Siga o OTD

Bia Zaneratto Jogos Olímpicos

Tóquio 2020

Bia Zaneratto se vê “mais completa” às portas de sua segunda Olimpíada

Aos 27 anos, atacante do Palmeiras chega credenciada como a goleadora do Brasileirão e segunda maior artilheira da era Pia Sundhage, mas não é ‘apenas’ isso

(Laura Zago/CBF/arquivo)

Bia Zaneratto se vê “mais completa” às portas de sua segunda Olimpíada

Tóquio – A seleção de futebol feminino será a responsável pelo debute do Time Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Entra em campo ainda antes da Cerimônia de Abertura, às 5h de quarta-feira (21), para enfrentar a China pela primeira rodada do Grupo F. Um dos principais nomes da equipe é Bia Zaneratto, artilheira do Campeonato Brasileiro com 13 gols em 15 jogos. Apesar da afinidade com as redes, a jogadora do Palmeiras vê mais do próprio momento da carreira.

“Hoje posso jogar de atacante, centroavante, meia, mais aberta, às vezes vindo de trás. Me vejo uma jogadora mais completa”, disse, em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira (12). Aos 27 anos, ela vai para a segunda participação em Olimpíadas, disputou a primeira na Rio-2016. “Me vejo hoje mais madura, mais experiente. Era a minha primeira Olimpíada, com todo um cenário favorável, no Brasil, com a família me apoiando. Hoje me vejo mais preparada, até pela forma que a (técnica) Pia (Sundhage) vem exigindo cada vez mais de nós. Ela sempre nos cobra muito, mas sempre tem um feedback positivo diante daquilo que a gente vem executando.”

Ataque rumo ao ouro

Por falar na treinadora, é a ela que Bia Zaneratto credita a evolução. “Com certeza, depois que a Pia chegou minha evolução aconteceu. Os números provam isso. O Palmeiras também tem me ajudado bastante nessa questão, jogar com mais liberdade é uma característica minha. Os gols vêm acontecendo, participações para gols também. Como falei, a Pia exige muito de nós a cada treino, não apenas em jogos. Essa cobrança nos motiva também a querer ser cada vez melhor e, consequentemente, os bons resultados vêm acontecendo”, afirmou a camisa 10 do Verdão, segunda maior goleadora da seleção desde a chegada da técnica sueca com cinco tentos.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBETWITTERINSTAGRAMTIK TOK E FACEBOOK

“A Pia trabalha tanto a parte ofensiva quanto defensiva. Mas acredito que a maior ênfase nos treinamentos tem sido nessa parte de finalização, focar nos cruzamentos também, trabalhar a corrida dentro da área, que ela nos cobra bastante. Acho que esse vai ser nosso grande diferencial também, estar cada vez mais preparadas para chegar lá (Olimpíada) em um grande momento, concluir bem em gol e marcar pela seleção. Para conquistar nosso maior objetivo que é a medalha olímpica, o ouro”, explicou Bia.

Torneio olímpico

Após a estreia contra a China, a seleção de futebol feminino enfrenta a Holanda e, a seguir, encerra contra a Zâmbia a participação na fase de grupos dos Jogos Olímpicos. O torneio tem três grupos com quatro equipes se enfrentando entre si. Passam para as quartas de final os dois primeiros colocados de cada chave, e os dois melhores terceiros colocados completam os oito melhores. A final e a disputa do bronze estão maracas para o dia 5 de agosto, pelo horário do Brasil. A fase final de preparação da seleção está sendo realizada em Portland, nos Estados Unidos.

Mais em Tóquio 2020