Siga o OTD

Skiff quádruplo feminino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Remo – Skiff quádruplo feminino

Chances do Brasil

Mescando jovens remadores com outros mais experientes, a Confederação Brasileira de Remo convocou 20 atletas para o período de treinamentos e avaliações às vésperas dos Jogos Pan-Americanos, no Rio de Janeiro. Foram dois meses de trabalho, entre maio e julho. A expectativa da comissão técnica é superar o resultado abaixo da média em Toronto 2015, quando o Brasil trouxe para casa somente uma medalha de prata. Dayane Pacheco Santos, Luana Gonçalves, Milena Viana e Yanka Brito formam o time brasileiro para o skiff quádruplo feminino.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1991 Karen Carpenter
Betsy Kimmel
Michelle Knox
Susan Tietjen

 EUA
Indefinido
 Cuba
Indefinido
 México
1995 Silken Laumann
Wendy Wiebe
Diane O’Grady
Marnie McBean

 Canadá
Y. Ortiz Ruiz
M. Gonzalez
O. Martinez
M. Hernandez

 Cuba
Ruth Davidon
Cathy Symon
Julia Chillcki
Lindsay Burns

EUA
2007 Nathalie Maurer
Zoe Hoskins
Peggy Hyslop
Cristin McCarty

 Canadá
Julie Nichols
Reilly Dampeer
Sarah Trowbridge
Margaret Matia

EUA
Carolina Schiffmacher
María Laura Abalo
Gabriela Best
Lucia Palermo

 Argentina
2011 María Laura Abalo
Gabriela Best
Milka Kraljev
María Clara Rohner

 Argentina
Melanie Kok
Barbara McCord
Audra Vair
Isolda Penney

 Canadá
Megan Walsh
Michelle Sechser
Catherine Reddick
Chelsea Smith

EUA
2015 Kate Goodfellow
Kerry Shaffer
Carling Zeeman
Antje von Seydlitz

 Canadá
Sarah Giancola
Lindsay Meyer
Nicole Ritchie
Victoria Burke

EUA
Karina Wilvers
María Laura Abalo
Milka Kraljev
Maria Rohner

 Argentina

Quadro de medalhas

Posição País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Canadá 3 1 0 4
2  EUA 1 2 2 5
3  Argentina 1 0 2 3
4  Cuba 0 2 0 2
5  México 0 0 1 1

O esporte

As provas de remo são disputadas no sistema de eliminatória, contando com repescagem, semifinal e final. As distâncias percorridas nas provas são de dois mil metros. As raias, com largura padrão recomendada pela FISA, têm 13,50 metros de largura e profundidade entre 3 e 3,50 metros.

Os barcos utilizados para as competições são constituídos por um, dois, quatro ou oito remadores. Quando são oito remadores, é obrigatório ter um timoneiro. Ele é um integrante que não rema, mas é o responsável por orientar e incentivar a sua equipe durante as provas. Cada remador pode conduzir o barco utilizando um ou dois remos dependendo do tipo de barco. O formato do remo varia conforme a modalidade. Em algumas provas são utilizadas remos de até 4 metros. (Reprodução/Casal Travinha)