Siga o OTD

800m masculino

Calendário

Recordes

OlímpicoMundialBrasileiro
1:40.91 / David Rudisha (KEN) / Moscou (URS) – 09/08/2012
1:40.91 / David Rudisha (KEN) / Moscou (URS) – 09/08/2012
1min41s77 / Joaquim Cruz / Colônia (GER) – 26/08/1984

Chances do Brasil

O melhor nome do país nos 800m masculino é Thiago André, que foi finalista no Mundial de 2017, em Londres, mas não se classificou para o Mundial de Doha em 2019. Ele fez 1min45s10 em 2018, tempo melhor que o índice para se classificar para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, mas em 2019 sua melhor marca foi apenas 1min47s74, precisando ainda melhorar. Entretanto, sua melhor prova é os 1.500m.

+ Veja a lista dos brasileiros classificados para os Jogos

Os Favoritos

David Rudisha não compete desde julho de 2017, mas já admitiu que quer buscar o inédito tricampeonato dos 800m masculino nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. O melhor tempo de 2019 foi de Nijel Amos, de Botsuana, atual campeão africano e prata em Londres-2012. Ele acabou não participando do Mundial de Doha em 2019. A superequipe queniana não pode ser esquecida com nomes fortes como Ferguson Cheruyiot Rotich, bronze no último Mundial, e Timothy Cheruiyot.

Mas o grande nome do ano passado foi o americano campeão mundial Donavan Brazier, que voou na final em Doha com 1:42.34, recorde do campeonato e da América do Norte e Central. Nunca um americano havia vencido os 800m em um Mundial. O americano Clayton Murphy, o canadense Marco Arop, ouro no Pan de Lima e o porto-riquenho Wesley Vázquez são outras boas apostas das Américas.

Entre os europeus, destaque para o bósnio Amel Tuka, atual vice mundial, e para os poloneses Adam Kszczot, atual tricampeão europeu, e Marcin Lewandowski.

O Brasil nos Jogos

O único ouro da história do Brasil na pista veio na prova dos 800m masculino, apenas nos Jogos Olímpicos de Los Angeles-1984 com Joaquim Cruz. Mas o primeiro brasileiro a competir numa Olimpíada foi Narciso Costa, em Paris-1924, mas ele não avançou de fase. O Brasil voltou a competir em Los Angeles-1932, com Nestor Gomes e Domingos Puglisi, que também não avançaram.

Após um longuíssimo hiato de 48 anos, o Brasil voltou a ter um representante nos 800m e a medalha não veio por muito pouco. Agberto Guimarães fez 1min48s2 na primeira rodada dos Jogos Olímpicos de Moscou-1980, ficando em terceiro na sua bateria, depois foi terceiro na sua semifnal com 1min46s9 e na decisão marcou 1min46s2, terminando em quarto lugar, a apenas 0s2 do pódio, em prova com dobradinha britânica com Steve Ovett e Sebastian Coe.

Nos Jogos Olímpicos de Los Angeles-1984 foi a vez de Joaquim Cruz brilhar. Numa campanha brilhante, ele fez o melhor tempo da primeira rodada com 1min45s66, venceu sua bateria de quartas com 1min44s84, foi o melhor na semifinal com 1min43s82 e voou na decisão para levar o ouro com 1min43s00, assumindo a liderança na última curva, deixando o britânico Sebastian Coe com a prata com 1min43s64. Outros dois brasileiros chegaram às semifinais: Agberto Guimarães e José Luiz Barbosa, o Zequinha Barbosa.

Quatro anos depois, nos Jogos Olímpicos de Seul-1988, Joaquim Cruz chegou muito forte e atingiu a final ao lado de Zequinha Barbosa. Os dois foram para frente na primeira volta, mas acabaram passando forte demais. Zequinha foi ficando pra trás, enquanto Cruz se manteve na frente, mas acabou ultrapassado pelo queniano Paul Ereng, que venceu. Joaquim Cruz foi prata com 1min43s90 e Zequinha sexto com 1min46s39.

Na Olimpíada de Barcelona-1992, Zequinha Barbosa foi o único brasileiro na prova. Ele venceu sua bateria de primeira rodada com 1min46s16, foi segundo na sua semifinal com 1min45s32 e bateu na trave na decisão com o quarto lugar, com 1min45s06. Zequinah disputou sua 4ª Olimpíada em Atlanta-1996, parando nas semifinais.

Osmar dos Santos chegou às semifinais de Sydney-2000 e de Atenas-2004, assim como Fabiano Peçanha em Pequim-2008 e em Londres-2012 e Kleberson Davide no Rio-2016.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Histórico dos 800m masculino nos Jogos Olímpicos

Presente desde a primeira edição dos Jogos Olímpicos em Atenas-1896, a prova dos 800m masculino foi dominada até a Olimpíada de Munique-1972 por países de língua inglesa, como Estados Unidos, Grã-Bretanha, Austrália e Nova Zelândia. Já mais recentemente o domínio é africano.

