Siga o OTD

tchê convocação da seleção brasileira para o pré-olímpico de handebol masculino

Laguna Olímpico

Handebol masculino busca vaga para Tóquio por caminho incomum

Das cinco participações olímpicas brasileiras, quatro vieram pelos Jogos Pan-Americanos. No único pré-olímpico que disputou, não se classificou

O pivô Tchê estará defendendo o handebol masculino do Brasil no Pré-Olímpico de Montenegro (Patrik STOLLARZ)

Handebol masculino busca vaga para Tóquio por caminho incomum

O handebol masculino do Brasil tem boas chances, por um caminho incomum em sua trajetória, de garantir sua sexta participação em Jogos Olímpicos. Nesta sexta-feira (12), a seleção brasileira inicia sua participação em um dos três pré-olímpicos mundiais que definirão as seis equipes restantes para o torneio de handebol de Tóquio-2020.

Na cidade de Podgorica, em Montenegro, o Brasil tem uma tarefa teoricamente nem tão complicada assim. Precisa ficar entre os dois primeiros colocados de um grupo de quatro seleções. Fora a Noruega – uma das principais potências da modalidade –, terá como objetivo derrotar Chile e Coreia do Sul. Nada do outro mundo, convenhamos. O problema é quando se pensa no que levou o Brasil a ter sua derradeira chance de classificação justamente neste Pré-Olímpico.

+ O blog está no Twitter. Clique e siga para acompanhar
+ Curta a página do blog no Facebook
+ O blog também está no Instagram. Siga

Para quem não se lembra, a seleção desperdiçou sua principal oportunidade de carimbar o passaporte nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019. Tudo indicava que novamente disputaria a medalha de ouro com a Argentina, sua maior rival no continente, e de quebra decidiria quem iria para Tóquio. Só que ninguém contava com uma atuação abaixo da crítica e a derrota para o Chile na semifinal.

Justamente o Pan-Americano que foi sempre uma rota corriqueira para o Brasil chegar à Olimpíada. Das cinco participações brasileiras nos Jogos, quatro delas vieram após o ouro na competição continental.

Foram elas em Barcelona-1992 (herdou a vaga após desistência de Cuba, ouro no Pan de Havana-1991), Atlanta-1996 (herdou a vaga após desistência de Cuba, ouro em Mar del Plata-1995), Atenas-2004 (via Santo Domingo-2003) e Pequim-2008 (após o título na Rio-2007). A quinta participação foi pelo fato de ser país-sede, na Rio-2016.

Vaga não veio no Pré-Olímpico

Para Sydney-2000, o handebol masculino também não se classificou, porém foi por ter falhado no Pan de Winnipeg-1999, quando perdeu a final para a Cuba. A única vez que o Brasil precisou disputar um pré-olímpico mundial (competição que foi criada para definir os últimos participantes a partir dos Jogos de Pequim), foi em 2012, antes da Olimpíada de Londres, após perder a chance via Pan de Guadalajara-2011.

Mas o plano não deu certo. O Brasil perdeu a chance de ir aos Jogos ao ser derrotado pela Suécia (sede do torneio qualificatório) e Hungria, tendo apenas uma vitória solitária contra Macedônia do Norte.

O desafio da seleção brasileira de handebol masculino para buscar a vaga em Tóquio será justamente contra a Noruega, nesta sexta, a partir das 16h. Depois, encara a Coreia no sábado (13), às 13h30 e o Chile no domingo (14), também às 13h30. Ao contrário do que houve no Mundial masculino, os jogos do Pré-Olímpico terão transmissão para o Brasil pela internet no Canal Olímpico do Brasil. Você também pode acompanhar ao vivo no tempo real do Olimpíada Todo Dia.

Clique no link e seja você também um apoiador do blog. Ajude a combater a monocultura esportiva no Brasil

Mais em Laguna Olímpico