Siga o OTD

Thiago Paulino Paralimpíada de Tóquio

Tóquio 2020

‘O mundo sabe quem é o verdadeiro campeão’, diz Paulino sobre a medalha

Após perder a medalha no recurso chinês, Thiago Paulino confirma que não vai abaixar a cabeça e que o mundo sabe quem é o verdadeiro campeão

Alê Cabral/CPB

‘O mundo sabe quem é o verdadeiro campeão’, diz Paulino sobre a medalha

Tóquio – As últimas horas de Thiago Paulino foram de altos e baixos. Depois de conquistar o ouro no arremesso de peso na classe F57 e ir dormir em Tóquio como campeão paralímpico, o brasileiro acordou e tudo mudou. Cerca de 11 horas após o fim da prova, a China entrou com um recurso no juri de apelação e conseguiu reverter o resultado. Com isso, o brasileiro teve todas as tentativas acima de 15 m invalidadas e caiu para o terceiro lugar.

“Não tem como explicar. Não tem o que falar, o mundo sabe quem é o verdadeiro campeão. Infelizmente tem coisas que fogem do nosso poder. A gente fez o nosso trabalho. A gente fez um ciclo de cinco anos perfeito, ganhando todas as competições. Pra chegar aqui, vou tentar ser comedido nas palavras, essa palhaçada que aconteceu. Porque tiraram meu direito de competir”. O Olimpíada Todo Dia esteve com a reportagem presente no estádio Olímpico de Tóquio e acompanhou os momentos de tensão de Thiago Paulino na espera da definição de sua medalha.

+GUIA DOS JOGOS PARALÍMPICOS

Entenda o caso

Thiago Paulino foi o último a competir e sabia o que precisava para vencer. Se conseguisse arremessar para além de 15 m, o brasileiro conseguiria o ouro e isso aconteceu, mais de uma vez. Com a vantagem sobre os demais participantes, Thiago abriu mão de algumas tentativas e saiu para comemorar sua medalha de ouro e sue recorde paralímpico. Após mais de 10 horas do fim da disputa, a China entrou com recurso e conseguiu invalidar parte da prova do brasileiro, deixando Paulino com a medalha de bronze.

Alê Cabral/CPB

“Quando eu vi que tinha dado a medalha de ouro, eu abdiquei dos meus três últimos arremessos. Se o árbitro tivesse queimado os meus dois arremessos, que depois foi contestado, eu teria continuado na prova e, com certeza, buscaria essa medalha porque eu estava muito bem preparado. Infelizmente tem coisas que fogem da nossa alçada, agradecer a equipe do CPB que fez todo o possível para que isso se revertesse, mas não depende deles”.

Durante a manhã de sábado (4) em Tóquio, a organização chegou a adiar a cerimônia de pódio da prova de Thiago Paulino em mais de 1h, por conta de toda a questão do recurso da China. Sabendo do novo posicionamento chinês, o Brasil buscou reverter e manter a medalha de ouro, o que não foi possível.

Thiago Paulino
Takuma Matsushita / @cpboficial

“A China protestou durante e depois da prova, a arbitragem não acatou. China foi ao júri de apelação, que é uma instância do IPC, o júri recebeu e deu provimento. O Brasil apresentou imagens das transmissões de TV dos arremessos em que não havia qualquer indício de infração no movimento de arremesso do atleta, mas a alegação do júri é que o vídeo acusatório seria de outro ângulo, mas se recusou a mostrar o vídeo que embasou a decisão”, informou o Comitê Paralímpico Brasileiro.

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

“Saio com esse gosto amargo. Difícil achar palavras pra expressar o que eu tô sentindo. Tenho até que ser comedido pra não falar besteira e não prejudicar a minha imagem e do país. Eu não vou abaixar a cabeça pra ele. Ele não. Eles porque ele (o chinês) é o menos culpado disso tudo. Mas infelizmente eu não vou baixar a cabeça”, finalizou Thiago Paulino.

O OTD fez uma thread completa sobre o caso leia:

Mais em Tóquio 2020