Siga o OTD
teste

Decatlo

Decatlo – Atletismo – Jogos Olímpicos – Tóquio 2020

CALENDÁRIO

DataMatchHorário/Resultado
Decatlo – 100m x
Decatlo – 100m x
Decatlo – Salto em distância x
Decatlo – Salto em distância x
Decatlo – Arremesso de peso x
Decatlo – Arremesso de peso x
Decatlo – Salto em altura x
Decatlo – Salto em altura x
Decatlo – 400m x
Decatlo – 400m x
Decatlo – 110m com barreiras x
Decatlo – 110m com barreiras x
Decatlo – lançamento de disco x
Decatlo – lançamento de disco x
Decatlo – salto com vara x
Decatlo – salto com vara x
Decatlo – lançamento de dardo x
Decatlo – lançamento de dardo x
Decatlo – 1500m x
Decatlo – 1500m x

Recordes de decatlo

Recorde Mundial: 9.126 – Kevin Mayer (FRA) – Talence (FRA) – 15-16/09/2018

Recorde Olímpico: 8.893 – Roman Sebrle (CZE) e Ashton Eaton (USA) – Atenas (GRE) e Rio de Janeiro (BRA) – 23-24/08/2004 e 17-18/08/2016

Chances do Brasil no decatlo

Felipe dos santos decatlo
Felipe dos Santos comemora a marca histórica que lhe deu a vaga no decatlo em Tóquio (Wagner Carmo/CBAt)

Durante a realização do Troféu Brasil, em dezembro de 2020, Felipe Vinícius dos Santos assegurou o índice olímpico no decatlo, com a marca de 8.364 pontos. É o segundo melhor brasileiro na história da prova, atrás apenas de Carlos Chinin. Em uma temporada de poucas competições, a marca de Santos foi a quarta melhor de 2020.

+ Veja a lista dos brasileiros classificados para os Jogos

Favoritos no decatlo nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020

Atual recordista mundial, o francês Kevin Mayer é o grande favorito ao ouro no decatlo em Tóquio (Reprodução)

O favoritismo do decatlo é todo do francês Kevin Mayer, prata no Rio-2016. Campeão mundial em 2017 com 8.768, Mayer bateu o recorde mundial numa prova em casa em setembro de 2018 com 9.126 pontos. No Mundial de 2019, Mayer começou muito bem e liderava após 7 provas. No salto com vara, ele correu, mas não saltou. Sentindo uma lesão, desistiu do salto e abandonou a prova. Mesmo sendo um atleta espetacular, Mayer tem tido problemas para terminar as provas. Desde o Rio-2016, ele só terminou duas provas, a que foi campeão mundial em 2017 e a que bateu o recorde mundial em 2018. Foram outras cinco provas sem terminar.

O canadense Damian Warner foi bronze no Rio-2016, tem três medalhas em Mundiais, além dos ouros nos Jogos da Comunidade Britânica em 2014 e Pan-Americanos de 2015 e 2019. O canadense é dono da melhor marca do mundo de 2019 com 8.711.

Com o abandono de Mayer no Mundial de 2019, o ouro ficou com o alemão Niklas Kaul, campeão com 8.691 pontos aos 21 anos. Kaul foi campeão mundial Sub 18 no decatlo e prata no lançamento de dardo em 2015. Depois venceu o Mundial Sub 20 em 2016. Como adulto, foi 4º no Europeu de 2018. Sua vitória em Doha-2019 veio graças a uma excepcional performance no dardo com 79,05 m (apenas 75 cm da melhor marca da história no decatlo) e a melhor marca dos 1.500 m com 4:15.70.

Outros que brigam por medalha no decatlo são o estoniano Maicel Uibo, prata no Mundial de 2019, o granadino Lindon Victor, prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 e ouro nos Jogos da Comunidade Britânica de 2018, o russo Ilya Shkurenyov e o canadense Pierce LePage.

