Siga o OTD

Richarlison de Andrade

Richarlison – futebol masculino – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento: Nova Venécia/ES
Idade: 24 anos (10/05/1997)
Altura: 1,84m
Clube: Everton/ING

Richarlison de Andrade, mais conhecido como Richarlison, é atacante do Everton, da Inglaterra, e representará o Brasil no futebol masculino dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

+ CONFIRA TUDO SOBRE O FUTEBOL NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

A luta para ajudar a família e o começo no futebol

Nascido e criado em Nova Venécia, no Espírito Santo, Richarlison teve de superar muitas adversidades ao longo de sua jornada, a mesma realidade de incontáveis pessoas ao redor de todo o Brasil. Vivia em um bairro perigoso e violento, cercado por crimes e drogas. Chegou até a ser ameaçado com uma arma enquanto voltava do futebol com um amigo. Na rua com o irmão, avistava armas e malotes de dinheiro, como contou em carta aberta ao site ‘The Players Tribune’.

Repleto de humildade, o futuro atacante da seleção brasileira fazia o que podia para ajudar os pais, que eram separados. Vendeu picolé e bombons caseiros, limpou carros no lava-rápido e trabalhou na roça, pensando exclusivamente em dar uma vida melhor aos familiares.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Entre idas e vindas, desembarcou em Florianópolis, Santa Catarina, para realizar testes no Avaí e no Figueirense. Apesar de passar um período treinando nos clubes, acabou sendo rejeitado em ambos, fazendo com que precisasse de outra alternativa.

Procurando manter vivo o sonho em ser jogador de futebol, o capixaba recebeu uma oportunidade justamente em sua terra natal. Entre 2013 e 2014, atuou nas categorias de base do Real Noroeste-ES, seguindo para o América Mineiro. Foi em Belo Horizonte que se tornou profissional e que a sua carreira, enfim, deslanchou.

Resumo da carreira: do Real Noroeste à Premier League

A explosão da jornada de Richarlison foi meteórica. Com pouco tempo de diferença entre um e outro, vestiu a camisa de vários clubes em sequência. Saindo do Real Noroeste para o América, disputou a Série B do Campeonato Brasileiro, em 2015, logo que foi promovido à equipe profissional do clube mineiro. Ao anotar 9 gols em 24 partidas pelo Coelho, chamou a atenção do Fluminense.

Foram duas temporadas com a camisa tricolor (2016 e 2017). Viveu bons momentos nas Laranjeiras e chegou a ser requisitado por Ajax e Palmeiras antes de acertar a ida à Inglaterra. Pelo Flu, balançou a rede 19 vezes em 67 jogos. No momento de sua saída, quando acertou com o Watford, era um dos principais nomes da equipe.

Richarlison - futebol masculino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
De Nova Venécia, no Espírito Santo, ao bom momento vivido na Inglaterra com a camisa do Everton. Foto: Divulgação/Everton FC

Pelo clube londrino, a passagem foi curta, de apenas uma temporada. Na janela de transferências do verão de 2018/19, viajou alguns quilômetros até Liverpool, sendo anunciado como novo reforço do Everton. A partir dali, em um time maior e mais importante no país, naturalmente recebeu mais visibilidade e passou a ser nome frequente nas convocações de Tite para a seleção brasileira masculina.

+ CONFIRA TUDO SOBRE AS PARTIDAS DA SELEÇÃO MASCULINA NOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO 2020

Pelos Toffees, apelido carinhoso do Everton, trabalhou com o treinador italiano Carlo Ancelotti, multicampeão ao longo da vasta carreira. Rapidamente, Richarlison caiu nas graças da torcida. Já entrou em campo com a camiseta azul por 119 vezes, deixando sua marca em 42 delas, junto com 8 assistências.

A trajetória na seleção brasileira

Em 2017, enquanto começava a despontar no Fluminense, Richarlison foi convocado para defender o Brasil no Sul-Americano Sub-20, realizado no Equador. A seleção passou pela fase de grupos e chegou ao hexagonal final, mas ficou apenas na 5ª colocação. Embora a campanha não tenha sido tão produtiva, o atacante marcou dois gols em oito partidas.

Já ano seguinte, participou de amistosos pela equipe principal e foi presença constante no elenco desde então. De lá para cá, esteve na lista chamada por Tite para a Copa América 2019, na qual a seleção brasileira levantou a taça em casa, no Maracanã, ao vencer o Peru por 3 a 1.

O primeiro título conquistado pelo jogador com a camisa de seu país é um marco na carreira. Ele espera garantir uma vaga na Copa do Mundo do Catar, que será realizada no final do ano que vem.

Após o Flamengo não liberar Pedro para a Olimpíada, André Jardine, técnico do time olímpico, rapidamente solicitou a convocação do destaque do Everton. Richarlison negociou com os dirigentes ingleses e pôde participar do torneio de futebol masculino em Tóquio. Segundo ele, “foi uma felicidade muito grande” ser lembrado para os Jogos.

Em 2021

Na Inglaterra, Richarlison viveu novamente boa temporada individual com o Everton. O time acabou ficando pelo caminho nas quartas de final das duas copas nacionais (Copa da Inglaterra e Copa da Liga Inglesa) e fechou em 10º lugar na Premier League. De qualquer forma, o brasileiro guardou 13 gols em 40 jogos. A expectativa é de que ele seja uma das grandes referências técnicas da seleção olímpica.

Richarlison - futebol masculino - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Apesar da derrota, ajudou o Brasil a chegar à final da Copa América 2021. Espera poder fazer o mesmo com o futebol masculino na Olimpíada. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Entre junho e julho, disputou sua segunda Copa América, novamente em terras brasileiras. Aos 24 anos, já se tornou peça importante e ajudou o Brasil a alcançar a grande decisão do torneio, outra vez no Maracanã, mas desta vez com derrota para a Argentina, que levou a melhor por 1 a 0. O desempenho importante no clube e a campanha consistente da seleção principal foram os destaques do atleta ao longo de 2021.