Siga o OTD

Letícia Bufoni Pamela Rosa Rayssa Leal skate street jogos olímpicos de tóquio

Tóquio 2020

Pamela Rosa acredita em pódio com três brasileiras em Tóquio

Campeã mundial em 2019, Pamela Rosa acredita que a Olimpíada de Tóquio pode terminar com três brasileiras no pódio na modalidade street. Atualmente, ela, Rayssa Leal e Letícia Bufoni estão entre as melhores do mundo

Letícia Bufoni, Pamela Rosa e Rayssa Leal estão entre as quatro melhores do mundo no skate street e devem representar o Brasil em Tóquio (Reprodução)

Pamela Rosa acredita em pódio com três brasileiras em Tóquio

A campeã mundial de skate street e primeira colocada do ranking, Pamela Rosa foi a entrevistada nesta sexta-feira (15) em live no instagram do Olimpíada Todo Dia. Grande esperança de medalha para o país nos Jogos Olímpicos de Tóquio, a atleta acredita que seja possível um pódio com três brasileiros em sua modalidade. Além dela, Rayssa Leal, a “Fadinha”, de 12 anos, segunda do ranking, e Letícia Bufoni, de 27, quarta, estão entre as melhores do planeta.

“É o que nós mais queremos (pódio triplo em Tóquio). Ainda não está nada certo quem vai, mas com certeza o Brasil vai com uma grande força. Tem seis brasileiras entre as 20 melhores do ranking brigando para estarem na Olimpíada e tudo pode mudar. O skate feminino está crescendo e ninguém pode pensar que já está lá porque pode surgir uma menina do nada e ficar com a vaga”, declarou Pamela, que tem na Olimpíada o seu principal objetivo para o ano que vem.

+ Campeã Mundial, Pamela Rosa é viciada em Free Fire

“Com certeza a Olimpíada de Tóquio é o meu principal foco em 2021. É um sonho, mas prefiro subir um degrau de cada vez e devagar. Antes, vou pensar em cada competição que estiver pela frente”, afirmou Pamela. A skatista revelou já ter relação com os Jogos Olímpicos. “Sempre assisti. Acompanhei bastante o judô em Londres torcendo pela Rafa e também o futebol. E minha família gosta muito de assistir ginástica”, acrescentou, citando a judoca e amiga Rafaela Silva.

Campeã do mundo e histórico de conquistas

Pamela Rosa Skatista Campeã Mundial Tóquio 2021
Pamela Rosa também é fã de samba e toca na bateria da Escola de Samba Tom Maior (Julio Detefon/CBSk)

A campeã mundial Pamela Rosa começou a andar de skate com 8 anos e está contente em observar a evolução do skate feminino. Com 12 anos de carreira tem dois atletas como inspiração: Cristiano Ronaldo e Rafaela Silva. No futuro, a skatista tem como objetivo poder ajudar as pessoas de sua cidade e quer ter uma escolinha de skate. No presente, ela já compartilha alguns itens que não usa mais e comemora estar em boa fase.  

+ Bob Burnquist cria instituto com foco em transformar vidas

“O Mundial foi incrível. Tive um ano excelente e consegui ir ao pódio na maioria das competições. Não tem sensação melhor do que ganhar em São Paulo e perto de sua família. Ainda mais depois da notícia triste da morte do meu tio e de não ter dormido bem na noite anterior. Pensei que não ia conseguir fazer nada no dia, mas ganhei o campeonato e dediquei para ele. Fiquei muito emocionada na hora que ganhei”, contou a atleta.

Fã de samba, Pamela participa do carnaval de São Paulo há seis anos e faz parte da bateria Tom 30, da Escola de Samba Tom Maior, como integrante da ala de chocalhos. A skatista mantém o ritmo nas competições assim como faz na avenida e tem sido especialista em chacoalhar as estruturas com desempenhos de alto nível e quer mantê-los pensando em Tóquio.  

+ Bob Burnquist celebra chance olímpica aos jovens do skate

“As minhas conquistas mais marcantes são o Mundial de 2019 e a minha primeira medalha no X-Games. Fui para a competição com joelho lesionado e também não me adaptei ao clima, que estava -5 °C. Antes de competir estava chorando na beira da piscina e os fisioterapeutas do evento fizeram um grande trabalho. Pude competir e ganhei a medalha de ouro, sendo a atleta mais nova a conseguir isso em um X-Games”, lembrou a skatista, citando o X-Games de Oslo, na Noruega, em 2016.   

Adiamento e benefícios dos Jogos Olímpicos

Pamela Rosa Skatista Campeã Mundial Tóquio 2021
Pamela Rosa está em São José dos Campos durante a quarentena (Julio Detefon/CBSk))

Pamela Rosa tem lidado bem com a quarentena devido à pandemia de coronavírus. A campeã mundial está em São José dos Campos sem poder andar de skate na sua pista predileta, mas tem praticado na garagem de sua residência com a ajuda de obstáculos. Mesmo nesta fase complicada, a atleta se fortalece para não deixar nada tirar seu foco.

+ CBSK cria conselho consultivo para decisões estratégicas

A competidora ficou triste com o adiamento dos Jogos de Tóquio e comentou também os benefícios que a entrada do skate na competição acabou trazendo para a modalidade. “Claro que fiquei triste, pois estava me preparando. Mas nesse momento o mais importante é pensar no coletivo e que todos se cuidem e fiquem em casa. Foi a melhor decisão que poderiam ter tomado”, disse.

“A entrada nas Olimpíadas mudou o olhar dos outros em relação ao skate. Antes o skate era marginalizado. Agora estamos tendo mais patrocínios e competições e isso tem sido uma oportunidade e tanto para o crescimento da modalidade. Depois da notícia muitas pessoas começaram olhar mais para o nosso esporte”, completou a skatista.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Existe uma chance do calendário de eventos voltar no final de 2020, no entanto, Pamela acha difícil que isso aconteça. Mentalmente forte, a atleta quer estar preparada no retorno e deixou uma mensagem para quem deseja iniciar na modalidade. “A questão mental é de família. Nós conseguimos trabalhar bem a mente. Quanto mais pressão mais eu quero andar e ganhar”, falou. “Digo para jamais desistirem e que procurem sempre estar se divertindo seja lá qual for o esporte”, concluiu a skatista.

Mais em Tóquio 2020