Siga o OTD

63kg feminino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Judô – 63kg feminino

Chances do Brasil

Alexia Castilhos vai representar o Brasil dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019. Aos 24 anos, ela terá a difícil missão de voltar a conquistar a medalha de ouro na categoria até 63kg para o país, feito obtido pela última vez por Vânia Ishii em Winnipeg 1999.

A judoca de Porto Alegre teve um bom ano de 2018, quando conquistou os terceiros lugares do Campeonato Pan-Americanos e nos Grand Prix de Antalya, Zagreb e Cancún. Em 2019, ela ficou em sétimo no Grand Prix de Antalya e terminou na quinta colocação no Campeonato Pan-Americano.

Local da Competição 

Villa Deportiva Nacional

Local: Lima

Capacidade: 12.000

A Estrela dos Jogos

(Reprodução)

O grande nome desta categoria não poderia ser outro senão Driulis González. A ex-judoca cubana foi duas vezes medalha de ouro nesta categoria, nas edições de 2003 (Santo Domingo) e de 2007 (Rio de Janeiro) e uma das atletas mais importantes da história do judô feminino.

Além disso, ela ganhou a medalha de ouro também em outra categoria, na até 57kg, na edição de 1995 e de 1999, algo extremamente raro nos Jogos Pan-Americanos.

Também foi medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1996, em Atlanta, prata em 2000, em Sidney e bronze tanto em 1992, em Barcelona, como em 2004, em Atenas.

Já em Campeonatos Mundiais, é tricampeã (1995,1999 e 2007), duas vezes segundo lugar (1997 e 2003) e duas vezes bronze (1993 e 2005).

Nossos Pódios

A categoria até 63kg feminino traz boas recordações ao judô brasileiro, com bons resultados tanto no passado como no presente. A maior conquista veio na edição de 1999, realizada na cidade de Winnipeg, no Canadá, com a medalha de ouro de Vania Ishii diante da americana Celita Schutz.

Duas edições depois, vieram as duas medalhas de prata, novamente com Vania Ishii, e com Danielli Yuri, com ambas as judocas brasileiras perdendo a final para a cubana Driulys González.

Já na edição passada, o Brasil teve um bom resultado com Mariana Silva, que ficou com o terceiro lugar no pódio dos Jogos Pan-Americanos de 2015, realizada em Toronto, no Canadá.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1983 Robin Chapman
EUA
Nereida Brito
Venezuela
Diane Amyot
Canadá
Carla Duarte
Brasil
1987 Lyn Roethke
EUA
Natasha Hernandéz
Venezuela
Amanda Clayton
Canadá
Soraya Carvalho
Brasil
1991 Ileana Beltrán
Cuba
Lyn Roethke
EUA
Xiomara Griffith
Venezuela
Eleucadia Vargas
 República Dominicana
1995 Ileana Beltrán
Cuba
Michelle Buckingham
Canadá
Xiomara Griffith
Venezuela
Colleen MacDonald
EUA
1999 Vania Ishii
Brasil
Celita Schutz
EUA
Kenia Rodríguez
Cuba
Eleucadia Vargas
 República Dominicana
2003 Driulis González
Cuba
Vania Ishii
Brasil
Daniela Krukower
Argentina
Isabelle Pearson
Canadá
2007 Driulis González
Cuba
Danielli Yuri
Brasil
Daniela Krukower
Argentina
Ysis Barreto
Venezuela
2011 Yaritza Abel
Cuba
Karina Acosta
 México
Christal Ransom
EUA
Stéfanie Tremblay
Canadá
2015 Estefania Garcia
Equador
Stéfanie Tremblay
Canadá
Mariana Silva
Brasil
Maylin del Toro
Cuba

Quadro de Medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Cuba 5 0 2 7
2  EUA 2 2 2 6
3  Brasil 1 2 3 6
4 Equador 1 0 0 1
5  Canadá 0 2 4 6
6 Venezuela 0 2 3 5
7  México 0 1 0 1
8  Argentina 0 0 2 2
 República Dominicana 0 0 2 2

O Esporte

Reprodução/CBJ

O objetivo da modalidade é usar como base o sistema de autodefesa dos samurais, educando não só o corpo como também o espírito de quem o praticasse.

As faixas determinam o grau de domínio da técnica de cada praticante, sendo que a faixa branca é para os iniciantes e a faixa preta para quem está no mais alto nível da modalidade.

O judô é praticado sobre o tatame, uma área quadrada de 16 m de lado, sendo que a luta acontece em um quadrado de 8 m de lado. Para determinar as infrações, cada combate tem um juiz central, que conta com o apoio de dois juízes auxiliares. Dentre as faltas estão: colocar a mão sobre o rosto do adversário, agarrar a calça ou enroscar a perna com a do oponente.

O ippon é a pontuação mais importante do judô, já que o atleta que conseguir realizar o golpe é declarado vencedor automaticamente. O waza-ari é meio ippon, sendo que dois waza-ari garantem o triunfo.

 

AGENDA DO DIA

set 18 00:30 Copa do Mundo de vôlei feminino Rússia Coreia do Sul set 18 02:00 Mundial de Wrestling Feminino – 57kg – Eliminatórias Giulia Penalber (BRA) set 18 02:00 Mundial de Wrestling Feminino – 76kg – Eliminatórias Aline Silva (BRA) set 18 02:00 Copa do Mundo de vôlei feminino Estados Unidos Holanda set 18 03:00 Copa do Mundo de vôlei feminino China República Dominicana set 18 05:16 Mundial de Ginástica Rítmica Qualificação – Fita Bárbara Domingos set 18 05:22 Mundial de Ginástica Rítmica Qualificação – Fita Natália Gaudio set 18 06:00 Copa do Mundo de vôlei feminino Quênia Brasil set 18 07:00 Mundial de Boxe Hebert Sousa (BRA) A definir set 18 07:00 Mundial de Boxe A definir Wanderson Oliveira (BRA) set 18 07:20 Copa do Mundo de vôlei feminino Camarões Japão set 18 07:45 Mundial de Wrestling Feminino – 76kg – Semifinais set 18 07:45 Mundial de Wrestling Feminino – 57kg – Semifinais set 18 09:00 Mundial de Wrestling Feminino – 50kg – Finais set 18 15:00 Brasileiro Sub-20 de futebol Cruzeiro Internacional set 18 15:00 Brasileiro Sub-20 de futebol Coritiba Vasco set 18 15:00 Brasileiro Sub-20 de futebol Santos Grêmio set 18 15:00 Brasileiro Sub-20 de futebol Botafogo Chapecoense set 18 15:00 Brasileiro Sub-20 de futebol Corinthians Athletico set 18 15:00 Copa do Brasil Sub-17 - Semifinal Fluminense Palmeiras set 18 16:00 Copa do Brasil Sub-17 - Semifinal Vasco São Paulo set 18 19:00 Paulista de Futebol Feminino - Semifinal Ferroviária Corinthians set 18 19:30 Campeonato Paulista de basquete masculino - Oitavas de final Paulistano Liga Sorocabana set 18 20:00 Campeonato Paulista de basquete masculino - Oitavas de final Pinheiros Rio Claro set 18 23:00 Copa do Mundo de vôlei feminino Holanda Sérvia