Siga o OTD

Brasil fecha Classificatório para o Pré-Olímpico de curling com derrota

Esportes de Gelo

Brasil fecha Classificatório do Pré-Olímpico de curling com derrota

Seleção masculina perde para a Turquia, líder do grupo, e se despede do torneio sem vitórias após quatro disputas

(World Curling)

Brasil fecha Classificatório do Pré-Olímpico de curling com derrota

A seleção masculina do Brasil encerrou sua participação no Torneio Classificatório para o Pré-Olímpico de curling nesta quinta-feira (14).  Em Erzurum, na Turquia, a equipe brasileira foi derrotada pelos donos da casa por 10 a 5, dando adeus ao sonho da vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim-2022.

O Brasil é formado Sergio Vilela, Michael Krähenbühl, Scott McMullan e Claudio Alves. A equipe começou bem a disputa, abrindo 2 a 0 no primeiro end. Os turcos, no entanto, logo reagiram, marcando três no segundo end. Depois disso, os donos da casa conseguiram marcar mais pontos, mas a seleção conseguiu chegar ao oitavo end perdendo por apenas 7 a 5. No nono, entretanto, a Turquia marcou três e liquidou a fatura, vencendo por 10 a 5.

+Feminino perde da Eslováquia e se complica no Torneio Classificatório

Assim, com o resultado, o Brasil encerra o Classificatório para o Pré-Olímpico de curling com quatro derrotas em quatro disputas no Grupo A. A seleção foi superada por todos os times da chave: Turquia e Quirguistão, que terminaram em primeiro e segundo, respectivamente, além de Taiwan, Cazaquistão e Taipei.

Vale lembrar que apenas os dois melhores de cada grupo avançam e os seis classificados serão divididos de acordo com o desempenho. Os dois melhores avançam à decisão, enquanto que o terceiro pega o sexto e o quarto joga contra o quinto pelas vagas restantes às finais.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Por fim, vale destacar ainda que o Classificatório para o Pré-Olímpico de curling, criado neste ciclo olímpico pela WCF (Federação Mundial de Curling), é uma oportunidade única que os homens e mulheres da equipe nacional têm em competir contra seleções de nível técnico semelhante. Ou seja, o país tem um calendário maior de jogos e pode até vencer algumas partidas.

Mais em Esportes de Gelo