Siga o OTD

Caio Bonfim será o representante da marcha atlétitca dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

Atletismo

Dupla com vaga em Tóquio vence marcha atlética no Troféu Brasil

Caio Bonfim e Érica Sena confirmam favoritismo na prova dos 20.000 m e Altobeli Santos da Silva é hexacampeão dos 5.000 m no Troféu Brasil de Atletismo

Caio Bonfim ganhou pela oitava vez o título do Troféu Brasil de Atletismo (Wagner Carmo/CBAt)

Dupla com vaga em Tóquio vence marcha atlética no Troféu Brasil

Os atletas Caio Bonfim (CASO) e Érica Sena (Pinheiros), classificados para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2021, venceram as provas dos 20.000 m da marcha atlética na manhã deste sábado (12), pelo Troféu Brasil de Atletismo 2020. Os dois confirmaram na pista o favoritismo que tinham e conquistaram a medalha de ouro. O evento acontece no estádio do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, em São Paulo.

+ Paulo André fatura o tetra dos 100 metros no Troféu Brasil

Caio Bonfim ganhou pela oitava vez o título do Troféu Brasil de Atletismo ao finalizar o percurso de 50 voltas na pista em 1h23min05s. O marchador, que estará representando o Brasil em Tóquio, comemorou o triunfo. “É sempre um prazer muito grande participar do Troféu Brasil. A prova mudou da rua para a pista, mas temos de ter bom senso e entender que estamos numa pandemia”, comentou o atleta.

+ Tiffani Marinho é bicampeã dos 400 m no Troféu Brasil

“Estou nos treinamentos de base para 2021, mas ainda competitivo. Fiquei feliz de correr na casa de 1h23min. Acho que o meu resultado e o do Matheus foram muito bons para este época do ano”, completou Caio Bonfim, recordista brasileiro da especialidade, com 1h20min58s5. Matheus Gabriel de Liz Correa foi o segundo com 1h23min57s e Paulo Henrique Ribeiro ficou com o bronze, com 1h33min04s.

Érica Sena focada em 2021

Érica Sena faz questão de participar do Troféu Brasil de Atletismo (Wagner Carmo/CBAt)
Érica Sena faz questão de participar do Troféu Brasil de Atletismo (Wagner Carmo/CBAt)

No feminino, a vitoriosa foi Érica Sena. E a marchadora igualmente recordou do apreço que tem pelo Troféu Brasil de Atletismo. “É uma competição que faço questão de participar sempre”, disse a competidora. Ela reside em Cuenca, no Equador, e veio para São Paulo para ganhar pela sétima vez a prova. “Vim de coração aberto, mas a pista é muito desgastante. Agora é retomar a preparação para a temporada 2021”.

+ Allan Wolski conquista o primeiro ouro do Troféu Brasil

Quarta colocada nos Campeonatos Mundiais de Londres-2017 e de Doha-2019, Érica Sena está classificada para os Jogos de Tóquio e, no Troféu Brasil de Atletismo, foi a primeira colocada com a marca de 1h36min39s. Viviane Santana Lyra terminou com a medalha de prata, com 1h37min19s, e Gabriela de Souza Muniz completou o pódio com a terceira posição com o tempo de 1h39min37s.

Lançamento do disco e salto em altura

Fernanda Borges conquistou o quarto título da competição (Wagner Carmo/CBAt)

O período da manhã do Troféu Brasil de Atletismo contou com mais finais. No lançamento do disco, a atleta Fernanda Borges (AABLU) conquistou o quarto título da competição, com 61,83 m, terminando à frente de Andressa Oliveira de Morais (Pinheiros), segunda, com 58,03 m, e Izabela Rodrigues da Silva (IEMA), terceira, com 56,14 m.

+ Mundial Indoor de Nanjing muda do ano que vem para 2023

“Foi uma boa marca, considerando todos os problemas causados pela pandemia. Tenho improvisado meus treinamentos em Guarulhos, enquanto não me mudo para Madri, na Espanha”, disse Fernanda Borges, sexta colocada no Mundial de Doha-2019. Desde setembro, ela passou a ser orientada pelo espanhol José Luiz Martinez. “Só não fui pra lá ainda por causa das dificuldades atuais de viajar”, acrescentou a gaúcha.

Já no salto em altura, Thiago Júlio Souza Alfano Moura (Guarulhos) festejou o seu primeiro título do Troféu Brasil de Atletismo, com 2,17 m. “Fui melhorando no decorrer da competição e quase passei 2,30 m na minha última tentativa”, relatou. “Estou bem no ranking por pontos para a Olimpíada de Tóquio, mas quero o índice (2,33 m). Vou me empenhar para conseguir a marca em 2021 e garantir a participação nos Jogos”, concluiu

+ SIGA O OTD NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM E NO FACEBOOK

Fernando Ferreira (Orcampi) foi o segundo colocado, com 2,24 m, enquanto Elton Junio dos Santos Petronilho (Pinheiros), campeão brasileiro sub-20, ficou com a medalha de bronze, com 2,17 m.

Hexacampeão nos 5000 m masculino

Altobeli quer o índice olímpico nos 3.000 m com obstáculos (Wagner Carmo/CBAt)
Altobeli quer o índice olímpico nos 3.000 m com obstáculos (Wagner Carmo/CBAt)

Assim como Caio Bonfim e Érica Sena, Altobeli Santos da Silva (Pinheiros) também confirmou sua superioridade ao se sagrar hexacampeão dos 5.000 m do Troféu Brasil de Atletismo, com o tempo de 14min03s18. Esta foi a segunda medalha de ouro do atleta na competição de 2020 já que, na sexta-feira (11), venceu pela quinta vez os 3.000 m com obstáculos.

“Fiquei feliz com mais uma vitória. Não é fácil manter-se por seis anos à frente de uma prova, ainda mais no Troféu Brasil. Não tirei férias no ano passado por causa da Olimpíada, mas agora preciso descansar um pouco. O objetivo é conseguir o índice olímpico nos 3.000 m com obstáculos. Estou bem encaminhado na corrida por pontos para Tóquio, mas o índice é especial”, disse Altobeli.

Nome forte do Brasil nos 3.000 m com obstáculos, Altobeli Santos da Silva foi medalha de ouro na prova nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 e finalista nos Jogos Olímpicos Rio-2016. Na final dos 5.000 m, ele levou a melhor diante de Gilmar Silvestre Lopes (UFJF), que ficou com a medalha de prata, com 14min13s43, e Daniel Ferreira do Nascimento (ABDA), que terminou com o bronze, com 14min17s07.

Mais em Atletismo