Siga o OTD

Pia Sundhage, técnica da seleção feminina de futebol

Tóquio 2020

Marta empolgada e Pia Sundhage misteriosa dão o tom da seleção

Na véspera da estreia contra a China, Marta e Pia Sundhage mostram que estão afinadas dentro e fora de campo

Marta e Pia Sundhage é a mistura do Brasil com a Suécia (Daniela Porcelli/CBF)

Marta empolgada e Pia Sundhage misteriosa dão o tom da seleção

Essa é a mistura do Brasil com a Suécia, ginga brasileira com a organização sueca. É nesse ritmo que a seleção brasileira de futebol feminino está se preparando para a estreia nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 diante da China. Marta, do requebrado brasileiro, e a técnica Pia Sundhage, que determina a cadência da equipe, comentaram, em coletiva, sobre a expectativa do primeiro Jogo no Japão.

A atacante Marta está prestes a jogar sua quinta olímpiada e se mostrou extremamente empolgada com a oportunidade. “Me faltam para descrever o quanto eu estou feliz”, disse. Dona de duas prata, Marta fez questão de expressar sua excitação com o momento. “É uma felicidade enorme poder estar aqui, na expectativa de viver ativamente mais uma olímpiada, muito feliz”.

Mais contida, mas não menos animada, Pia Sundhage agradeceu a oportunidade de comandar o Brasil em uma edição de Jogos Olímpicos. “É um momento especial, estou muito grata de estar no Japão, de podermos competir na olimpíada. Muito feliz e ansiosa para estrear no gramado e marcar alguns gols”, comentou a técnica sueca que está perto de completar dois anos à frente da seleção brasileira de futebol feminina.

O Brasil estreia diante da China nesta quarta-feira, às 5h (horário de Brasília), depois enfrenta a Holanda e fecha a participação na fase de grupos diante da Zâmbia. Afinadas, Marta e Pia Sundhage, cada uma ao seu modo, mostram que a seleção está pronto para a estreia.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

Empolgou

Foi definido pelo Japão e pelo Comitê Organizador de Tóquio 2020 que não teremos público nos eventos na região da Metrópole de Tóquio. “Obviamente que pra gente é super importante ter pessoas na arquibancada. É essa a emoção que o futebol passa, é até difícil imaginar sem torcida. Eu já estava preparada para este cenário”.

Seleção Feminina treina com foco na estreia diante da China nos Jogos Olímpicos de Tóquio
seleção feminina treina com foco na estreia diante da China (Sam Robles/CBF)

Mas como o Brasil encara a China no Hitomebore Stadium Miyagi, localizado na cidade de Myiagi, mais ou menos 370km da capital japonesa, Marta vai jogar diante da torcida e isso a deixou ainda mais animada. “A nossa torcida seria virtual, mas com essa notícia que teremos público, isso é uma motivação a mais, ficamos feliz.”

Bem à vontade na coletiva, a atacante, eleita seis vezes a melhor do mundo, também comentou sobre o esquema montado para ela por Pia Sundhage. “Se a Pia falou que o meu melhor está jogando mais pela lateral”, disse rindo e gesticulando ao lado da técnica sueca. “Eu sempre ouço e entendo. Estou querendo fazer o melhor possível, e na frente temos as novinhas correndo. Espero que essa misture dê certo para a gente colher bons frutos!”

+RECEBA NOTÍCIAS NO NOSSO CANAL NO TELEGRAM OU PARTICIPE DO NOSSO GRUPO DO WHATSAPP

Misteriosa

Trabalhada na malandragem sueca, Pia Sundhage não revelou nada sobre qual será o time da estreia. “Mistério, eu gosto dessa palavra, acho que ela define bem o futebol”, disse com um sorriso maroto. “Eu vou seguir escondendo a escalação, espero que seja uma boa surpresa para as brasileiras e muito difícil para a China.”

Seleção Feminina, comandada por Pia Sundhage, treina com foco na estreia diante da China nos Jogos Olímpicos
Seleção Feminina, comandada por Pia Sundhage, treina com foco na estreia diante da China (Sam Robles/CBF)

E olha que a imprensa chinesa insistiu, mas a técnica sueca não cedeu. “Claro que a gente andou observando a China, mas eu não quero revelar as coisas. A China é sempre uma equipe técnica, forte e difícil de ser batida. Se quisermos vencer, teremos que jogar no nosso melhor nível.”

E o melhor nível da seleção brasileira de futebol feminino passa pela organização tática imposta por Pia Sundhage. “O Brasil está pronto, tenho certeza disso. Eu acho que a parte defensiva está bem mais sólida e o ataque está um pouco mais organizado, mas eu jamais tiraria o ‘samba style’, frase que arrancou risada de Marta.

É nesse clima harmonioso, misturado e cheio de estilo que a seleção vai estrear em Tóquio.

Mais em Tóquio 2020