Siga o OTD

Equipes

EquipesJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Nado Artístico – Equipes

Chances do BrasilEquipes

A equipe que irá representar o Brasil em Lima no Nado Artístico deverá ser composta por: Maria Clara Coutinho, Luisa Borges, Maria Bruno, Laura Micucci, Duda Miccuci, Lorena Molinos, Giovana Stephan, Victoria Cabale, Julia Catharino e Anna Giulia Veloso. 

O time, formado por nomes já conhecidos e outros ainda promissores, tem tido bons resultados e foi o grande campeão do Campeonato Sul-Americano de Esportes Aquáticos, disputado no Peru em novembro de 2018, garantindo a vaga para o Pan. Será que elas repetem o feito e conquistam novamente o lugar mais alto do pódio?

Nossos pódiosEquipes

O Nado Artístico, chamado de Sincronizado até 2017, é disputado desde a segunda edição dos Jogos Pan-Americanos, em 1955. Logo em 1963, o Brasil já escreveu seu nome na história da modalidade, conquistando o bronze. Depois disso, levou nove edições dos Jogos para o país voltar ao pódio, quando mais uma vez faturou o terceiro lugar, em 2003, e de onde não saiu nas duas edições seguintes. Será que, depois de ficar de foram do top 3 em 2015, o Brasil volta a figurar entre as melhores no Peru?

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1955  EUA Canadá  México
1959 Não foi disputado
1963  EUA Canadá  Brasil
1967 Não foi disputado
1971  EUA Canadá  México
1975  EUA Canadá  México
1979  EUA Canadá  México
1983 Canadá  EUA  México
1987  EUA Canadá  México
1991  EUA Canadá  Cuba
1995  EUA Canadá  México
1999 Canadá  EUA  México
2003  EUA Canadá  Brasil
2007  EUA Canadá  Brasil
2011 Canadá  EUA  Brasil
2015 Canadá  México  EUA

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  EUA 10 3 1 14
2  Canadá 4 10 0 14
3  México 0 1 8 9
4  Brasil 0 0 4 4
5  Cuba 0 0 1 1

A provaEquipes

O Nado Artístico é um esporte disputado em duetos ou equipes de oito atletas. As competidoras realizam séries coreográficas dentro da água, com acompanhamento musical.

As equipes são compostas por oito atletas, que apresentam duas séries em cada fase da competição. Nas rotinas técnicas, as equipes recebem 2min e 50s para a apresentação, enquanto para as rotinas livres, o tempo estabelecido é de 4min.

Antes de entrar na piscina, as nadadoras têm 10s para apresentar movimentos introdutórios, chamadas de movimentos de borda, que não precisam ser feitos de maneira sincronizada. Na sequência, uma vez já na água, os movimentos executados pelo dueto devem ser sempre voltados para a mesma direção e realizados de forma simultânea.

As séries são avaliadas por três painéis, com cinco juízes cada. Nas rotinas livres, um painel avalia a execução, um a impressão artística e outro a dificuldade. Já nas rotinas técnicas, cada painel avalia execução, a impressão e os elementos. Ganha quem obtiver a maior pontuação.