Lienhard

 Argentina
Andrew Bordon
Kyle Warrington

 Canadá
Armando Arrechavaleta
Raúl León

 Cuba
2003 Yunior Pérez
Armando Arrechavaleta

 Cuba
José Carlos Sobral
Thiago Gomes

 Brasil
Sebastián Massa
Ulf Lienhard

 Argentina
2007 Eyder Batista
Yunior Pérez

 Cuba
Rich Montgomery
Andrew Liverman

EUA
Félipe Leal
Miguel Cerda

 Chile
2011 Alan Armenta
Gerardo Sanchez

 México
Yunior Pérez
Eyder Batista

 Cuba
Travis King
Terence McKall

 Canadá
2015 Alan Armenta
Alexis López

 México
Colin Ethridge
Austin Meyer

EUA
Raul Hernandez
Liosbel Hernández

 Cuba

Quadro de medalhas

Posição País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Cuba 3 2 2 7
2  México 2 0 0 2
3  EUA 1 2 2 5
4  Argentina 1 2 1 4
5  Canadá 1 1 2 4
6  Brasil 0 1 0 1
7  Chile 0 0 1 1

O esporte

As provas de remo são disputadas no sistema de eliminatória, contando com repescagem, semifinal e final. As distâncias percorridas nas provas são de dois mil metros. As raias, com largura padrão recomendada pela FISA, têm 13,50 metros de largura e profundidade entre 3 e 3,50 metros.

Os barcos utilizados para as competições são constituídos por um, dois, quatro ou oito remadores. Quando são oito remadores, é obrigatório ter um timoneiro. Ele é um integrante que não rema, mas é o responsável por orientar e incentivar a sua equipe durante as provas. Cada remador pode conduzir o barco utilizando um ou dois remos dependendo do tipo de barco. O formato do remo varia conforme a modalidade. Em algumas provas são utilizadas remos de até 4 metros. (Reprodução/Casal Travinha)