Siga o OTD

100kg masculino

Campeão mundial Luciano Corrêa anuncia aposentadoriaJogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Judô – 100kg masculino

CALENDÁRIO

DataEventoHorário/Resultado

Chances do Brasil

Leonardo Gonçalves, de 23 anos, chega aos Jogos Pan-Americanos credenciado por vários bons resultados no continente. Em 2016, ganhou o Campeonato Pan-Americano júnior. No ano seguinte, foi bronze no primeiro Pan-Americano que disputou. Em 2018, conquistou o título continental e nesta temporada ficou com o vice-campeonato.

Local da Competição 

Villa Deportiva Nacional

Local: Lima

Capacidade: 12.000

A Estrela dos Jogos

A categoria até 100kg masculino tem grandes campeões e estrelas na modalidade e uma delas é o brasileiro Luciano Corrêa. Atual bicampeão nos Jogos Olímpicos (vencedor nas edições de 2011 em Guadalajara e 2015 e Toronto), o atleta nacional é um dos maiores nomes da história do judô no país e mundial.

Além dos títulos nos Jogos Pan-Americanos, Corrêa foi campeão mundial em 2007 e representante do Brasil nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e Londres 2012 . Também é reconhecido por praticar judô desde seus quatro anos de idade.

O judoca brasileiro anunciou a sua aposentadoria em 2017, aos 35 anos.

Nossos Pódios

Nas duas últimas edições, em Toronto e em Guadalajara, o Brasil foi muito bem representado na categoria, com duas medalhas de ouro com o atleta Luciano Corrêa.

Em 2015, o brasileiro venceu o canadense Marc Deschenes, enquanto que em Guadalajara, nos Jogos Pan-Americanos de 2011, o atleta nacional marcou história ao derrotar na final o cubano Oreidis Despaigne, histórico judoca que era o atual vencedor e que já tinha subido ao pódio na edição de 2003.

Já em 1995, na edição realizada na Argentina, o brasil conquistou seu primeiro ouro na categoria até 100kg, quando José Mario Tranquilini fez história ao derrotar o atual bicampeão desta categoria nos Jogos Pan-Americanos, o cubano Frank Moreno.

Após a conquista, José Mario dedicou o ouro ao seu pai, que tinha acabado de passar por uma cirurgia. Além disso, em prantos, o atleta brasileiro destacou que a medalha de ouro conquistada por ele poderia ser fundamental para reerguer o esporte em Brasília.

Medalhistas

ANO Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
1963 George Harris
EUA
Milton Lovato
Brasil
Heraldo Viazzi
 Uruguai
1967 Allen Coage
EUA
Douglas Rogers
Canadá
Euladio Nicolaas
  Antilhas Holandesas
José Luis Turletto
Argentina
1975 Allen Coage
EUA
José Ibañez
Cuba
Juan Santos
 Porto Rico
Femelo da Silva
Brasil
1979 José Ibañez
Cuba
Jesse Goldstein
EUA
Jaime Felipa
  Antilhas Holandesas
Oswaldo Simões
Brasil
1983 Mark Berger
Canadá
Federico Flexas
Brasil
Jorge Fis
Cuba
Douglas Nelson
EUA
1987 Frank Moreno
Cuba
Federico Flexas
Brasil
Fred Blaney
Canadá
Douglas Nelson
EUA
1991 Frank Moreno
Cuba
Orlando Baccino
Argentina
Federico Flexas
Brasil
James Bacon
EUA
1995 José Mario Tranquilini
Brasil
Frank Moreno
Cuba
Orlando Baccino
Argentina
Damon Keeve
EUA
1999 Nicolas Gill
Canadá
Yosvani Kessel
Cuba
Marcelo Figueiredo
Brasil
Ato Hand
EUA
2003 Mario Sabino
Brasil
Nicolas Gill
Canadá
Oreidis Despaigne
Cuba
Michael Barnes
EUA
2007 Oreidis Despaigne
Cuba
Keith Morgan
Canadá
Luciano Correa
Brasil
Teofilo Diek
 República Dominicana
2011 Luciano Corrêa
Brasil
Oreidis Despaigne
Cuba
Cristián Schmidt
Argentina
Sergio García
 México
2015 Luciano Corrêa
Brasil
Marc Deschenes
Canadá
Hector Campos
Argentina
José Armenteros
Cuba

Quadro de Medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Cuba 4 4 3 11
2  Brasil 4 3 5 12
3  EUA 3 1 6 10
4  Canadá 2 4 1 7
5  Argentina 0 1 4 5
6  Antilhas Holandesas 0 0 2 2
7  México 0 0 1 1
 Porto Rico 0 0 1 1
 República Dominicana 0 0 1 1
 Uruguai 0 0 1 1

O Esporte

CBDV

O objetivo da modalidade é usar como base o sistema de autodefesa dos samurais, educando não só o corpo como também o espírito de quem o praticasse.

As faixas determinam o grau de domínio da técnica de cada praticante, sendo que a faixa branca é para os iniciantes e a faixa preta para quem está no mais alto nível da modalidade.

O judô é praticado sobre o tatame, uma área quadrada de 16 m de lado, sendo que a luta acontece em um quadrado de 8 m de lado. Para determinar as infrações, cada combate tem um juiz central, que conta com o apoio de dois juízes auxiliares. Dentre as faltas estão: colocar a mão sobre o rosto do adversário, agarrar a calça ou enroscar a perna com a do oponente.

O ippon é a pontuação mais importante do judô, já que o atleta que conseguir realizar o golpe é declarado vencedor automaticamente. O waza-ari é meio ippon, sendo que dois waza-ari garantem o triunfo.