Siga o OTD

Salto em distância masculino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Atletismo – salto em distância masculino

Chances do Brasil

Alexsandro de Melo tem sido o melhor brasileiro no salto em distância masculino desde 2017. Sua melhor marca, obtida ano passado, é de 8,19m. O resultado faria com que ele ficasse na décima colocação em um ranking formado só por atletas das Américas.

O melhor resultado do mundo foi do cubano Juan Miguel Echevarría, que fez 8,68m e deve chegar nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 como o grande favorito à medalha de ouro. Entre os atletas que ficaram a frente de Alexsandro de Melo, cinco são americanos, mas apenas dois poderão estar no Peru. O brasileiro deve conseguir com certa tranquilidade uma vaga na final, mas a disputa por medalhas está um pouco mais distante e vai depender bastante de quem serão os atletas dos Estados Unidos que estarão na competição.

Além de Alexssandro de Melo, Paulo Sérgio dos Santos Oliveira também vai disputar o salto em distância em Lima 2019. Ele conseguiu a classificação com a marca de 8m11.

Local da competição

Estádio Atlético Pan-Americano

Local: Lima

Capacidade: 12.000 torcedores

A estrela dos Jogos

O cubano Iván Pedroso é o maior medalhista da história dos Jogos Pan-Americanos no salto em distância masculino. O primeiro pódio do atleta foi com a medalha de bronze em Havana 1991. Mas, depois disso, ele não saiu mais do lugar mais alto do pódio. Foi tricampeão nas três edições anteriores: Mar Del Plata 1995, Winnipeg 1999 e Santo Domingo 2003.

Apesar das conquistas de Iván Pedroso, o melhor desempenho em uma única edição é de Carl Lewis. A lenda americana, dona de dez medalhas olímpicas, nove de ouro e uma de prata entre 1984 e 1992, foi campeão em Indianápolis 1987 com a marca de 8,75m, a maior da história dos Jogos Pan-Americanos no salto em distância masculino.

Nossos pódios

João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, foi o protagonista das duas medalhas de ouro do Brasil no salto em distância masculino dos Jogos Pan-Americanos. Ele foi bicampeão com as conquistas na Cidade do México 1975 e em San Juan 1979. Nas duas edições, ele também venceu o salto triplo masculino, modalidade em que ganhou duas medalhas de bronze em Montreal 1976 e em Moscou 1980.

Além das duas medalhas conquistadas por João do Pulo, o Brasil conquistou um bronze com Ary de Sá na Cidade do México em 1955.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro TEMPO Medalha de prata TEMPO Medalha de bronze TEMPO
1951 Gay Bryan
EUA
7.14m Albino Geist
Argentina
7.09m Jim Holland
EUA
6.95m
1955 Roslyn Range
EUA
8.03m John Bennett
EUA
8.01m Ary de Sá
Brasil
7.84m
1959 Irvin “Bo” Roberson
EUA
7.97m Greg Bell
EUA
7.60m Lester Bird
Jamaica
7.46m
1963 Ralph Boston
EUA
8.11m Darrell Horn
EUA
8.02m Juan Muñoz
Venezuela
7.46m
1967 Ralph Boston
EUA
8.29m Bob Beamon
EUA
8.07m Wellesley Clayton
Jamaica
7.76m
1971 Arnie Robinson
EUA
8.02 m James “Bouncy” Moore
EUA
7.98 m Mike Mason
Canadá
7.65m
1975 João Carlos de Oliveira
Brasil
8.19m Arnie Robinson
EUA
7.94m Al Lanier
EUA
7.91m
1979 João Carlos de Oliveira
Brasil
8.18m David Giralt
Cuba Cuba
8.15m Carl Lewis
EUA
8.13m
1983 Jaime Jefferson
Cuba Cuba
8.03m Vesco Bradley
EUA
7.99m Juan Felipe Ortiz
Cuba Cuba
7.91m
1987 Carl Lewis
EUA
8.75m Larry Myricks
EUA
8.58m Jaime Jefferson
Cuba Cuba
8.51m
1991 Jaime Jefferson
Cuba Cuba
8.26m Llewellyn Starks
EUA
8.01m Iván Pedroso
Cuba Cuba
7.96m
1995 Iván Pedroso
Cuba Cuba
8,50m Jaime Jefferson
Cuba Cuba
8,23m Elmer Williams
 Porto Rico
8,00m
1999 Iván Pedroso
Cuba Cuba
8,52m Kareem Streete-Thompson
 Ilhas Cayman
8,12m Luiz Meliz
Cuba Cuba
8,06m
2003 Iván Pedroso
Cuba Cuba
8,23m Luis Meliz
Cuba Cuba
8,20m Víctor Castillo
Venezuela
7,98m
2007 Irving Saladino
Panamá
8,28m Wilfredo Martínez
Cuba Cuba
7,92m Bashir Ramzy
EUA
7,90m
2011 Daniel Pineda
Chile
7,97m David Registe
 Dominica
7,89m Jeremy Hicks
EUA
7,83m
2015 Jeffery Henderson
EUA
8.54m Marquise Goodwin
EUA
8.27m Emiliano Lasa
 Uruguai
8.17m

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  EUA 8 10 5 23
2  Cuba 5 3 4 12
3  Brasil 2 0 1 3
4  Chile 1 0 0 1
 Panamá 1 0 0 1
6  Argentina 0 1 0 1
 Dominica 0 1 0 1
 Ilhas Cayman 0 1 0 1
9  Jamaica 0 0 2 2
 Venezuela 0 0 2 2
11  Canadá 0 0 1 1
 Porto Rico 0 0 1 1
 Uruguai 0 0 1 1

A prova

Salto em distânciaé uma modalidade olímpica de atletismo, onde os atletas combinam velocidade, força e agilidade para saltarem o mais longe possível a partir de um ponto pré-determinado.

