Siga o OTD

75kg feminino

Jogos Pan-Americanos – Lima 2019 – Boxe – 75kg feminino

Chances do Brasil

O boxe feminino é uma modalidade nova na história dos Jogos Pan-Americanos, surgindo no cronograma oficial apenas em Guadalajara 2011. O masculino, por exemplo, faz parte desde a primeira edição do evento, que aconteceu em Buenos Aires 1951. Além disso, existiam apenas três categorias presentes no calendário da competição (51kg, 60kg e 75kg).

Flávia Figueiredo conquistou a vaga para o Pan através da Classificatória das Américas, que aconteceu em Manágua, na Nicarágua. A representante brasileira terminou entre as oito melhores colocadas e pode pintar como surpresa nos combates em Lima. O desejo maior é o de subir no pódio.

Local da competição

Coliseu Miguel Grau – Villa Deportiva Regional, Callao

Local: Lima

Capacidade: 5.000 torcedores

A estrela dos Jogos

Claressa Shields vibra com o ouro em Toronto 2015 / Eric Bolte

Como o boxe feminino esteve presente somente em duas edições, não há um grande destaque individual nos Jogos Pan-Americanos. A canadense Mary Spencer conquistou a medalha de ouro em Guadalajara 2011 ao vencer Yenebier Guillén, da República Dominicana, na final.

Em Toronto 2015, Yenebier Guillén novamente garantiu um lugar na final, mas bateu na trave outra vez. Melhor para a norte-americana Claressa Shields, que confirmou a contagem de 3-0 no placar para levar o título inédito.

Nossos pódios

Roseli Feitosa conquistou o bronze no Pan de Guadalajara – Foto: Wander Roberto/Inovafoto/COB

Apesar da história curta e recente do boxe feminino nos Jogos Pan-Americanos, o Brasil já esteve entre os três melhores colocados e entrou para o grupo de países que conquistaram a medalha de bronze na modalidade. É o resultado verde e amarelo de maior expressão até o momento.

Em Guadalajara 2011, edição de estreia do esporte, a brasileira Roseli Feitosa avançou às semifinais diretamente e trouxe o bronze para casa. Na ocasião, perdeu por 21-12 para a dominicana Yenebier Guillén, que ficou com o vice em terras mexicanas. Quatro anos mais tarde, também terminou com a segunda colocação geral em Toronto.

Medalhistas

Ano Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze
2011 Mary Spencer
Canadá
Yenebier Guillén
 República Dominicana
Roseli Feitosa
Brasil
Alma Ibarra
 México
2015 Claressa Shields
EUA
Yenebier Guillén
 República Dominicana
Ariane Fortin
Canadá
Lucía Pérez
Argentina

Quadro de medalhas

Ordem País Medalha de ouro Medalha de prata Medalha de bronze Total
1  Canadá 1 0 1 2
2  EUA 1 0 0 1
3  República Dominicana 0 2 0 2
4  Brasil 0 0 1 1
 México 0 0 1 1
 Argentina 0 0 1 1