Siga o OTD
teste

Lançamento de disco feminino

Lançamento de disco feminino – Atletismo – Jogos Olímpicos Tóquio 2020

Recordes do lançamento de disco feminino

Recorde Mundial: 76,80 m – Gabriele Reinsch (GDR) – Neubrandenburg (GDR) – 09/07/1988

Recorde Olímpico: 72,30 m – Martina Hellmann (GDR) – Seul (KOR) – 29/09/1988

Chances do Brasil no lançamento de disco feminino

Andressa de Morais já assegurou seu índice para participar da Olimpíada de Tóquio (Wagner Carmo/CBAt)

Andressa de Morais e Fernanda Borges seguem como os principais nomes do Brasil no lançamento de disco. Andressa já fez o índice olímpico. Ela conquistou a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, mas foi desclassificada por doping, e já voltou a competir. Fernanda ainda não tem o índice de 63,50 m, embora já tenha feito marcas superiores antes do período de classificação. Mas sua boa posição no ranking deve colocá-la nos Jogos mesmo sem índice.

O Brasil no lançamento de disco feminino nos Jogos Olímpicos

A primeira participação olímpica brasileira na prova foi apenas em Atenas-2004, com Elisângela Adriano. Na quali, ela terminou na 26ª posição com 58,13 m, sem passar para a final. Ela já tinha disputado os Jogos de 1996 no arremesso de peso e voltou a competir no disco em Pequim-2008, terminando em 19º na qualificação com 58,84 m, fora da final.

Duas brasileiras competiram na Rio-2016, sem passar para a final. Andressa de Morais foi 21ª com 57,38 m e Fernanda Borges 31ª com 51,85 m.

Fernanda Borges - Lançamento de Disco - Missão Europa
Fernanda Borges disputou os Jogos da Rio-2016, quando ficou em 31º lugar (Wagner do Carmo/CBAt)

+ Veja a lista dos brasileiros classificados para os Jogos

Favoritas no lançamento de disco feminino nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020

A croata Sandra Perkovic dominou a prova por muitos anos, conquistando dois títulos olímpicos, em Londres-2012 e no Rio-2016, dois Mundiais, em 2013 e 2017, e nada menos que cinco títulos Europeus seguidos, de 2010 a 2018. São 42 vitórias em etapas da Liga Diamante e 11 lançamentos acima dos 70 m na carreira, mas ela não está mais no seu auge.

Duas cubanas agora são as favoritas na prova. Yaime Pérez venceu o Mundial de Doha-2019 com 69,17 m. Campeã mundial Sub 20 em 2010, foi ouro no Pan de Lima-2019 e na Copa Continental de 2018. Já Denia Caballero foi campeã mundial em 2015, bronze no Rio-2016, prata no Mundial de 2019 e ouro no Pan de Toronto-2015.

Esta é uma prova muito disputada e várias outras atletas se alternam nas posições seguintes, podendo beliscar uma medalha.

A francesa Mélina Robert-Michon foi prata na Rio-2016, no Mundial de 2013 e no Europeu de 2014. A alemã Nadine Müller foi prata em dois Europeus, no Mundial de 2011, bronze no de 2015 e 4ª nos Jogos de Londres-2012. A chinesa Bin Feng foi campeã asiática em 2019, 5ª no Mundial de 2019, prata nos Jogos Asiáticos de 2018 e 8ª nos Jogos do Rio.

A cubana Yaime Pérez venceu o último Mundial, em Doha-2019, e chega como uma das candidatas ao ouro em Tóquio (World Athletics)

Vale também ficar de olho na jovem alemã Shanice Craft, campeã mundial Sub 20 em 2012 e bronze nos últimos três Europeus.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Histórico do lançamento de disco feminino nos Jogos Olímpicos

A prova de lançamento de disco feminino entrou para o programa olímpico em Amsterdã-1928, na estreia das mulheres no atletismo olímpico. A prova estreou junto com os 100 m, 800 m, revezamento 4×100 m e o salto em altura e esteve presente no programa desde então.

A primeira campeã olímpica foi a polonesa Halina Konopacka, que bateu o recorde mundial que era dela mesma, com 39,62 m. Já em Los Angeles-1932, o ouro ficou com a americana Lillian Copeland com 40,58 m, melhorando em relação à prata conquistada na edição anterior. A alemã Gisela Mauermayer bateu seis vezes a marca mundial entre 1935 e 1936 chegando a 48,31 m e ela ficou com o ouro em Berlim-1936 com 47,63 m e ainda levou o título do segundo campeonato europeu em 1938, o primeiro com participação feminina.