O primeiro campeão dos 800m masculino nos Jogos Olímpicos foi o australiano Edwin Flack, que marcou 2min1s.0 no Estádio Panathinaiko. Na edição seguinte, em Paris-1900, o americano David Hall foi o primeiro a baixar dos 2min, marcando 1min59s0 nas eliminatórias, mas ele ficou com o bronze, perdendo para o britânico Alfred Tysoe na final. Três americanos venceram na sequência e depois o domínio foi todo britânico, liderado por Douglas Lowe, o primeiro bicampeão da prova em Paris-1924 e Amsterdã-1928. Em Los Angeles-1932 a vitória ficou com o britânico Tommy Hampson, que foi o primeiro a baixar dos 1min50s na história, ao levar o ouro com 1min49s7. Após a 2ª Guerra, o americano Mal Whitfield chegou com tudo e se tornou bicampeão olímpico em Berlim-1948 e Helsinque-1952.

Nos anos 1960, foi a vez do neozelandês Peter Snell brilhar nos 800m masculino. Considerado o maior atleta de seu país no Século XX, ele esteve entre os 24 primeiros atletas incluídos no Hall do Fama do Atletismo mundial. Apesar de uma carreira esportiva bem curta, de 5-6 anos, Snell foi extremamente vencedor e bateu cinco recordes mundiais. O seu recorde dos 800m masculino é até hoje o recorde nacional da Nova Zelândia.

Nos Jogos Olímpicos de Munique-1972, o ouro dos 800m masculino ficou com o americano Dave Wottle numa final espetacular contra o soviético Yevgeniy Arzhanov. Wottle marcou 1min45s86 contra 1min45s89 do soviético. Wottle foi o último americano a vencer os 800m masculino numa Olimpíada. Em Montreal-1976, foi a vez do cubano Alberto Juantorena vencer o ouro e repetir o topo do pódio 4 dias depois nos 400m, o único a vencer as duas provas em uma mesma Olimpíada na história.

Na Olimpíada de Moscou-1980, uma final muito tática viu uma dobradinha britânica com dois grandes atletas: Steve Ovett e Sebastian Coe. Ovett venceu com 1min45s4 contra 1min45s9 de Coe. Agberto Guimarães ficou muito próximo de uma medalha nos 800m masculino, ao terminar em quarto com 1min46s2, a 0.2 do bronze.

Quatro anos depois, nos Jogos Olímpicos de Los Angeles-1984, Joaquim Cruz foi espetacular e faturou o único ouro brasileiro da história em uma prova de pista. Numa final contra os dois britânicos medalhistas quatro anos antes e contra dois fortíssimos quenianos, Cruz soube dosar e, na última curva, passou o Edwin Koech e foi para o ouro com 1min43s00, novo recorde olímpico dos 800m masculino.

Na Olimpíada de Seul-1988, dois brasileiros chegaram à decisão dos 800m masculino pela primeira vez. Joaquim Cruz e Zequinha Barbosa foram pra frente na primeira volta, mas acabaram ultrapassados pelo queniano Paul Ereng, que venceu com 1min43s55 contra 1min43s90 de Cruz, medalha de prata. Zequinha Barbosa acabou em sexto. Foi o primeiro título africano da prova.

A partir daí, os africanos foram presença constante no pódio. O queniano William Tanui venceu os 800m masculino nos Jogos Olímpicos de Barcelona-1992 com 1min43s66 com dobradinha de seu país. Em Atlanta-1996, o norueguês Vebjoern Rodal foi o campeão com 1min42s58, baixando o recorde olímpico de Joaquim Cruz.

Na Olimpíada de Sydney-2000, o ouro dos 800m masculino ficou com o alemão Nils Schumann, que foi ouro com 1min45s08, surpreendendo o favoritíssimo dinamarquês de origem queniana recordista mundial Wilson Kipketer, que vinha com três vitórias seguidas no Mundiais de 1995, 1997 e 1999, mas nunca conquistou um ouro olímpico.

O queniano David Rudisha voou na decisão dos Jogos Olímpicos de Londres-2012, batendo o seu próprio recorde mundial na final com um espetacular 1min40s91 e viria a repetir o feito no Rio-2016 com 1min42s15.

