Siga o OTD

Sabre masculino

Sabre masculinoJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Esgrima – Sabre masculino

Chances do BrasilSabre masculino

Depois da aposentadoria de Renzo Agresta, maior nome do Sabre masculino brasileiro, o Brasil ainda busca se restabelecer na modalidade. E a principal apostas para o Pan de Lima é o jovem Bruno Pekelman. Aos 18 anos, o paulista é o atual número um do ranking brasileiro, vem se destacando nos torneios nacionais e internacionais e pode surpreender no Pan de Lima.

Além dele, o Brasil poderá contar com Enzo Bergamo, mais um nome da nova geração de esgrimistas do país. Aos 19 anos, ele já é o segundo colocado do ranking nacional.

Local da competição

Centro de Convenções de Lima

Nossos pódiosSabre masculino

A história do Brasil sabre masculino em Pan-Americanos é antiga. O país esteve no pódio ainda em 1951, na primeira edição dos Jogos em que a modalidade foi disputada, quando Estevão Molnar conquistou a medalha de bronze.

Depois disso, porém, demorou 14 edições para o Brasil voltar a figurar entre os três melhores em 2007 graças ao bronze de Renzo Agresta, que conquistou mais uma vez o terceiro lugar em 2015.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1951 Tibor Nyilas
EUA
George Worth
EUA
Estevão Molnar
Brasil
1955 Antonio Haro
 México
George Worth
EUA
Rex Dyer
EUA
1959 Allan Kwartler
EUA
Walter Farber
EUA
Teodoro Goliardi
 Uruguai
1963 Michael D’Asaro Sr.
EUA
Walter Farber
EUA
Chaba Pallaghy
EUA
1967 Anthony Keane
EUA
Román Quinos
Argentina
Les Samek
Canadá
1971 Alex Orban
EUA
Manuel Ortíz
Cuba
Román Quinos
Argentina
1975 Manuel Ortíz
Cuba
Guzman Salazar
Cuba
Peter Westbrook
EUA
1979 Manuel Ortíz
Cuba
Peter Westbrook
EUA
José Laverdecia
Cuba
1983 Peter Westbrook
EUA
Manuel Ortíz
Cuba
Jean-Paul Banos
Canadá
1987 Jean-Paul Banos
Canadá
Peter Westbrook
EUA
Jean-Marie Banos
Canadá
1991 Steve Mormando
EUA
Alexis Leyva
Cuba
Michael Lofton
EUA
1995 Peter Westbrook
EUA
Aristides Faure
Cuba
Alexis Leyva
Cuba
1999 Cándido Maya
Cuba
Akhnaten Spencer-El
EUA
Michel Boulos
Canadá
Aristides Faure
Cuba
2003 Ivan Lee
EUA
Carlos Bravo
Venezuela
Michel Boulos
Canadá
Jason Rogers
EUA
2007 Philippe Beaudry
Canadá
James Williams
EUA
Renzo Agresta
Brasil
Nicolas Mayer
Canadá
2011 Philippe Beaudry
Canadá
Tim Morehouse
EUA
Hernán Jansen
Venezuela
Joseph Polossifakis
Canadá
2015 Eli Dershwitz
EUA
Joseph Polossifakis
Canadá
Renzo Agresta
Brasil
Ricardo Bustamante
Argentina

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  EUA 10 9 5 24
2  Cuba 3 5 3 11
3  Canadá 3 1 7 11
4  México 1 0 0 1
5  Argentina 0 1 2 3
6  Venezuela 0 1 1 2
7  Brasil 0 0 3 3
8  Uruguai 0 0 1 1

A provaSabre masculino

A esgrima consiste no combate entre atletas, que se utilizam de uma “arma-branca” para atacar e defender. É, porém, a o único esporte de combate em que não é permitido contato corporal.

Os combates são realizados em uma pista de 14 metros de comprimento e 1,5 a 2 metros de largura, sendo que os esgrimistas são posicionados a uma distância de dois metros um do outro.

O objetivo é tocar o adversário com a ponta da arma sem ser tocado e os pontos são definidos por meio de um sensor, que identifica quando um esgrimista foi tocado em sua superfície válida.

O sabre é a mais veloz das três armas, já que contém uma lâmina mais curta e flexível. É também a menor delas, com 88 centímetros e tem o mesmo peso do florete, 500 gramas. Os pontos são marcados quando o adversário é atingido acima da linha da cintura.

As disputas individuais têm três rounds de três minutos cada ou até um esgrimista tocar 15 vezes o adversário.