O Brasil no decatlo dos Jogos Olímpicos

Luiz Alberto Araújo foi o primeiro brasileiro a terminar o decatlo em Olimpíadas, na edição de Londres-2012. Na Rio-2016, ficou na 10ª posição (Divulgação)

Carlos Woebcken, nascido na Alemanha, foi o primeiro brasileiro a competir no decatlo olímpico, em Los Angeles-1932, mas ele não terminou os 100 m, a primeira prova das dez, e ficou sem pontuação.

Pedro da Silva voltou a colocar o país na disputa olímpica em Barcelona-1992. Ele fez um bom primeiro dia, com destaque para um 2,06 m no salto em altura, mas no lançamento de disco errou as três tentativas e abandonou a prova.

Em Pequim-2008, Carlos Chinin conseguiu o índice e competiu pelo Brasil, mas queimou as três tentativas no arremesso de peso, a 3ª prova do decatlo. Ele ainda competiu nas duas provas seguintes, mas desistiu do segundo dia e ficou sem marca final.

Luiz Alberto Araújo esteve em Londres-2012 e se tornou o primeiro brasileiro a terminar o decatlo nos Jogos, ficando em 19º com 7.849 pontos. No Rio-2016, ele voltou a competir, começando muito bem nos 100 m com a 6ª marca, seguiu bem no salto em distância e no arremesso de peso. Após três provas, ele estava em 4º no geral. Mas despencou para 12º após um fraco salto em altura. Foi bem nos 400 m e encerrou o 1º dia de disputas em 9º no geral.

No 2º dia, Luiz Alberto estava em 7º após os 110 m com barreiras, o disco e o salto com vara. No dardo, sua pior prova, caiu para 10º, mantendo a posição após os 1.500 m. Acabou na ótima 10ª posição com 8.315 pontos.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Histórico do decatlo nos Jogos Olímpicos

O decatlo tem seu formato como conhecemos hoje há mais de 100 anos e fez sua estreia olímpica em Estocolmo-1912. Disputado em dois dias, os atletas competem nos 100 m, salto em distância, arremesso de peso, salto em altura e 400 m no 1º dia e 110 m com barreira, lançamento de disco, salto com vara, lançamento de dardo e 1.500 m no 2º dia. O programa da prova não mudou, mas as tabelas de pontuação foram atualizadas algumas vezes na história. A tabela atual está em vigor desde 1984 e teve pequenos acertos em 1998.

Primeiro campeão olímpico no decatlo, em Estocolmo-1912, o americano Jim Thorpe teve a medalha cassada por ele ter recebido dinheiro para jogar beisebol. Anos depois, o COI lhe devolveu o ouro (Reprodução)

O americano Jim Thorpe foi o vencedor da primeira disputa olímpica do decatlo em Estocolmo-1912 com 8.412,955 pontos. Um ano depois, o COI descobriu que Thorpe havia ganho dinheiro jogando beisebol, o que retirava dele o caráter de amadorismo. Com isso, ele perdeu sua medalha e o ouro ficou com o sueco Hugo Wieslander. Em 1982, o COI voltou atrás, devolvendo o ouro para Thorpe, que faleceu em 1953, mas não retirando o do sueco. Com isso, os dois são declarados campeões.

Nos anos 1920, o principal decatleta era o finlandês Paavo Yrjölä, que bateu três vezes o recorde mundial e levou o ouro em Amsterdã-1928. O ouro em Los Angeles-1932 ficou com o americano Jim Bausch, que bateu o recorde mundial com 8.462,235 pontos. Em Berlim-1936, uma bela disputa entre os americanos Glenn Morris e Bob Clark marcou a prova. Clark começou muito bem nos 100 m e salto em distância, mas Morris o ultrapassou até vencer com recorde mundial de 7.900 pontos.

Após a 2ª Guerra, o destaque do decatlo foi o americano Bob Mathias. Ele foi campeão em Londres-1948 com 7.139, bateu o recorde mundial em 1950, e confirmou seu favoritismo em Helsinque-1952 ao faturar o bicampeonato olímpico com 7.887, novo recorde mundial em pódio totalmente americano. Mathias foi eleito congressista da Câmara dos deputados nos Estados Unidos pela Califórnia e serviu por dois termos.

