Siga o OTD

Milena Titoneli - Jogos Olímpicos - Tóquio 2020 - Gaspar Nóbrega/ COB

Tóquio 2020

AO VIVO: as lutas do taekwondo nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Netinho, Milena Titoneli e Ícaro Miguel lutam nesse domingo (25)

(divulgação)

AO VIVO: as lutas do taekwondo nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Acompanhe ao vivo: Disputas do taekwondo nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Agora, sim, vai começar a competição do taekwondo nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 para o Brasil. Ícaro Miguel, Milena Titoneli e Edival Pontes, o Netinho, representarão o país e você os acompanhará ao vivo a partir da 1h (do horário de Brasília) no Olimpíada Todo Dia.

Neste domingo (25), Netinho abre os trabalhos contra o turco Hakan Heckber às 1h02min na categoria até 68kg do taekwondo abrirá os trabalhos brasileiros.

Na parte da noite, Ícaro Miguel encara Simone Alessio, da Itália, às 22h15min, na categoria peso médio masculino (até 80kg). Por fim, às 23h, Milena Titoneli encara Julyana Al-Sardeq, da Jordânia. Por fim,

+CHANCES DE NETINHO, MILENTA E ÍCARO, RIVAIS, DATAS E MAIS: SAIBA TUDO SOBRE O TAEKWONDO

Assim como as outras artes marciais, as disputas do taekwondo Olimpíada de Tóquio-2020 também acontecerão na tradicional Arena Nippon Budokan, na cidade de Tóquio. Construída para ser a sede do judô nos Jogos Olímpicos realizados na cidade japonesa em 1964.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Seu nome significa “Salão de Artes Marciais” e terá capacidade para 11 mil pessoas durante as Olimpíadas. Tradicionalmente a Arena Nippon Budokan recebe dezenas de grandes shows e concertos ao longo dos anos.

Confira um perfil de todos os brasileiros do taekwondo em Tóquio

Edival Pontes, o Netinho – categoria peso pena masculino (até 68kg)

Ícaro Miguel – categoria peso médio masculino (até 80kg)

Milena Titoneli – categoria peso médio feminino (até 67 kg)

O Brasil no taekwondo dos Jogos Olímpicos

O Brasil participa do taekwondo nos Jogos Olímpicos desde a sua entrada no cronograma dos Jogos em Sidney-2000. Na ocasião o país foi representado por Carmen Silva, na categoria até 57 kg. A londrinense acabou sendo derrotada logo na primeira luta pela italiana Cristiana Corsi por 5 a 2.

Quatro anos depois foi a vez de dois taekwondistas passarem muito perto de conquistarem a primeira medalha olímpica para o país. Considerados por muitos como os dois melhores atletas do Brasil no esporte, Natália Falavigna e Diogo Silva terminaram em quarto lugar em suas respectivas categorias, +67 kg feminina e -68 kg masculina.

Pioneiros

Natália venceu duas lutas até chegar na semifinal, quando foi derrotada pela chinesa Chen Zhong, que viria a ser a campeã olímpica. Na disputa do bronze a brasileira foi derrotada pela venezuelana Adriana Carmona por 7 a 4, se despedindo sem a medalha na quarta colocação.

Já Diogo venceu sua primeira luta, mas caiu na segunda para o iraniano Hadi Saei, que também viria a ser campeão olímpico daquela edição. Na repescagem o atleta venceu suas duas primeiras lutas e se credenciou para a disputa do bronze, mas acabou sendo derrotado pelo sul-coreano Song Seob. Naquela edição o taekwondo não distribuía duas medalhas de bronze como acontece hoje.

Dois esportes serão as novidades nos Jogos da Juventude de 2021. O taekwondo e a ginástica artística, masculina e feminina, passam a integrar a competição na sua próxima edição. O evento será disputado em Aracaju (SE), em novembro. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (4) pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil). Com isso, essas duas modalidades se juntam às outras 13 que já faziam parte
Natália Falavigna conquistou a primeira medalha olímpica brasileira no taekwondo (COB/Divulgação)

Primeira medalha

A primeira medalha no taekwondo veio justamente através de Natália Falavigna na edição de Pequim-2008. A londrinense, uma das maiores vencedoras do nosso taekwondo, desembarcou na capital chinesa disposta a mudar a história de Atenas quatro anos antes, quando passou muito perto da medalha. Durante aqueles quatro anos a brasileira conquistou vários títulos, incluindo uma medalha de ouro mundial na categoria abaixo, e chegou em Pequim como uma das grandes favoritas ao pódio.

Natália começou derrotando duas adversárias até encontrar a norueguesa Nina Solhein na semifinal. Após uma luta muito equilibrada e que terminou empatada no tempo normal e no round extra, a arbitragem acabou decidindo pela vitória da norueguesa. Na disputa do bronze a vitória contra a Karolina Kedzierska, da Suécia, por 5 a 2 assegurou a primeira medalha do Brasil no taekwondo em Olimpíadas.

Medalha improvável

Depois de mais um quarto lugar de Diogo Silva na edição de Londres-2012, a primeira medalha masculina veio na edição seguinte, no Rio de Janeiro em 2016. O mineiro Maicon Siqueira Andrade foi uma das maiores surpresas da delegação brasileira e conquistou a medalha de bronze na categoria mais pesada da modalidade.

Após cair nas quartas de final para Abdoul Issoufou, do Níger, o brasileiro se recuperou, venceu sua luta na repescagem e se credenciou para a disputa do bronze. A medalha foi definida contra o britânico Mahama Cho, de virada por 5 a 4.

taekwondo Maicon Andrade
Maicon Andrade ficou com o bronze no taekwondo nos Jogos Rio-2016 (Facebook/maicon.andrade.777)

Mais em Tóquio 2020