Siga o OTD

Tóquio 2020

COB celebra volta de CT e Missão Europa a um ano de Tóquio

Adiada em 2020 devido à pandemia de coronavírus, a Olimpíada mudou de data e começa no dia 23 de julho de 2021

Nado Artístico Atletas Tóquio Missão Europa CT Time Brasil Coronavírus
Luisa Borges, Maria Bruna e Laura Miccuci, do nado artístico, estão na Missão Europa (Alexandre Castello Branco/COB e Marcello Bravo/COB)

Os últimos dias foram positivos para o esporte olímpico brasileiro com a reabertura do CT Time Brasil e o começo do programa Missão Europa. Alguns atletas já garantidos e outros que buscam vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio retomaram seus treinos específicos. A volta acontece na semana que será celebrada uma marca especial, já que dia 23 julho faltará um ano para a Olimpíada, que foi adiada para 2021 devido ao coronavírus.

+ Como chega o Brasil na briga pelo bi olímpico no futebol

“Desde que o COI anunciou o adiamento, o COB trabalha por alternativas que permitam que o Movimento Olímpico Brasileiro supere o cenário trazido pela pandemia. Estamos dando passos seguros para proporcionar uma preparação adequada aos atletas. É possível ver em cada atleta a chama olímpica acesa. Daqui a um ano nos apresentaremos em grande forma”, disse Paulo Wanderley, presidente do COB (Comitê Olímpico do Brasil).

“É um momento bom para retornar a treinar e a cabeça continua com o mesmo objetivo. A sensação é de começar tudo de novo em busca de um sonho. Espero que agora a gente possa voltar com tudo todos os dias treinando. Daqui a algumas semanas, vamos para a Missão Europa e lá a gente conseguirá correr um pouco mais atrás”, comentou Ana Marcela Cunha, campeã mundial de maratonas aquáticas.

+ Cenário atual não permite Jogos, diz chefe do Comitê Organizador

“Talvez já tenha duas competições. Por estarmos na Europa por mais de três semanas, ficaremos autorizadas de poder competir. Se elas realmente acontecerem, já começamos a voltar ao ritmo. Então, agora é fazer o que a gente sempre fez, treinar bastante, que vai dar tudo certo”, completou a nadadora, que voltou ao CT Time Brasil, no Parque Aquático Maria Lenk, na segunda-feira (20).

Missão Europa e a primeira delegação

Arthur Zanetti CT Time Brasil Missão Europa Atletas Tóquio
Arthur Zanetti, campeão olímpico, está na Missão Europa (Alexandre Castello Branco/COB e Marcello Bravo/COB)

Além da volta aos treinos no CT Time Brasil, no Rio de Janeiro, a primeira delegação da Missão Europa, programa do COB, já está em ação em Portugal. O grupo que inaugurou o projeto viajou na sexta-feira (17) e, para entrar no avião, teve que testar negativo para coronavírus. Assim que chegou ao país, precisou ser submetido a mais exames. Atletas de judô, boxe, nado artístico, ginástica e natação foram os primeiros contemplados.

+ Saiba porque o vôlei masculino foi mais afetado que o feminino

“Estamos felizes por termos retornado aos treinos após tanto tempo paradas e já com um objetivo, que é o pré-olímpico, para conseguimos a vaga em Tóquio. Este ano já estávamos tensas, sentindo a emoção dos Jogos se aproximando. Mas, quando a contagem regressiva recomeçou, surgiu uma nova chance de estarmos melhor preparadas. É muito bom sentir essa vibração novamente”, celebrou Luisa Borges, do nado artístico.

Logística olímpica

Marco La Porta, vice-presidente do COB, é o chefe da Missão Tóquio 2020 e está com os atletas na Missão Europa. O dirigente comentou sobre a logística para os Jogos de Tóquio. “Temos a certeza de que esses 365 dias passarão muito rápido. E, por isso, estamos trabalhando intensamente. É uma logística que vem sendo preparada com muita antecedência, desde antes do Rio 2016, e que foi mantida para o ano que vem”, disse.

+ A um ano da estreia, o que esperar da seleção em Tóquio-2020

“Sabemos que os desafios serão muitos: a cultura, o fuso horário, a gastronomia, a distância. Mas tudo já foi testado, e novas experiências serão vividas antes dos Jogos, que possamos oferecer as melhores condições para que nossos atletas se preocupem apenas com o desempenho esportivo”, completou Marco La Porta. Em 2021, os atletas terão bases em Chiba, Enoshima, Hamamatsu, Sagamihara, Miyagase, Saitama, Ota, Koto e Chuo.

Brasileiros nos exterior e verba ao esporte

COI Missão Europa CT Time Brasil Atletas Tóquio
Os atletas brasileiros voltaram aos treinos visando os Jogos de Tóquio (IOC/Divulgação)

Os atletas brasileiros que moram no exterior também receberam a atenção. De acordo com o COB, Thiago Braz, do salto com vara, na Itália; Nubia Soares, do salto triplo, na Espanha; Nathalie Moellhausen, da esgrima, na França; Tati Weston Webb, do surfe, no Havaí, entre outros, receberam apoio e voltaram às suas atividades em lugares que a doença está sob controle. Eles estão sendo acompanhados por dirigentes da entidade.  

+ Dirigente do COI é contra Jogos apenas com torcida japonesa

“Estamos acompanhando todas as ações e as monitorando para identificar qualquer necessidade específica. Para o COB, nada é mais importante que o atleta, por isso todas as nossas atenções são voltadas para que consigamos retomar nossas atividades com segurança, dosando a carga de treinos e evitando riscos de lesões”, declarou Jorge Bichara, diretor de esportes do COB.

“É importante entender que todas essas ações são complementares e serão ampliadas aos poucos e dentro do possível, ainda em ambiente de pandemia”, acrescentou o dirigente. Para 2020, o COB garantiu R$ 120 milhões do orçamento, sem cortes e R$ 10 milhões para projetos de desenvolvimento esportivo junto às Confederações.

SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Além disso, a entidade destinou R$ 7 milhões para ser utilizado em ações de combate à pandemia (aquisição de testes e equipamentos de EPI, por exemplo); para projetos esportivos e administrativos (como pagamento de fornecedores, tributos, aluguéis, etc), em virtude do impacto financeiro na receita das entidades no momento.

Ana Marcela Cunha Atletas Missão Europa CT Time Brasil Tóquio
Ana Marcela Cunha retomou suas atividades no CT Time Brasil (Facebook/timebrasil)

Mais em Tóquio 2020