Siga o OTD

João Victor Oliva - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 - Adestramento

Tóquio 2020

João Oliva faz melhor nota da história do Brasil e aguarda classificação final

João Victor Oliva supera a própria marca e faz a melhor nota da história do Brasil em Olimpíadas, mas não avança à final

(Luis Ruas / Hipismo Brasil)

João Oliva faz melhor nota da história do Brasil e aguarda classificação final

A participação do Brasil no hipismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 começou com uma marca histórica. Neste sábado (24), único representante do país no adestramento, João Victor Oliva foi o primeiro a se apresentar e obteve 70,419%, a melhor nota do Brasil na história das Olimpíadas.

Assim, João Victor Oliva e seu cavelo Escorial superam o 68.071%, que ele mesmo conseguiu nos Jogos do Rio-2016, a melhor nota do país até então. Na ocasião, o cavaleiro terminou em 46º lugar. O melhor resultado do Brasil no hipismo adestramento em Jogos Olímpicos pertence ao coronel Sylvio Marcondes de Rezende que, montando Othelo, ficou na 25ª posição em Munique 1972.

+Confira tudo sobre o hipismo nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

“O resultado foi dentro do que esperava. Fiz um errozinho, em um zigue-zague a galope que tem peso dois. Mas estou muito contente, senti o cavalo muito bem lá dentro. Sempre tem alguma coisa para acontecer. Nunca é perfeita a prova, então a gente tem sempre que melhorar com os erros e aprender com eles”, avaliou João.

João Victor Oliva - Jogos Olímpicos de Tóquio 2020
João Victor Oliva tem apenas 25 anos (Luis Ruas/Hipismo Brasil)

Segundo as regras da competição, os dois melhores colocados de cada um dos seis grupos avançam para a decisão. Além disso, as seis melhores notas seguintes também conseguem a classificação. A prova foi dividida em duas seções e, por isso, a classificação final de João e Escorial no Grand Prix será conhecida nesse domingo (25). No entanto, o brasileiro já não tem mais chances de avançar à decisão.

“Tivemos uma pontuação boa, mas mesmo assim a gente não se contenta. O cavalo está comigo há pouco tempo e ele se comportou muito bem lá dentro. Fui o primeiro a chegar na Vila Olímpica e o primeiro a competir do hipismo. O nº 1 está me perseguindo, quem sabe um dia eu fique em primeiro lugar no pódio”, brincou.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO FACEBOOK E NO TIKTOK

“Cada ano que a gente melhora gradativamente já é uma conquista. Eu sou novo, então tenho muito tempo para chegar lá. Se a cada Olimpíada melhorar um pouquinho, quem sabe um dia chego entre os melhores e é para isso que vou treinar todos os meus dias”, concluiu o cavaleiro.

Mais em Tóquio 2020