O salto deve ser dado após uma corrida numa raia marcada no chão, com o atleta saltando o mais longe possível dentro de uma caixa de areia ao fim dela. O salto é invalidado caso o atleta pise no final da tábua de impulsão, que geralmente é marcado por uma listra vermelha, colocada exatamente no início da caixa. Atualmente, o bordo da tábua é coberto por plasticina para facilitar a decisão dos juízes em casos dúbios. A distância é então medida do limite da tábua até a primeira marca na areia feita pelo corpo do atleta. A maioria dos eventos disputados é composto de seis saltos, sendo que alguns deles, que tem marcas mais baixas, constam de apenas três saltos. Se os competidores empatam no salto mais longo, é declarado vencedor aquele com a segunda marca mais longa.

Em eventos esportivos de grande magnitude, como os Jogos Olímpicos ou o Campeonato Mundial de Atletismo por exemplo, os doze melhores atletas dentre todos os que participam da primeira rodada de saltos, são classificados para a final; nela, todos dão três saltos mas apenas os oito primeiros colocados participam da rodada final de mais três saltos. Todos os seis saltos destes atletas finais valem para aferir o vencedor.

Como em diversas outras modalidades do atletismo, saltos dados com vento a favor acima de 2m/s não tem validade para a aferição de recordes.

AGENDA DO DIA

out 18 04:00 Jogos Mundiais Militares - Futebol masculino Brasil França out 18 05:00 Mundial Júnior de judô 90kg 7º lugar Igor Morishigue (BRA) out 18 05:00 Mundial Júnior de judô 81kg eliminado nas oitavas Marcelo Gomes (BRA) out 18 05:00 Mundial Júnior de judô 81kg BRONZE Guilherme Schimidt (BRA) out 18 07:00 ATP 250 de Estocolmo Bruno Soares (BRA)/Mate Pavic (CRO) 2 Radu Albot (ROM)/Robert Lindstedt (SUE) 0 out 18 08:00 Campeonato Brasileiro Sub-18 de Atletismo Etapa 1 out 18 08:20 International Challenge de Dubai de badminton Kodai Naraoka (JAP) 2 Ygor Coelho (BRA) 0 out 18 09:00 ITF de Lagos Laura Pigossi (BRA) 1 Nastja Kolar (ESL) 2 out 18 09:00 Copa Brasil de Vela out 18 10:00 ITF de Lagos Laura Pigossi (BRA)/Rutuja Bhosale (IND) (desistência) Sada Nahimana (BUR)/Lexie Stevens (HOL) out 18 14:00 ITF de Florence Rebeca Pereira (BRA)/Barbara Gatica (CHL) 0 Emina Nektas (EUA)/Tara Moore (GBR) 2 out 18 14:00 ATP 250 de Moscou Thomas Fabbiano (ITA)/Andreas Seppi (ITA) 0 Marcelo Demoliner (BRA)/Matwe Middelkoop (HOL) 2 out 18 14:00 Campeonato Brasileiro Sub-18 de Atletismo Etapa 2 out 18 16:00 ITF de Waco Ingrid Gamarra Martins (BRA)/Thaisa Pedretti (BRA) Savannah Brodaus (EUA)/Vanessa Ong (EUA) out 18 19:00 Desafio MG x RJ de vôlei feminino Praia Clube Flamengo out 18 19:00 Libertadores de futebol feminino - Grupo A Colo Colo (CHL) Huila (COL) out 18 19:30 NBB Basquete Cearense Pato Basquete out 18 20:00 NBB São Paulo São José Basketball out 18 20:00 Liga Nacional de polo aquático masculino - primeira fase Fluminense Botafogo out 18 21:00 Desafio MG x RJ de vôlei feminino Minas Tênis Clube Fluminense out 18 21:10 NBB Brasília Flamengo out 18 21:30 Paulista de vôlei masculino - Semifinal Vôlei Itapetininga Vôlei Renata out 18 21:30 Libertadores de futebol feminino - Grupo B Estudiantes de Caracas (VEN) Mundo Futuro (BOL) out 18 21:30 Libertadores de futebol feminino - Grupo B Ferroviária Deportivo Cuenca (EQU) out 18 21:30 Libertadores de futebol feminino - Grupo A Peñarol (URU) Cerro Porteño (PAR) out 18 23:00 Jogos Mundiais Militares - Vela 470 misto Ana Barbachan/Geison Dzioubanov out 18 23:00 Jogos Mundiais Militares - Vela 470 feminino Amanda Silva/Georgia Silva