Micheline Ostermeyer foi a campeã da primeira edição após a 2ª Guerra, em Londres-1948. A francesa venceu o disco com 41,92 m e ainda foi a primeira atleta a fazer a dobradinha do disco e do arremesso de peso em uma mesma edição olímpica. Em Helsinque-1952, as atletas soviéticas dominaram o pódio, lideradas por Nina Romashkova, campeã com 51,42 m, mas em Melbourne-1956, a checoslovaca Olga Fikotová desbancou as favoritas soviéticas para vencer com 53,69 m, deixando Romashkova com o bronze.

A soviética Tamara Press venceu o Europeu de 1958 e batalhou com Romashkova na final de Roma-1960. Três dias antes, Press havia ficado com o ouro no arremesso de peso, mas na final do disco, a vitória foi de Romashkova com 55,10 m contra 52,59 m de sua compatriota. Exatamente uma semana depois dessa final, Press bateu o recorde mundial com 57,15 m. No ciclo seguinte, ela foi dominante, quebrando mais quatro vezes o recorde mundial e levando mais um título europeu. Nos Jogos de Tóquio-1964, Press levou o ouro com 57,27 m, obtidos na 5ª tentativa e superando em apenas 6 cm a marca da alemã Ingrid Lotz, que ficou com a prata. No dia seguinte, Press venceria mais uma vez o ouro no arremesso de peso.

A alemã ocidental Liesel Westermann era a favorita para a vitória na Cidade do México-1968 junto com a alemã oriental Christine Spielberg, recordista mundial. Mas elas foram superadas pela romena Lia Manoliu, que venceu com 58,28 m, após dois bronzes seguidos.

A croata Sandra Perkovic foi o principal nome do lançamento do disco feminino nos últimos anos, conquistando duas medalhas de ouro olímpicas (Divulgação)

A soviética Faina Melnik bateu cinco vezes o recorde mundial antes de Munique-1972 e confirmou o favoritismo vencendo o ouro com 66,62 m, numa final que teve quatro recorde olímpicos batidos por três atletas diferentes.

Na sequência, foi a vez da alemã oriental Evelin Schlaak dominar a prova, conquistando os ouros em Montreal-1976 com 69,00 m e em Moscou-1980 com 69,96 m e ainda levando o título europeu em 1978.

Sem as principais forças competindo em Los Angeles-1984, o ouro foi para a holandesa Ria Stalman com 65,36 m. Já em 1988, a alemã oriental Gabriele Reinsch bateu o recorde mundial em julho com 76,80 m, marca que dura até hoje, mas foi mal na final de Seul-1988, terminando em 7º lugar. Mas ainda assim a dobradinha foi para a  Alemanha Oriental, com Martina Hellmann, campeã com 72,30 m, e Diana Gansky, prata com 71,88 m.

Após essa fase, a prova do disco passou por uma boa temporada sem um nome favorito, com várias atletas diferentes levando títulos mundiais e olímpicos, como a cubana Maritza Martén em Barcelona-1992 e a alemã Ilke Wyludda em Atlanta-1996. Em Sydney-2000, a vitória foi da bielorrussa Ellina Zvereva, campeã mundial em 1995, que venceu novamente o Mundial no ano seguinte, em 2001. Mais duas atletas foram campeãs olímpicas sem nunca terem vencido um Mundial: a russa Natalya Sadova em Atenas-2004 e a americana Stephanie Brown Trafton, uma grande zebra em Pequim-2008.

Aí veio Sandra Perkovic. A croata voltou a colocar o disco em evidência com marcas expressivas, muitas acima dos 70 m, algo que tinha ficado raro nos 20 anos anteriores. Ela venceu o Europeu de 2010 e 2012 e faturou o ouro olímpico em Londres-2012 com 69,11 m. Ela ainda venceu o Mundial de 2013 e os Europeus de 2014 e 2016 antes de conquistar o bicampeonato na Rio-2016, com apenas dois lançamentos válidos, um na quali de 64,81 m e um na final de 69,21 m.

