Siga o OTD

4 x 100m livre feminino

4 x 100m livre feminino – Natação – Jogos Olímpicos Tóquio 2020 

 

Recordes dos 4 x 100m livre feminino

Recorde mundial: 3m30s05 – Austrália (Shayna Jack, Bronte Campbell, Emma McKeon e Cate Campbell) – Gold Coast (AUS) – 05/04/2018
Recorde olímpico: 3m30s65 – Austrália (Emma McKeon, Brittany Elmslie, Bronte Campbell e Cate Campbell) – Rio de Janeiro (BRA) – 06/08/2016
Recorde Brasileiro: 3m37s39 – Larissa Oliveira, Gracielle Hermann, Etiene Medeiros e Daynara de Paula – Toronto (CAN) – 14/07/2015

Chances do Brasil nos 4 x 100m livre feminino nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020

4 x100m feminino Brasil natação
As quatro integrantes do 4 x 100m livre do Brasil nos Jogos de Tóquio-2020: Etiene Medeiros, Stephanie Balduccini, Ana Vieira e Larissa Oliveira(Divulgação/Satiro Sodré/CBDA)

Diferentemente do que ocorreu no masculino, a equipe feminina do Brasil ainda não possuía a vaga direta em nenhuma prova conjunta. No 4x100m, 12 das 16 vagas já estavam definidas e as quatro restantes iriam para os quatro melhores tempos do ranking mundial.

Na Seletiva Olímpica da natação, as quatro melhores nadadoras do 100m participariam depois de uma tomada de tempo para tentar melhorar a posição no ranking mundial. Etiene Medeiros, Stephanie Balduccini, Larissa Oliveira, Ana Vieira caíram na água e cravaram 3min38s59, 2ª melhor marca da história do 4x100m feminino, atrás apenas do recorde obtido no Pan de Lima em 2019.

+ Confira um perfil completo de Larissa Oliveira, Etiene Medeiros, Ana Vieira e Stephanie Balduccini

As quatro então tiveram que secar os outros países e torcer para que o tempo feito na Seletiva ficasse com uma das quatro vagas restantes. No início de junho, a Fina (Federação Internacional de Natação) confirmou, a convocação do revezamento 4x100m livre feminino do Brasil para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Pata Tóquio, as nadadoras terão que, no mínimo, baixar o recorde sul-americano de 3m37s39. Se fizerem isso, é possível se classificar para a final entre as oito melhores. O ideal seria baixar da casa dos 3min37s.

Pensar em uma medalha é muito difícil. As brasileiras teriam que nadar, em tese, abaixo de 3min33s50, cinco segundos a menos do tempo obtido na Seletiva. Isso é algo que parece pouco provável analisando os resultados obtidos ao longo do ciclo. Uma final já seria uma grande conquista.

Favoritas do 4 x 100m livre feminino nos Jogos de Tóquio-2020

Austrália, Estados Unidos, Canadá e Holanda. Esses são os países que formam há anos o Top 4 da prova e que devem brigar por medalhas na Olimpíada de Tóquio 2020.

A Austrália, liderada pelas irmãs Campbell, venceu o último Mundial mesmo não fazendo sua melhor marca, mas o suficiente para colocar cerca de 0s80 a frente dos Estados Unidos. Donas das quatro melhores marcas de todos os tempos, a equipe australiana dificilmente perderá o ouro em Tóquio-2020, onde provavelmente vai nadar abaixo do recorde mundial de 3m30s05, feito por elas para nos Jogos da Comunidade Britânica em 2018.

Revezamento 4 x 100m Australia 4 x 100m livre feminino - Natação - Jogos Olímpicos Tóquio 2020 
Campeã mundial em 2019, a Austrália é a principal favorita para levar o ouro no 4x100m livre na Olimpíada de Tóquio (Reprodução)

É sempre bom, claro, não subestimar a equipe americana na natação. No 4x100m, são vice campeãs mundiais em 2019 com 3m31s02, recorde nacional do país. Os Estados Unidos já surpreenderam as australianas com o título mundial de 2017. Raro nos últimos anos, mas este feito pode sim se repetir na Olimpíada do Japão.

Ainda na América do Norte, o Canadá é o país que mais evoluiu na natação feminina na última década e a prova disso é o 4 x 100 m livre, onde o país conquistou o bronze dos Jogos do Rio e repetiu a medalha no Mundial de 2019, desbancando em ambas as ocasiões a Holanda.

Campeãs na Olimpíada de Pequim-2008, as holandesas ainda contam com Ranomi Kromowidjojo e Femke Heemskerk, dupla que fez parte da equipe no seu auge. Elas buscam não só se manterem em alto nível como achar peças de possam substituir Inge Dekker e Marleen Veldhuis que fizeram parte da equipe imbatível em 2008 e 2009. China, Suécia, Japão e Alemanha completam a lista de países com chance de brigar pelo pódio na Olimpíada.

O Brasil nos 4 x 100m livre feminino dos Jogos Olímpicos

Ao contrário da equipe masculina que participou de quase todas as edições olímpicas na natação e conquistou um bronze em Sydney-2000, a equipe feminina do 4x100m feminino só participou de cinco edições olímpicas. Na primeira delas, em Londres-1948, obteve o melhor resultado até hoje um sexto lugar com o time composto por Eleonora Schmitt, Maria da Costa, Talita Rodrígues e Piedade Coutinho-Tavares.