O americano Rafer Johnson foi ouro em Roma-1960 com recorde olímpico de 8.392, melhorando a prata que conquistara em Melbourne-1956. Ele havia batido o recorde mundial dois meses antes dos Jogos. Foi uma boa disputa também na Cidade do México-1968 com vitória do americano Bill Toomey com 8.193 pontos, com destaque para a sua prova de 400 m com 45.6, melhor tempo da história do decatlo até então. Toomey venceu o alemão ocidental Hans-Joachim Walde por apenas 82 pontos. A única vitória soviética na histórica veio em Munique-1972 com Mykola Avilov, vencendo com recorde mundial de 8.454.

O americano Bruce Jenner chegou como grande favorito em Montreal-1976 após ter quebrado duas vezes o recorde mundial, uma delas um mês antes dos Jogos. Com enorme regularidade, foi campeão com 8.618 pontos. Jenner teve seis filhos com três mulheres diferentes. Em 2015, se assumiu como mulher trans, fez a transição de gênero em 2017 mudando seu nome para Caitlyn Jenner. Ela ficou mais conhecida pelo grande público como parte da família Kardashian. A sua terceira esposa, Kris Jenner, é mãe de Kim Kardashian.

Apesar do boicote britânico em Moscou-1980, alguns atletas competiram na União Soviética. O britânico Daley Thompson foi um deles, e ele foi o campeão do decatlo com 8.495 pontos. Em Los Angeles-1984, Thompson venceu novamente igualando o recorde mundial com 8.798 pontos.

O britânico Daley Thompson foi bicampeão olímpico no decatlo, em Moscou-1980 e Los Angeles-1984 (Reprodução)

O americano Dan O’Brien havia sido campeão mundial em 1991 e grande favorito para Barcelona-1992. Mas um desastre no salto com vara na seletiva americana tirou o americano dos Jogos. O título na Espanha ficou com o tchecoeslovaco Robert Zmelik com 8.611 pontos. O’Brien venceu os Mundiais de 1993 e 1995 e, novamente como favorito, não decepcionou e venceu o ouro em Seul-1988.

Bronze em Atlanta-1996 e campeão mundial em 1997 e 1999, o checo Tomas Dvorak era o favorito em Sydney-2000, mas deixou a desejar em quase todas as provas e acabou apenas em 6º. Ele venceria novamente o Mundial em 2001. O ouro em Sydney acabou com o estoniano Erki Nool com 8.641, seguido pelo checo Roman Sebrle com 8.606.

Sebrle bateu o recorde mundial em 2001 com 9.026, o 1º na história a passar dos 9.000 pontos. Em Atenas-2004, fez uma bela prova para vencer com 8.893 contra 8.820 do americano Bryan Clay. O americano venceu o Mundial de 2005 e o checo venceu o título mundial pela 1ª vez em 2007. Em Pequim-2008, Clay foi brilhante, conseguindo a melhor marca em quatro provas, incluindo as três primeiras. Sua vantagem era tão grande que na prova final, os 1.500 m, correu super tranquilo, chegando mais de 40 s atrás do vencedor da bateria e mesmo assim foi ouro com tranquilidade, com 8.791 pontos, 240 melhor que o medalhista de prata, o bielorrusso Andrei Krauchanka.

Em Londres-2012, foi a vez do americano Ashton Eaton brilhar. Ele havia ficado com a prata no Mundial de 2011 e já começou 2012 batendo o recorde mundial do heptatlo no Mundial Indoor. Nos Jogos, marcou 8.869 pontos, fazendo mais de 1.000 pontos em três provas. Eaton venceu os Mundiais de 2013 e 2015, neste último batendo o recorde mundial com 9.045 pontos. No Rio-2016, Eaton encerrou sua carreira com mais uma vitória com 8.893 pontos, pouco à frente do francês Kevin Mayer, prata com 8.834.

