Siga o OTD

Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Silvana Lima

Tóquio 2020

Medina, Ítalo e Silvana Lima se garantem nas quartas da Olimpíada

Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Silvana Lima colocam o Brasil nas quartas de final dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Tatiana Weston-Webb foi eliminada

COB

Medina, Ítalo e Silvana Lima se garantem nas quartas da Olimpíada

O Brasil está nas quartas de final do surfe nos Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020. Abrindo o primeiro dia de baterias eliminatórias, Silvana Lima escreveu nome na históiria e seguiu para as quartas de final. Em duelo da elite mundial da modalidade, Gabriel Medina eliminou Julian Wilson, da Austrália. Fechando a participação brasileira nas oitavas, Ítalo Ferreira deu show de aéreos para seguir para as quartas. Tatiana Weston-Webb acabou eliminada.

-Confira TUDO o que você precisa saber sobre os Jogos Olímpicos de Tóquio

Medina voa para as quartas de final

Gabriel Medina começou com tudo e no ar. Logo nos primeiros movimentos na bateria, o brasileiro colocou um aéreo 360º e tirou um 7.50, assumindo a ponta da disputa contra o australiano Julian Wilson. Como resposta, o surfista da Austrália apostou em manobras mais trabalhadas e conseguiu um 6.67, encostando no brasileiro. 

Assim como acontece no circuito mundial, Medina seguiu apostando na quantidade e colocou seu total em 10.10. Atrás do placar, Julian Wilson buscou um aéreo e conseguiu a virada. Ao conseguir completar um aéreo, o australiano colocou seu total em 11.84, com cerca de 18 minutos para o fim. 

-Rayssa Leal faz história e, aos 13 anos, conquista prata no skate street

Seis minutos mais tarde, Medina voltou a liderar. Trocando a estratégia e deixando de apostar nos aéreos, o brasileiro virou. Conseguindo uma série de manobras na mesma onda, Gabriel tirou um 6.83 e assumiu a ponta, com 14.33. 

Na reta final, Julian Wilson foi para o tudo ou nada e conseguiu um aéreo nos segundos finais. Depois de uma demora inacreditável, a vitória de Gabriel Medina foi confirmada com 14.33 contra 13.00 e o brasileiro se garantiu nas quartas de final dos Jogos Olímpicos de Tóquio. 

“Eu sabia que teria uma bateria difícil nas oitavas porque só tem gente boa. O mar estava bem difícil e ficou feliz com o resultado, eu fui 100% concentrado. Eu estava com medo desse fim, já passei por cada uma que deixa quieto, mas graças a Deus deu tudo certo. Eu espero que o mar continue bombando. Amanhã talvez seja o último dia, estou muito feliz de estar nas quartas e espero que dê a dobradinha na final”, comentou Medina.

+ RECEBA NOTÍCIAS NO TELEGRAM OU PARTICIPE DO NOSSO GRUPO DO WHATSAPP

Com aéreo atrás de aéreo, Ítalo Ferreira está nas quartas de final

Na bateria seguinte, Ítalo Ferreira buscou ser o surfista que todos conhecem. “Caçando” onda a todo o momento, o brasileiro buscou colocar volume de notas e se colocou na frente da disputa logo nos primeiros minutos, com um 7.50 contra um 6.77. 

Depois desse início o mar serenou. Desta forma, mesmo buscando ondas por todos os cantos da praia, Ítalo Ferreira e Billy Stairmand passaram bons minutos sem subir suas notas. Contudo, quando conseguiu mudar a somatória, Ítalo fez com que ela voasse. 

Com dois aéreos em duas ondas, o campeão mundial de 2019 subiu sua somatória em 12.84 e complicou a vida do adversário. Com pouco menos de 10 minutos para o fim, Billy Stairmand precisava de uma nota superior a nove para a virada e ela não veio. Por outro lado, o brasileiro seguiu colocando nota atrás de nota e deixou seu total em 14.54 Com isso, Ítalo Ferreira se garantiu nas quartas de final de Tóquio 2020. 

Silvana controla a bateria e vence

Silvana Lima, mais uma vez, cresceu durante a bateria. No duelo contra a portuguesa Teresa Bonvalot, a brasileira chegou a ficar alguns minutos na segunda posição, mas foi pouco. Sabendo escolher a melhor onda, Silvana foi encaixando suas manobras aos poucos e colocou vantagem no duelo. 

Nos 10 minutos finais, Silvana Lima conseguiu ter a vantagem no placar e a prioridade na onda. Desta forma, a brasileira buscou a melhor onda e fechou a disputa com uma bela série de manobras. Desta forma, Silvana subiu seu total para 12.17 e se garantiu nas quartas de final. No duelo por uma das vagas entre as quatro melhores, a surfista do Brasil encara Carissa Moore, líder do ranking mundial e tetracampeã do mundo. 

“Estou muito feliz por ter passado mais uma. Estou muito feliz. O mar está bem difícil, mas consegui encontrar duas boas ondas e segui. Penso que o atleta quando está feliz na vida pessoal fica bem no profissional. Tranquila e feliz as coisas acontecem. Eu acho que hoje algumas favoritas caíram hoje. É o momento. Uma bateria de cada vez. Vamos com calma, vou pensar em mim e que vença quem conseguir ir melhor”, comentou Silvana Lima após a vaga. 

Tatiana Weston-Webb é eliminada

Vista como uma das favoritas, Tatiana Weston-Webb sofreu com o mar e acabou eliminada. Enfrentando Amuro Tzusuki, do Japão, que também disputa o circuito mundial, a brasileira começou na frente. Aproveitando os primeiros minutos para subir sua somatória e colocar pressão na japonesa. Contudo, aos poucos, Tzusuki cresceu e virou.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

Escolhendo melhor as ondas, a surfista da casa assumiu a liderança um pouco depois da metade da bateria. Desta forma, Tatiana Weston-Webb passou a ser pressionada pela adversária e pelo tempo. Sendo eliminada, a brasileira tentou arriscar em algumas ondas, mas a virada não veio e Tatiana acabou eliminada.

Mais em Tóquio 2020