Siga o OTD

Milena Titoneli - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 - Gaspar Nóbrega COB

Tóquio 2020

Milena Titoneli perde luta da medalha e taekwondo fica sem pódios em Tóquio

Em dia de altos e baixos, Milena Titoneli termina derrotada na luta que valia a medalha de bronze e Brasil passa em branco no taekwondo em Tóquio 2020

Gaspar Nóbrega COB

Milena Titoneli perde luta da medalha e taekwondo fica sem pódios em Tóquio

Não deu! No dia de altos e baixos, Milena Titoneli acabou com o revés na luta que valia o bronze dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, contra a marfinense Ruth Gbagbi, por 12 a 8, em uma luta muito tensa. Assim, a campeã pan-americana e medalhista mundial, fecha a participação do taekwondo brasileiro nessa edição. Netinho e Ícaro Miguel perderam na primeira luta.

+ CONHEÇA MAIS A ATLETA EM SEU PERFIL COMPLETA

“Na minha opinião tive uma evolução muito grande contra a atleta da Costa do Marfim, ela é a segunda melhor do ranking olímpico. Das outras vezes que lutei com ela foi muito difícil também, mas dessa vez eu eliminei as melhores armas, infelizmente no final ela conseguiu tirar um golpe que acabou virando a luta e abriu mais vantagem. Eu tive uma evolução muito grande, pena que no final eu acabei caindo em um pequeno erro que resultou na minha derrota”, comentou Milena.

Milena começou o dia com uma vitória contra a atleta da jordânia Julyana Al-Sadeq e, logo, sofreu o revés para a croata Matea Jelic. Com a vitória da adversária, a brasileira classificou para a repescagem. Contra a jovem de 17 anos Lauren Lee, do Haiti, Milena foi avassaladora e nem deu chances para a adversária.

+GUIA DOS JOGOS OLÍMPICOS DE TÓQUIO

A luta contra Lauren já começou a todo vapor, Milena abriu oito pontos de vantagem. Acertou muitos golpes e já fechou a primeira parcial em 12 a 2. O confronto continuou na mesma toada, sem chances para adversária, que era acertada por golpes e viu o segundo período fechar com 24 a 5. Coube a Milena marcar mais dois pontos no último tempo e fechar a luta com 26 a 5.

Na briga pelo bronze, a disputa começou equilibrada e muito estudada. Poucos riscos. Milena acertou um ponto e Ruth Gbagbi também. Fim de primeiro tempo com 1 a 1 no placar. A luta continuou muito devagar, mas a marfinense conseguiu assumir a frente e fechar a segunda parcial com 6 a 4. Na última parcial, melhor para a adversária que no espaço aberto acabou marcando e fechando a luta por 12 a 8. No momento, Milena aparece na 11ª colocação no ranking Olímpico e na 8ª posição no ranking mundial, ambos na categoria até 67kg.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

TAEKWONDO NOS JOGOS

A primeira medalha no taekwondo veio justamente através de Natália Falavigna na edição de Pequim-2008. A londrinense, uma das maiores vencedoras do nosso taekwondo, desembarcou na capital chinesa disposta a mudar a história de Atenas quatro anos antes, quando passou muito perto da medalha. Durante aqueles quatro anos a brasileira conquistou vários títulos, incluindo uma medalha de ouro mundial na categoria abaixo, e chegou em Pequim como uma das grandes favoritas ao pódio.

Depois de mais um quarto lugar de Diogo Silva na edição de Londres-2012, a primeira medalha masculina veio na edição seguinte, no Rio de Janeiro em 2016. O mineiro Maicon Siqueira Andrade foi uma das maiores surpresas da delegação brasileira e conquistou a medalha de bronze na categoria mais pesada da modalidade.

Mais em Tóquio 2020