Medalhistas do decatlo em Jogos Olímpicos

JogosOuroPrataBronze
Estocolmo 1912Jim Thorpe
Hugo Wieslander
USA
SWE
Charles LombergSWEGösta HolmérSWE
Antuérpia 1920Helge LøvlandNORBrutus HamiltonEUABertil OhlsonSWE
Paris 1924Harold OsbornEUAEmerson NortonEUAAleksander KlumbergEST
Amsterdã 1928Paavo YrjöläFINAkilles JärvinenFINKen DohertyEUA
Los Angeles 1932Jim BauschEUAAkilles JärvinenFINWolrad EberleGER
Berlim 1936Glenn MorrisEUABob ClarkEUAJack ParkerEUA
Londres 1948Bob MathiasEUAIgnace HeinrichFRAFloyd SimmonsEUA
Helsinque 1952Bob MathiasEUAMilt CampbellEUAFloyd SimmonsEUA
Melbourne 1956Milt CampbellEUARafer JohnsonEUAVasily KuznetsovURS
Roma 1960Rafer JohnsonEUAYang CKTPEVasily KuznetsovURS
Tóquio 1964Willi HoldorfGERRein AunURSHans-Joachim WaldeGER
Cidade do México 1968Bill ToomeyEUAHans-Joachim WaldeFRGKurt BendlinFRG
Munique 1972Nikolay AvilovURSLeonid LitvinenkoURSRyszard KatusPOL
Montreal 1976Bruce JennerEUAGuido KratschmerFRGNikolay AvilovURS
Moscou 1980Daley ThompsonGBRYury KutsenkoURSSergey ZhelanovURS
Los Angeles 1984Daley ThompsonGBRJürgen HingsenFRGSiggi WentzFRG
Seul 1988Christian SchenkGDRTorsten VossGDRDave SteenCAN
Barcelona 1992Robert ZmělíkTCHAntonio PeñalverESPDave JohnsonEUA
Atlanta 1996Dan O’BrienEUAFrank BusemannGERTomáš DvořákCZE
Sydney 2000Erki NoolESTRoman ŠebrleCZEChris HuffinsEUA
Atenas 2004Roman ŠebrleCZEBryan ClayEUADmitry KarpovKAZ
Pequim 2008Bryan ClayEUAAndrei KrauchankaBLRLeonel SuárezCUB
Londres 2012Ashton EatonEUATrey HardeeEUALeonel SuárezCUB
Rio 2016Ashton EatonEUAKévin MayerFRADamian WarnerCAN

Quadro de medalhas do decatlo em Jogos Olímpicos

PaísOuroPrataBronzeTotal
Estados Unidos147627
Grã-Bretanha2002
União Soviética1348
Finlândia1203
Alemanha1124
Suécia1124
República Tcheca1113
Alemanha Oriental1102
Estônia1012
Tchecoslováquia1001
Noruega1001
Alemanha Ocidental0325
França0202
Belarus0101
Taipei Chinês0101
Espanha0101
Canadá0022
Cuba0022
Cazaquistão0011
Polônia0011

A prova

O americano Ashton Eaton foi bicampeão do decatlo em Londres-2012 e Rio-2016 (Reprodução/COI)

Decatlo é uma competição de atletismo composta por dez provas, exclusiva para homens.  Os atletas inscritos competem num programa de dois dias, que inclui as seguintes modalidades: 100 metros rasos; salto em distância, arremesso de peso, salto em altura, 400 metros rasos (1º dia); 110 metros com barreiras, lançamento de disco, salto com vara, lançamento de dardo, 1500 metros (2º dia).

A especial importância do decatlo deve-se a que o vencedor dessa modalidade é considerado “o atleta mais completo do mundo”, por causa do conjunto de provas que a modalidade exige, ao mesmo tempo, resistência extraordinária e o desenvolvimento harmônico de diferentes aptidões físicas.