Siga o OTD

Ciclismo de pista – Jogos Paralímpicos

Ciclismo de pista – Jogos Paralímpicos

NOTÍCIAS   GUIA DA PARALIMPÍADA CALENDÁRIO   QUADRO DE MEDALHAS TÓQUIO TODO DIA 

CALENDÁRIO

DataProvaHorário/Resultado
C4 3000 m feminino – perseguição individual – qualificação x
C1-3 3.000 m feminino – perseguição individual – qualificação x
C5 3000 m feminino – perseguição individual – qualificação x Ana Raquel Lins
B 4000 m masculino – perseguição individual – qualificação x
C1-3 3.000 m feminino – perseguição individual – ouro x
C4 3000 m Feminino – Perseguição Individual – Bronze x
C4 3000 m feminino – perseguição individual – ouro x
C5 3000 m Feminino – Perseguição Individual – Bronze x
C5 3000 m feminino – perseguição individual – ouro x
B 4000 m Masculino – Perseguição Individual – Bronze x
B 4000 m Masculino – Perseguição Individual – Ouro x
B 1000 m contra-relógio feminino x
C1 3000 m masculino – perseguição individual – qualificação x Carlos Soares
C2 3000 m masculino – perseguição individual – qualificação x
C1-3 3.000 m – perseguição individual feminino – final – bronze x
C3 3000 m masculino – perseguição individual – qualificação x
C4-5 1000 m contra relógio masculino x Lauro Chaman
C4-5 1000 m contra relógio masculino x André Grizante
Masculino C1 3000 m Perseguição Individual – Final – Bronze x
Masculino C1 3000 m Perseguição Individual – Final – Ouro x
C2 3000 m Masculino – Perseguição Individual – Bronze x
C2 3000 m Masculino – Perseguição Individual – Ouro x
Masculino C3 3000 m Perseguição Individual – Final – Bronze x
Masculino C3 3000 m Perseguição Individual – Final – Ouro x
Contra-relógio feminino C1-3 500 m x
C4 4000 m masculino – perseguição individual – qualificação x André Grizante
C5 4000 m masculino – perseguição individual – qualificação x Lauro Chaman
Contra-relógio masculino C1-3 1000 m x Carlos Soares
C4-5 500 m contra-relógio feminino x Ana Raquel Lins
C4 4000 m masculino – perseguição individual final – bronze x
C4 4000 m masculino – perseguição individual – final ouro x
Masculino C5 4000 m – Perseguição Individual – Final – Bronze x
Masculino C5 4000 m – Perseguição Individual – Final – Ouro x
B 3000 m feminino – perseguição individual – qualificação x
Sprint de equipe mista C1-5 750 m – qualificação x Brasil
B 1000 m contra relógio masculino x
B 3.000 m feminino – perseguição individual – final bronze x
B 3.000 m feminino – perseguição individual – ouro x
Misto C1-5 750 m equipe sprint final – Bronze x
Final de Sprint em Equipe Misto C1-5 750 m – Ouro x

Brasileiros em Tóquio

A delegação brasileira terá quatro atletas no ciclismo de pista dos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. A única representante feminina é Ana Raquel. No masculino, Lauro Chaman, Carlos Soares e André Grizante.

Lauro Chaman é extremamente versátil e pedala tanto na pista quando na estrada. No Mundial de 2020, ele saiu da competição de ciclismo de pista com duas pratas e um bronze. Na estrada, Chaman ficou com o bronze na classe C5 em 2020 e foi prata em 2018.

Chaman é o principal nome brasileiro no ciclismo dos Jogos Paralímpicos de Tóquio e uma grande aposta na briga por medalhas.

Com uma prata e um bronze na Rio-2016, o ciclista busca a única medalha que falta do pódio paralímpico. ”Eu luto e me preparo da melhor maneira possível para subir ao pódio e trazer o ouro”.

Provas

Ana Raquel
Classe C5 – Perseguição Individual (3.000m)

Classe C4-5 – Contrarrelógio (500m)

Lauro Chaman
Classe C4-5 – 1km Contrarrelógio

Classe C5 – Perseguição Individual (4.000m)

Carlos Soares
Classe C1 – Perseguição Individual (3.000m)

Classe C1-C3 – 1km Contrarrelógio

André Grizante
Classe C4 – Perseguição Individual (4.000m)

Classe C4-5 – 1km Contrarrelógio

E também tem a prova de velocidade por equipes que o Brasil vai participar com o Lauro Chaman, Carlos Soares e André Grizante.

Mundial de ciclismo de Pista tóquio jogos paralímpicos
(Divulgação/CPB)

Local da competição

As disputas do ciclismo de pista serão no Velódromo de Izu, que foi expandido para os Jogos para 5.000 lugares. Izu fica a sudoeste de Tóquio, dentro da Prefeitura de Shizuoka, ficando a pouco mais de 100 km da capital japonesa.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

O esporte

O ciclismo tornou-se oficialmente um esporte paraolímpico nos Jogos Internacionais para Pessoas com Deficiência de 1984 (agora conhecidos como os sétimos Jogos Paralímpicos) em Nova York e Stoke Mandeville.

Há uma variedade de eventos de estrada e pista são realizados nos Jogos Paraolímpicos. A pista, assim como a olímpica, ocorre em um velódromo com pista oval inclinada de 250m de comprimento. Embora a realização de uma corrida em ambientes fechados elimine os efeitos do vento e do clima, a aerodinâmica ainda é um fator que os ciclistas precisam considerar.

A maior característica do ciclismo paralímpico é que os diferentes tipos de bicicletas são usados ​​dependendo das deficiências dos atletas – portanto, os para-ciclistas devem adaptar sua técnica à sua bicicleta.

Os eventos de pista são divididos em duas classes; Classe C (amputação, hemiplegia ou outro comprometimento de membro), onde os atletas usam uma bicicleta de duas rodas, e classe B (deficiência visual), em que bicicletas de dois lugares são usadas. O programa de ciclismo de pista é composto por três eventos, incluindo contrarrelógio, perseguição individual e sprint em equipe.