+ Veja a lista dos brasileiros classificados para os Jogos

Dois destaques na participação desta equipe. O primeiro foi a presença nesse time de Piedade Coutinho, que 12 anos antes em Berlim-1936 conquistou o quinto lugar nos 400m livre, o melhor resultado individual do Brasil na natação feminina, empatado com o dos 400m medley de Joanna Maranhão em Atenas-2004. O segundo foi a participação de Talita Rodrigues, que tinha na ocasião da final olímpica apenas 13 anos e 347 dias e era até este ano a mais jovem atleta a representar o Brasil na história das Olimpíadas.

Esta marca será superada em Tóquio pela participação de Rayssa Leal no skate street, que terá no momento das disputas de sua modalidade 13 anos e 199 dias.

Além da participação em Londres, o revezamento 4x100m feminino do Brasil também esteve na Olimpíada de Seul-1988, Atenas-2004, Pequim-2008 e Rio-2016, mas não voltou a avançar até à final.

Histórico dos 4 x 100m livre feminino nos Jogos Olímpicos

O 4 x100m livre feminino estreou nos Jogos Olímpicos junto com a participação feminina na natação, em Estocolmo-1912.

Os Estados Unidos já venceram a prova 14 vezes, mas atualmente quem tem brilhado mesmo no âmbito olímpico são australianas e holandesas. As primeiras campeãs olímpicas, entretanto, foram as britânicas, vencedoras nas piscinas suecas há 119 anos.

Domínio americano

Os Estados Unidos venceram as três edições seguidas, em equipes que tinham grandes nomes como Albina Osipowich, Martha Norelius ,Gertrude Ederle e Helene Madison. Já em Berlim-1936, lideradas por Willy den Ouden e Rie Mastenbroek, a Holanda conquistou o seu primeiro título, iniciando uma forte tradição que vem até os dias de hoje.

No pós-guerra, os Estados Unidos voltaram a vencer em Londres-1948, a Hungria ganhou em Helsinque-1952 e a Austrália, país que domina a prova até os dias de hoje, foi campeã em Melbourne-1956, lideradas pela tricampeã olímpica individual dos 100m livre Dawn Fraser.

De Roma-1960 a Montreal-1976, mais cinco títulos dos EUA. A sequência foi interrompida na Olimpíada de Moscou-1980, onde as alemãs orientais aproveitaram o boicote do país rival para ficarem com o título.

Em Los Angeles-1984, desta vez com alemãs e soviéticas boicotando os Jogos, mais um título americano. Em Seul-1988, os dois países voltaram a se enfrentar depois de 12 anos e o título ficou com a Alemanha Oriental, liderada por Kristin Otto, vencedora de seis ouros olímpicos naquela Olimpíada.

Nas três olímpiadas seguintes, mas três ouros americanos, com destaque para Dara Torres, que fez parte dos times de Barcelona-1992 e Sydney-2000, e Jenny Thompson, que nadou nas três edições.

Surgimento de outras forças

A Austrália venceu em Atenas-2004, Londres-2012 e Rio-2016, e só teve seu domínio nos últimos anos interrompido pela também espetacular equipe da Holanda, campeã olímpica em Pequim-2008.

Entre pratas e bronzes, os Estados Unidos não saem do hall das melhores equipes e vão brigar muito forte por esse ouro que não vem há 21 anos.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

As medalhistas dos 4 x 100m livre feminino nos Jogos Olímpicos

JogosOuroPrataBronze
Estocolmo 1912Grã-BretanhaAlemanhaÁustria
Antuérpia 1920Estados UnidosGrã-BretanhaSuécia
Paris 1924Estados UnidosGrá-BretanhaSuécia
Amsterdã 1928Estados UnidosGrã-BretanhaÁfrica do Sul
Los Angeles 1932Estados UnidosHolandaGrã-Bretanha
Berlim 1936HolandaAlemanhaEstados Unidos
Londres 1948Estados UnidosDinamarcaHolanda
Helsinque 1952HungriaHolandaEstados Unidos
Melbourne 1956AustráliaEstados UnidosÁfrica do Sul
Roma 1960Estados UnidosAustráliaAlemanha
Tóquio 1964Estados UnidosAustráliaHolanda
Cidade do México 1968Estados UnidosAlemanha OrientalCanadá
Munique 1972Estados UnidosAlemanha OrientalAlemanha Ocidental
Montreal 1976Estados UnidosAlemanha OrientalCanadá
Moscou 1980Alemanha OrientalSuéciaHolanda
Los Angeles 1984Estados UnidosHolandaAlemanha Ocidental
Seul 1988Alemanha OrientalHolandaEstados Unidos
Barcelona 1992Estados UnidosChinaAlemanha
Atlanta 1996Estados UnidosChinaAlemanha
Sydney 2000Estados UnidosHolandaSuécia
Atenas 2004AustráliaEstados UnidosHolanda
Pequim 2008HolandaEstados UnidosAustrália
Londres 2012AustráliaHolandaEstados Unidos
Rio 2016AustráliaEstados UnidosCanadá

Quadro de medalhas dos 4 x 100m livre feminino nos Jogos Olímpicos

PaísOuroPrataBronzeTotal
Estados Unidos144422
Austrália4217
Holanda26412
Alemanha Oriental2305
Grã-Bretanha1315
Hungria1001
Alemanha0235
China0202
Suécia0134
Dinamarca0101
Canadá0033
África do Sul0022
Alemanha Ocidental0022
Áustria0011
viagra