Siga o OTD

Talisca Reis cai nas quartas de final do Grand Prix de Chiba cirurgia quadril

Taekwondo

Pré-Olímpico é última chance de garantir Taekwondo em Tóquio

Talisca Reis, Milena Titonelli, Edival Pontes e Ícaro Miguel têm a difícil missão de chegar até a final da competição e colocar o Taekwondo nas Olimpíadas

Foto: Washington Alves

Pré-Olímpico é última chance de garantir Taekwondo em Tóquio

No começo de dezembro de 2019, os alertas foram ligados no taekwondo brasileiro. Sem medalhas no Grand Prix de Moscou, o último do ano, os atletas brasileiros não somaram pontos e perderam a chance de conseguir vagas olímpicas via ranking. Agora, resta apenas uma oportunidade de chegar nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

O torneio Pré-Olímpico Pan-Americano, que será realizado em Heredia, na Costa Rica, nos dias 11 e 12 de março, dará a vaga aos dois melhores atletas de cada categoria. No evento qualificatório, são disputadas apenas as categorias olímpicas. No feminino, as categorias até 49 quilos, até 57 quilos, até 67 quilos e acima de 67 quilos. E no masculino, até 54 quilos, até 68 quilos, até 80 quilos e acima de 80 quilos.

O taekwondo brasileiro terá apenas quatro nomes tentando chegar a Tóquio. Talisca Reis, na categoria até 49kg, Milena Titoneli, até 67kg, Edival Marques, o Netinho, até 68kg, e Ícaro Martins, até 80kg. Isso quer dizer que Maicon Andrade, medalhista de bronze na Rio-2016, ficará de fora das Olimpíadas deste ano.

Sem concordar com os critérios de escolha da Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD), em janeiro Maicon contratou um advogado esportivo para tentar entrar na justiça e conseguir uma das quatro vagas para o torneio Pré-Olímpico. Segundo a defesa, os critérios de classificação foram subjetivos.

“Infelizmente são só 4 vagas e termina algum amigo ou amiga ficando de fora, mas eles (a CBTKD)  tinham um critério de seleção e, diante disso, foram determinados os convocados”, comenta Netinho.

Edival Marques (Netinho), de vermelho

Convocação

Começar o ano vendo seu nome numa lista tão restrita e especial alegra o coração de qualquer atleta. “Venho sonhando há muitos anos com os Jogos Olímpicos e receber essa oportunidade de poder lugar pela vaga é incrível”, comemora Talisca Reis.

“Eu sabia que eu tinha chance, mas quando eu vi o nome ali concretizado no papel isso me deixou muito contente”, diz Ícaro Miguel.  “Eu falo desde criança que eu vou ser campeão olímpico, que eu quero estar nas Olimpíadas. Ainda não estou nas Olimpíadas, mas ainda faço parte do processo e isso é algo que me alegra bastante”, completa o lutador de 24 anos.

O ano de 2019 foi muito bom para os quatro convocados e para o taekwondo brasileiro. Aos 21 anos, Milena Titonelli foi campeã dos Jogos Pan-Americanos 2019, no Peru, bronze no Campeonato Mundial e campeã no U.S. Open. Também em Lima, Talisca ganhou a medalha de prata e Netinho conquistou o ouro. O lutador de 22 anos ainda foi medalha de bronze no Grand Prix de Chiba. Ícaro teve três conquistas no ano que passou: foi vice-campeão Jogos Pan-Americano; vice-campeão do Campeonato Mundial e bronze no Grand Prix de Sofia.

Ícaro Miguel (Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte)

Pressão

O mal desempenho na Rússia pegou todos de surpresa, ainda mais por valer a vaga olímpica. Agora, os atletas preferem não pensar no que deu errado e focar nos próximos objetivos.

“Não penso que foi um campeonato em que todos foram mal, só por não ter conseguido a vaga olímpica. O último semestre do ano foi muito intenso pra todos os atletas brasileiros que buscavam a vaga pelo ranking, porém ninguém desanimou e todos seguiram treinando e já se preparando para o ano de 2020”, explica Talisca. “Acredito que todos os atletas que estavam ali, deram o melhor de si. É um campeonato grande que reúne apenas os melhores de cada categoria e aquele era ainda mais especial por valer vaga, mas infelizmente não conseguimos nos classificar direto”, opina Netinho.

Apesar da competição na Costa Rica ser a última chance de garantir o taekwondo em Tóquio, nada de pressão. O jeito é encarar o evento Pré-Olímpico como uma disputa normal.

Milena Titoneli (azul)

“Pressão eu acredito que a gente tenha em todos os grandes eventos, como Campeonato Mundial, os Grand Prix, Jogos Pan-Americanos. Eu acho que a maior pressão que a gente coloca é em nós mesmos”, diz Ícaro. Milena também sabe da dificuldade que a aguarda: “O próximo objetivo não será fácil, mas sigo firme para buscar a vaga olímpica para o nosso país”, afirma.

Preparação

Sequência forte de treinos e plano de competições. Tudo para os atletas chegarem preparados na Costa Rica no dia 11 de março. Talisca Reis e Netinho treinam juntos em Rio Claro, ao lado do técnico Nicolas Pigozzi. Enquanto Milena e Ícaro fazem seus treinamentos em São Caetano do Sul, na Academia Two Brothers, junto dos treinadores Clayton e Reginaldo dos Santos. “Sei do tamanho da responsabilidade, então trabalho é o que não vai faltar”, declara Ícaro Miguel.

