Siga o OTD

Priscilla Stevaux

Priscilla Stevaux – Ciclismo BMX – Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Ficha TécnicaMedalhas
Nascimento:. Sorocaba/SP
Idade: 27 anos (02/12/1993)
Altura: 1,56m
Peso: 56kg
Pan: 2 (Toronto-2015 e Lima-2019)
Olimpíada: 1 (Rio-2016)

Priscilla Stevaux será a única representante do Brasil no ciclismo BMX feminino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Aos 28 anos, a atleta disputa sua segunda Olimpíada e tenta um grande resultado para a modalidade.

+ Rivais, chances de PRISCILLA, favoritos e mais: Saiba TUDO sobre o BMX feminino em Tóquio

Base familiar

Tudo começou quando Priscilla Stevaux tinha apenas sete anos de idade. Ela foi apresentada à bike através do pai e do irmão, quando eles assistiram a uma competição de ciclismo BMX de forma despretenciosa. O irmão, então, logo de apaixonou pela modalidade e levou Priscilla junto nesse caminho.

+Saiba TUDO sobre TODAS AS PROVAS de TODAS AS MODALIDADES dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Em 2001, a paulista, nascida em Sorocaba, começou a de fato a se dedicar ao esporte e, no mesmo ano, já disputou uma copa regional em sua cidade natal. No ano seguinte, Priscilla deu o primeiro grande passo na carreira de sucesso, participando do Campeonato Mundial de Paulínia, interior de São Paulo, e ficando em terceiro lugar na sua categoria, aos nove anos.

Sete anos mais tarde, ela conquistou seu primeiro título nacional e no ano seguinte, em 2010, foi convocada pela primeira vez para a seleção brasileira, começando de fato sua carreira internacional. E em 2011, atingiu um dos grande momentos da carreira, quando foi finalista do Campeonato Mundial.

Superando obstáculos

Em 2013, Priscilla Stevaux teve um ano difícil. Apesar de boas marcas, como chegar pela primeira vez às semifinais de uma etapa da Copa do Mundo de Supercross e fazer o 14º tempo na Copa do Mundo de Manchester, o melhor tempo de uma atleta brasileira na prova, ela perdeu o patrocínio e, assim, não conseguia mais custear os treinos sozinha.

Ela decidiu, então, trancar a faculdade de arquitetura que havia iniciado naquele mesmo ano e viu Bianca Quinalha passar a sua frente no ranking nacional. Com novo patrocínio no início do ano seguinte e um novo clube, Priscilla Stevaux se dedicou como nunca para conseguir a vaga na Olimpíada do Rio de Janeiro.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK 

Em 2015, disputou os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, e conseguiu um ótimo quarto lugar, batendo na trave do pódio.

No ano seguinte, foi a vez de realizar o sonho. Além do bronze no Campeonato Panamericano de Ciclismo BMX, Priscilla Stevaux representou o Brasil pela primeira vez nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, no qual conseguiu chegar até a semifinal.

Priscilla Stevaux - Ciclismo BMX  - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
Priscilla Stevaux disputará sua segunda Olimpíada em Tóquio (Andrey Acca Fotógrafo)

Em 2021

Depois de ser campeã Panamericana de BMX em 2018, tetracampeã brasileira e conseguir mais um quarto lugar nos Jogos de Lima-2019, Priscilla Stevaux se viu sem competições em 2020, devido à pandemia de coronavírus. Em setembro, no entanto, a atleta participou da Missão Europa, etapa importante para manter a forma de olho nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Voltando a competir em 2021, Priscilla conseguiu avançar à final da Etapa de Bogotá da Copa do Mundo da modalidade, em maio. E em junho, a CBC (Confederação Brasileira de Ciclismo) confirmou, então, a convocação de Renato Rezende e Priscilla Stevaux como representantes do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 no ciclismo BMX. 

RESULTADOS

viagra