Medalhistas do lançamento de disco feminino nos Jogos Olímpicos

JogosOuroPrataBronze
Amsterdã 1928Halina KonopackaPOLLillian CopelandUSARuth SvedbergSWE
Los Angeles 1932Lillian CopelandUSARuth OsburnUSAJadwiga WajsPOL
Berlim 1936Gisela MauermayerGERJadwiga WajsPOLPaula MollenhauerGER
Londres 1948Micheline OstermeyerFRAEdera Cordiale-GentileITAJacqueline MazéasFRA
Helsinque 1952Nina RomashkovaURSYelizaveta BagryantsevaURSNino DumbadzeURS
Melbourne 1956Olga FikotováTCHIrina BeglyakovaURSNina Romashkova-PonomaryovaURS
Roma 1960Nina Romashkova-PonomaryovaURSTamara PressURSLia ManoliuROU
Tóquio 1964Tamara PressURSIngrid LotzGERLia ManoliuROU
Cidade do México 1968Lia ManoliuROULiesel WestermannFRGJolán Kleiber-KontsekHUN
Munique 1972Faina MelnikURSArgentina MenisROUVasilka StoevaBUL
Montreal 1976Evelin SchlaakGDRMariya VergovaBULGabriele HinzmannGDR
Moscou 1980Evelin JahlGDRMariya PetkovaBULTatyana LesovayaURS
Los Angeles 1984Ria StalmanNEDLeslie DenizUSAFlorenţa CrăciunescuROU
Seul 1988Martina HellmannGDRDiana GanskyGDRTsvetanka KhristovaBUL
Barcelona 1992Maritza MarténCUBTsvetanka KhristovaBULDaniela CostianAUS
Atlanta 1996Ilke WyluddaGERNataliya SadovaRUSElina ZveravaBLR
Sydney 2000Elina ZveravaBLRAnastasia KelesidouGREIryna YatchankaBLR
Atenas 2004Nataliya SadovaRUSAnastasia KelesidouGREVěra Pospíšilová-CechlováCZE
Pequim 2008Stephanie Brown-TraftonUSAOlena AntonovaUKRSong AiminCHN
Londres 2012Sandra PerkovićCROLi YanfengCHNYarelis BarriosCUB
Rio 2016Sandra PerkovićCROMélina Robert-MichonFRADenia CaballeroCUB

Quadro de medalhas do lançamento de disco feminino nos Jogos Olímpicos

PaísOuroPrataBronzeTotal
União Soviética43310
Alemanha Oriental3115
Estados Unidos2305
Alemanha2114
Croácia2002
Romênia1135
França1113
Polônia1113
Rússia1102
Belarus1023
Cuba1023
Tchecoslováquia1001
Holanda1001
Bulgária0325
Grécia0202
China0112
Itália0101
Ucrânia0101
Alemanha Ocidental0101
Austrália0011
República Tcheca0011
Hungria0011
Suécia0011

A prova

(Wagner Carmo/CBAt)

Lançamento de disco é uma modalidade esportiva olímpica do atletismo. O objetivo da prova consiste em lançar um disco de metal à maior distância possível, superando os demais competidores. Assim como o lançamento de martelo e o lançamento de dardo, esses esportes são chamados oficialmente de lançamento. Somente o arremesso de peso é chamado de arremesso, devido ao fato do peso ser empurrado e os demais serem projetados com características diferentes.

O disco usado é um prato de metal com a forma de um círculo com o diâmetro de 22 cm. Na prova masculina, o disco mede entre 219 e 221 mm de diâmetro e de 44 a 46 mm de espessura e pesa 2 kg. Na modalidade feminina, mede entre 180 e 182 mm de diâmetro e de 37 a 39 mm de espessura, pesando 1 kg. O lançamento é feito de dentro de um círculo de 2,5 m de diâmetro no chão, margeado por um anteparo de concreto de 2 cm de altura. O atleta segura o disco plano contra os dedos da mão e o antebraço do lado do lançamento, gira sobre si mesmo rapidamente e lança o disco ao ar estendendo o braço. Para melhorar a pegada é permitido o uso de uma substância adequada nas mãos e pode ser usado um cinturão para proteger a coluna.

Para a medição da distância lançada, o disco precisa aterrar dentro de uma área pré-marcada e o atleta não pode deixar o círculo antes do disco cair, e sempre pela metade traseira do círculo. Caso pise fora dele durante o lançamento ou antes do disco tocar o solo, o lançamento é impugnado. Normalmente os atletas dão uma volta e meia com o corpo como impulso e em cada competição são feitos entre quatro e seis lançamentos. No caso de empate, o desempate é feito pela segunda maior marca e assim sucessivamente.