Milena comemora a medalha de ouro no Pan de Lima 2019. (Foto: Reprodução/ Instagram)

Já Netinho se mostra confiante para a disputa do Pré-Olímpico. “Espero me classificar e estou preparado para ser campeão da competição. Sei que sou capaz e vou lutar com esse pensamento.”

“Ano passado foi um ano grandioso para o taekwondo brasileiro e nesse Pré-Olímpico eu acho que temos muitas chances de ir lá e mostrar de novo o quão forte somos”, projeta Ícaro.

“A seletiva não vai ser fácil, mas não vejo uma coisa impossível. Já estamos traçando estratégias para lutar com cada uma delas (adversárias)”, espera Talisca. Se a vaga vier, o objetivo em Tóquio é ainda maior. “Todos os atletas são potências pra conquistar uma medalha olímpica”, afirma a lutadora de 29 anos.

Casal Netinho e Talisca saíram do Pan de Lima com as medalhas de ouro e de prata. (Foto: Fernanda Oliveira)

Talisca e Netinho, aliás, têm uma motivação a mais para chegar a Tóquio. Namorados há quatro anos, eles se conheceram através do taekwondo e treinam juntos em Rio Claro. “Vai ser muito bom poder contar e apoiar de perto o Netinho. Estou muito feliz que vamos estar juntos em mais uma competição importante”, comemora Talisca. “Claro que tem vezes que brigamos e descontamos tudo no tatame (risos). Somos muito parceiros em todos os momentos e sempre estamos nos ajudando e motivando”, completa.

Milene e Ícaro também têm uma companhia especial no caminho rumo a Tóquio. Seus treinadores na Academia Two Brothers em São Caetano do Sul, Reginaldo e Clayton dos Santos, são também os treinadores da delegação brasileira. “A ligação de técnico e atleta é algo muito grande. E tê-los aqui no meu dia-a-dia e junto comigo na Olimpíada é algo que pode fazer a diferença”, explica Ícaro. “O esporte é individual mas o trabalho é coletivo! Sou muito grata por ter os melhores ao meu lado”, afirma Milena.

Clayton e Reginaldo dos Santos são os treinadores de Milena e Ícaro. (Foto: Reprodução/Instagram)

+INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Bom começo

A preparação para o Pré-Olímpico já rendeu bons frutos. Na primeira competição do ano, Ícaro, Milene e Talisca garantiram medalhas. No Aberto de Fujairah, nos Emirados Árabes, Ícaro conquistou a medalha de ouro, enquanto Milene e Talisca ficaram com o bronze. Netinho caiu nas quartas de final da competição. “Acrescentamos experiência para o qualificatório olímpico do mês que vem”, comemorou Milena.

Os ingredientes para o sucesso eles já têm. Agora o futuro escreverá suas histórias. A delegação brasileira em Tóquio já conta com 170 vagas confirmadas. Se depender de Netinho, Talisca, Ícaro e Milena, podemos acrescentar quatro nomes nesta lista.

Brasil conquista quatro medalhas no aberto de Aberto de Fujairah de taekwondo
Talisca Reis, Ícaro Miguel e Milena Titoneli comemoram as medalhas no Aberto de Fujairah. (Foto: Reprodução/ Instagram)

Confira os atletas convocados para o Pré-Olímpico de taekwondo:

Feminino
Até 49k – Talisca Jezierski dos Reis
idade: 29 anos
Equipe: Rio Claro / Pro Team
Histórico: Vice-Campeã dos Jogos Pan-Americanos 2019; Vice-Campeã no Grand Prix de Roma 2018; Campeã do Campeonato Pan-Americano 2018; Campeã do Campeonato Pan-Americano Aberto 2018.

Até 67kg – Milena Titonelli Guimarães
idade: 21 anos
Equipe: São Caetano / Two Brothers Team
Histórico: Campeã dos Jogos Pan-Americanos 2019; Bronze no Campeonato Mundial 2019; Campeã no U.S. Open 2019; Campeã do Campeonato Mundial Militar 2018.

Masculino
Até 68kg – Edival Marques Quirino Pontes
idade: 22 anos
Equipe: Rio Claro / Pro Team
Histórico: Campeão dos Jogos Pan-Americanos 2019; Bronze no Grand Prix Chiba 2019; 5º lugar no Grand Prix Final 2019; Campeão do Campeonato Pan-Americano 2018; Campeão do Campeonato Pan-Americano Aberto 2018; Bronze no Grand Prix de Moscou 2018; Bronze no Grand Prix Taoyuan 2018;

Até 80kg – Ícaro Miguel Martins Soares
idade: 24 anos
Equipe: São Caetano / Two Brothers Team
Histórico: Vice-Campeão Jogos Pan-Americano 2019; Vice-Campeão do Campeonato Mundial 2019; Bronze no Grand Prix de Sofia 2019; Campeão Campeonato Pan-Americano Aberto 2018; Vice-campeão do Campeonato Pan-Americano

Mais em Taekwondo