Os Medalhistas

Olimpíada
Atenas-1896Edwin Flack
AUS
Nándor Dáni
HUN
Dimitrios Golemis
GRE
Paris-1900Alfred Tysoe
GBR
John Cregan
USA
David Hall
USA
St. Louis-1904Jim Lightbody
USA
Howard Valentine
USA
Emil Breitkreutz
USA
Londres-1908Mel Sheppard
USA
Emilio Lunghi
ITA
Hanns Braun
GER
Estocolmo-1912Ted Meredith
USA
Mel Sheppard
USA
Ira Davenport
USA
Antuérpia-1920Albert Hill
GBR
Earl Eby
USA
Bevil Rudd
RSA
Paris-1924Douglas Lowe
GBR
Paul Martin
SUI
Schuyler Enck
USA
Amsterdã-1928Douglas Lowe
GBR
Erik Byléhn
SWE
Hermann Engelhard
GER
Los Angeles-1932Tommy Hampson
GBR
Alex Wilson
CAN
Phil Edwards
CAN
Berlim-1936John Woodruff
USA
Mario Lanzi
ITA
Phil Edwards
CAN
Londres-1948Mal Whitfield
USA
Arthur Wint
JAM
Marcel Hansenne
FRA
Helsinque-1952Mal Whitfield
USA
Arthur Wint
JAM
Heinz Ulzheimer
GER
Melbourne-1956Tom Courtney
USA
Derek Johnson
GBR
Audun Boysen
NOR
Roma-1960Peter Snell
NZL
Roger Moens
BEL
George Kerr
BWI
Tóquio-1964Peter Snell
NZL
Bill Crothers
CAN
Wilson Kiprugut
KEN
Cidade do México-1968Ralph Doubell
AUS
Wilson Kiprugut
KEN
Tom Farrell
USA
Munique-1972Dave Wottle
USA
Yevhen Arzhanov
URS
Mike Boit
KEN
Montreal-1976Alberto Juantorena
CUB
Ivo Van Damme
BEL
Rick Wohlhuter
USA
Moscou-1980Steve Ovett
GBR
Sebastian Coe
GBR
Nikolay Kirov
URS
Los Angeles-1984Joaquim Cruz
BRA
Sebastian Coe
GBR
Earl Jones
USA
Seul-1988Paul Ereng
KEN
Joaquim Cruz
BRA
Saïd Aouita
MAR
Barcelona-1992William Tanui
KEN
Nixon Kiprotich
KEN
Johnny Gray
USA
Atlanta-1996Vebjørn Rodal
NOR
Hezekiél Sepeng
RSA
Frederick Onyancha
KEN
Sydney-2000Nils Schumann
GER
Wilson Kipketer
DEN
Djabir Saïd-Guerni
ALG
Atenas-2004Yuriy Borzakovskiy
RUS
Mbulaeni Mulaudzi
RSA
Wilson Kipketer
DEN
Pequim-2008Wilfred Bungei
KEN
Ismail Ahmed Ismail
SUD
Alfred Kirwa Yego
KEN
Londres-2012David Rudisha
KEN
Nijel Amos
BOT
Timothy Kitum
KEN
Rio-2016David Rudisha
KEN
Taoufik Makhloufi
ALG
Clayton Murphy
USA

Quadro de Medalhas

PaísTotal
1Estados Unidos84921
2Grã-Bretanha6309
3Quênia52512
4Austrália2002
5Noav Zelândia2002
6Brasil1102
7Alemanha1034
8Noruega1012
9Cuba1001
9Rússia1001
11Canadá0224
12África do Sul0213
13Bélgica0202
13Itália0202
13Jamaica0202
16Argélia0112
16Dinamarca0112
16União Soviética0112
19Botsuana0101
19Hungria0101
19Sudão0101
19Suécia0101
19Suíça0101
24França0011
24Grécia0011
24Ilhas Orientais Britânicas0011
24Marrocos0011

A Prova

800 metros é uma distância olímpica clássica do atletismo, disputada desde os primeiros Jogos Olímpicosrealizados em Atenas 1896. Consiste em duas voltas na pista oficial de atletismo, que mede 400 metros. É considerada uma prova de meio-fundo. É uma prova que exige grande capacidade psicológica e mental para suportar e aumentar com eficiência a alta velocidade que a distância exige.

O atual recorde mundial e olímpico da prova é do queniano David Rudisha, ao conquistar a medalha de ouro em Londres 2012 com a marca de 1m40s91; nesta final olímpica, considerada a maior prova de 800 m da história, sete dos oito atletas fizeram a sua melhor marca pessoal e vários recordes nacionais foram batidos. Ela é considerada pela Federação Internacional de Atletismo – IAAF, a prova pela qual os Jogos Olímpicos de Londres de 2012 serão lembrados no futuro. Entre as mulheres, o recorde mundial – 1:53.28 – pertence à tcheca Jarmila Kratochvilovadesde 26 de julho de 1983 e é o mais antigo recorde mundial existente no atletismo; o recorde olímpico, da soviética Nadiya Olizarenko – 1:53:43 – de Moscou 1980, se mantém em vigor há 35 anos.