Siga o OTD

Hugo Calderano conquista prata histórica no Aberto do Qatar

Tênis de Mesa

Hugo Calderano conquista prata histórica no Aberto do Qatar

Medalha de prata com sabor de ouro. Trata-se do maior resultado da história do tênis de mesa brasileiro. O vice-campeonato de Hugo Calderano no Aberto do Qatar, torneio do nível platinum, o mais alto do circuito mundial, equivale ao Grand Slam do tênis, vai levá-lo a entrar no Top 10 do ranking mundial. A campanha em Doha muda o mesatenista carioca de patamar e o coloca definitivamente entre os melhores do planeta. Na final, a vitória ficou com o chinês Fan Zhendong com parciais de 13/11, 12/10, 11/7 e 11/7. Com a conquista, o campeão assumirá o primeiro lugar do ranking mundial na próxima atualização, que será em abril.

O resultado obtido por Hugo Calderano precisa mesmo ser reverenciado. O Aberto do Qatar contou com a participação de 15 dos 16 melhores do mundo. Do seleto grupo, apenas o alemão Dimitrij Ovtcharov ficou de fora por lesão. Ou seja, a nata da modalidade estava presente em Doha e o brasileiro não só jogou de igual para igual com todos eles como venceu vários dos principais atletas do planeta.

O adversário de menor ranking enfrentado por Hugo Calderano no Aberto do Qatar foi o da estreia: o sul-coreano Lim Jonghoon, 45º. colocado. Nas oitavas-de-final, o brasileiro teve pela frente o então número 1, a lenda alemã Timo Boll e Calderano foi implacável: 4 a 1 (11/9, 11/9, 11/8, 7/11 e 12/10).

Mas foi no sábado em que Hugo Calderano brilhou para valer. Foram duas vitórias incríveis com atuações perfeitas. O brasileiro superou o prodígio japonês Tomokazu Harimoto, 12º. do mundo, e o chinês Lin Gaoyuan, número 4 do planeta, sem perder nenhum set. Dominou os dois jogos e se garantiu na final com atuações soberbas e duas vitórias por 4 a 0.

Na decisão contra Fan Zhendong, a impressão era a de que Hugo Calderano manteria o mesmo ritmo dos dois jogos anteriores. O brasileiro começou o jogo com tudo e chegou a abrir 8 a 2 no placar. Aos poucos, no entanto, o chinês foi reagindo e chegou ao empate em 9 a 9. Ainda assim, Hugo conseguiu o primeiro set point ao marcar 10 a 9, mas levou a virada e perdeu por 13 a 11.

A história do segundo set foi parecida. Hugo Calderano começou melhor, não abriu tanta vantagem, mas esteve pertinho da vitória quando fez 9 a 5. Quatro pontos seguidos de Fan Zhendong, no entanto, empataram o duelo. O brasileiro novamente teve set point a seu favor com 10 a 9, mas o chinês virou outra vez e fechou em 12 a 10. Nos outros dois sets, Hugo Calderano não conseguiu jogar tão bem como nos primeiros, enquanto Fan Zhendong manteve a regularidade para vencer ambos por 11 a 7 e fechar a partida.

Vice-campeão, Hugo Calderano foi o único atleta de fora da Ásia a participar do domingo de finais do Aberto do Qatar de tênis de mesa. Com a vitória na semifinal, o brasileiro impediu que a decisão masculina fosse chinesa, como aconteceu no feminino, com a vitória de Liu Shiwen sobre Wang Manyu, e nas duplas femininas, em que Chen Ke e Wang Manyu bateram, de virada, Chen Xingtong e Sun Yingsha. Nas duplas masculinas, deu China também com a vitória de Fan Zhendong e Xu Xin sobre os japoneses Jun Mizutani e Yuya Oshima.

Ou seja, as quatro medalhas de outo em disputa no Aberto do Qatar foram conquistadas pela China, que é a maior potência da modalidade. Isso mostra o quanto é difícil derrotar um chinês e Hugo Calderano conseguiu o feito ao passar por Lin Gaoyuan na semifinal. Mais complicado é passar por Fan Zhendong, que até agora foi o único mesatenista a derrotar o brasileiro na temporada 2018 do Circuito Mundial.

Antes de se enfrentarem na final do Aberto do Qatar, os dois se encontraram na semifinal do Aberto da Hungria, em janeiro. Fan Zhendong venceu, mas naquela oportunidade Hugo Calderano conseguiu vencer ao menos um set.

De qualquer maneira, o ano de 2018 tem sido muito positivo para Hugo Calderano. O brasileiro começou a temporada com a medalha de bronze no Aberto da Hungria. Além disso, foi fudamental para a classificação do TTF Liebherr Ochsenhausen, clube que defende na Alemanha, para a semifinal da Champions League e para levar o Brasil a ficar pela primeira vez entre os oito melhores na Copa do Mundo de tênis de mesa. Em entrevista recenete ao Olimpíada Todo Dia, o carioca de 21 anos revelou que o objetivo para a temporada é entrar para o seleto grupo dos 10 melhores do mundo na modalidade, fato que deve ser alcançado no próximo ranking mundial, que será divulgado em abril.

Mais em Tênis de Mesa